quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Baldes de água fria

O presidente do Conselho de Administração do Sporting, José Eduardo Bettencourt, vai auferir um salário mensal de cerca 21 500 euros brutos por mês, revelou hoje o presidente da Assembleia Geral da SAD, Rogério Alves.

O equipamento do Sporting do meu filho Pedro deve ser uma das peças de roupa que mais cuidados recebe lá em casa: lava-se com água fria, torce-se com delicadeza, estende-se à sombra e com cuidado. Veste-se com veneração e respeito.

Se não sabem o que é amor à camisola, desapareçam. Palhaços.



Aviso à navegação: Nada de piadas infelizes. Continuo e continuarei sempre 100% sportinguista. É por isso que isto me incomoda.
       

Lido e Copiado

20 meses após os únicos aumentos reais da função pública da última década e da descida do IVA em 1%, 1 ano após capitular nas avaliações/progressões dos professores, semanas depois do Tribunal de Contas explicar como o Estado esbanja metodicamente milhões nos contratos com privados, 1 semana após descongelar as progressões dos polícias, apenas 1 dia após o ministro da Economia insistir que o TGV avança daqui a meses… porrada da grossa - à hora de jantar, refeição estragada - em aviso a duas vozes, Sócrates responde e passa a palavra a Teixeira.
Curiosamente, dizem que hoje joga o Benfica nos Champions, e o último grande aumento de impostos foi anunciado no dia em que essa gente ganhou o campeonato.
A avaliação do Jerónimo podia adivinhar-se, “uma brutal ofensiva sobre os trabalhadores”.

Vamos por partes. Melhoria na receita (eufemismo para assalto fiscal): aumento do IVA em 2% para 23% (era 17% há 7 anos, alguém se lembra?), aumento das taxas na justiça (que justiça!) e na administração interna, aumento em 1% nos descontos para a Caixa Geral de Aposentações, um imposto especial para a banca – a única medida consensual, a ver se é verdade… - corte nos benefícios fiscais (em particular no IRC, disseram). Teixeira dos Santos acrescentou a transferência do fundo de pensões da PT, com 2100 milhões de euros, para pagar os 2 submarinos contratados em 2004 – esqueceu-se é de dizer que o concurso dos submergíveis é do tempo do Guterres, e que esse fundo não é um presente, é um depósito que obriga a dividendos nas próximas décadas…
Diminuição na despesa: diminuição de contratados pelo Estado, na comparticipação de medicamentos e exames médicos, no ADSE, na despesa com ajudas de custo e horas extraordinárias; proibição de acumulação de salários e pensões (vá lá), corte de 5% na massa salarial (entre 3.5 e 10%, para os afortunados que ganham mais de 1500€ brutos), congelamento dos investimentos públicos em 2010, pensões e progressões nas carreiras, eliminação dos 4º e 5º abono de família.

Conclusões:
1. Sou rico. Porque ganho mais de 600€, adeus abono de família.
2. Sou sortudo. Funcionário público, vou receber menos, descontar mais, ter menos comparticipações e pagar mais impostos. Isto depois de, há 3 meses, já ter passado a pagar mais IVA e IRS.
3. Sou ingrato. Almeida Santos disse “feliz é o país que tem um governo capaz de tomar medidas impopularíssimas como estas”.
Pois.


Copiado do blogue A Rês Pública

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

E ainda por cima faz-nos passar estas vergonhas!



E a propósito disto, não deixem de ver aqui. Um mimo.
              

País ao fundo

Depois de terminada a manifestação que hoje se realizou em Lisboa e no Porto, no âmbito do protesto europeu organizado pela Confederação Europeia de Sindicatos (CES) contra as medidas de austeridade recentemente adoptadas por vários Estados-membros da União Europeia, José Sócrates anunciou uma conferência de imprensa.

O título poderia ter sido "Protestem à vontade porque ganham as mesmas e agora tomem lá mais isto". E o que é "isto"? Simples:

Medidas para 2011:
  • Redução dos salários dos órgãos de soberania e da Administração Pública, incluindo institutos públicos, entidades reguladoras e empresas públicas. Esta redução é progressiva e abrangerá apenas as remunerações totais acima de 1500 euros por mês. Com a aplicação de um sistema progressivo de taxas de redução a partir daquele limiar, obter-se-á uma redução global de 5 por cento nas remunerações.
  • Congelamento das pensões;
  • Congelamento das promoções e progressões na função pública;
  • Redução dos encargos da ADSE;
  • Redução em 20 por cento das despesas com o Rendimento Social de Inserção;
  • Redução das transferências do Estado para o Ensino e sub-sectores da Administração: Autarquias e Regiões Autónomas, Serviços e Fundos Autónomos;
  • Redução das despesas no âmbito do Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC);
  • Redução das despesas com indemnizações compensatórias e subsídios às empresas;
  • Extinção ou fusão de organismos da Administração Pública directa e indirecta;
  • Reorganização e racionalização do Sector Empresarial do Estado reduzindo o número de entidades e o número de cargos dirigentes;
  • Redução em 20 por cento das despesas com a frota automóvel do Estado.
Medidas que começam já este ano:

  • Eliminar o aumento extraordinário de 25 por cento do abono de família nos 1º e 2º escalões e eliminar os 4º e 5º escalões desta prestação;
  • Reduzir as ajudas de custo, horas extraordinárias e acumulação de funções, eliminando a acumulação de vencimentos públicos com pensões do sistema público de aposentação;
  • Congelar as admissões e reduzir o número de contratados;
  • Reduzir as despesas de investimento;
  • Rduzir as despesas no âmbito do Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente com medicamentos e meios complementares de diagnóstico.
Nem uma palavra para assumir as responsabilidades pelo estado a que chegámos. Nem uma linha para medidas de incentivo ao crescimento, à criação de emprego. Apenas cortes e mais cortes, lidos com uma voz condoída porque, segundo Almeida Santos, o Governo está a sofrer e o povo também tem de sofrer em solidariedade.

Tudo o que está a acontecer na Europa mostra e comprova que este caminho não resulta. Mas gritam-nos uma e outra vez, que é por aqui que temos de ir, que este é o único caminho e nós seguimos cabisbaixos, rumo ao abismo. Mas descansem, porque vamos pagar os submarinos.

            

Centenário da República 1910-2010 - Seja o repórter oficial


                               

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Centenário da República 1910-2010 - Início das comemorações


                  

Centenário da República 1910-2010


Aceda ao site oficial, clicando na imagem, para todas as informações sobre as comemorações.

        

Quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga

A Variante sul de Coimbra foi inaugurada no passado dia 13 pelo ilustre Ministro António Mendonça. Trata-se de uma estrada com uma extensão de 5 quilómetros que custaram aos cofres do Estado a módica quantia de 19 200 000 euros, o que dá um custo aproximado de 3 840 euros por metro.

A construção desta “longa”estrada foi consignada em Novembro de 2007, e tinha a conclusão prevista para Novembro de 2009. Os 10 meses de atraso na concretização da obra não tiveram importância absolutamente nenhuma. Com efeito, a Estradas de Portugal até lhes achou tanta piada que pagou um prémio à empresa pela antecipação da abertura de um troço parcial (com a extensão de 2,6 km) apesar de esta ter ocorrido três meses depois da data inicialmente prevista para a abertura da extensão total da estrada.

O valor do prémio? É uma insignificância: 351 753,22 euros. O governo recupera isto num instante, basta deixar de pagar o 13º mês a 750 trabalhadores que recebam o salário mínimo.

            

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O desafio de Einstein


(Para ver melhor basta clicar na imagem)
                

Aviso à navegação

Caro/a Sr./a Anónimo/a


Já por duas vezes recebo comentários seus cujo nível está muito abaixo da minha tabela, pelo que nem tenho palavras para o qualificar.

Da primeira vez, fiz como a mulher de César, certamente que conhece o ditado, mas hoje considero que é meu dever avisá-lo/a que da próxima vez irei direitinha aos serviços da Polícia com as folhinhas que imprimi com as suas informações.

Para que não pense que isto são ameaças em vão, aqui ficam alguns dados:

No dia 22, o seu primeiro comentário foi enviado às 19h50. Você tinha acedido a este blogue exactamente às 19h 44m e 49s. Começou a escrever o comentário 10 segundos depois e voltou mais tarde, às 21h 10m e 43s para ver se eu já o tinha publicado ou se havia alguma reacção. O seu IP é dinâmico, e nesse dia era o 85.247.156.155, alojado pela Telepac (bl14-156-155-dsl.telepac.pt). Nesse dia esteve 1 hora, 25 minutos e 54 segundos online aqui no blogue. Para quem não tem pachorra para ler o que eu escrevo, é muito tempo…

Voltou no dia 24, às 19h 39m e 16s e no dia 25 às 19h 33m e 41s. Ainda clicou para comentar, ou ler os comentários sobre a primeira intervenção do Deputado João Ramos na Assembleia da República, mas não escreveu nada.

Ontem, voltou e enviou o seu comentário às 20h45. Mais uma vez, acedeu ao Açúcar Amarelo directamente, às 20H 39m e 50s. Começou a escrever aquela pérola às 20h 41m e 08s. Voltou para ver se estava publicado, ou se havia reacção às 22h 02m e 38s e clicou novamente na caixa de comentários 1 minuto depois. Insistiu novamente às 22h 44m e 18s.

Como deve calcular, também tenho o seu IP de ontem (que não é dinâmico), mas vou publicá-lo apenas parcialmente, por razões que conhecerá ainda melhor do que eu: 85.246.3.*** (bl13-3-***.dsl.telepac.pt).

Pronto, agora faça o favor de se ir ofender a si próprio ao espelho, e não volte, não é bem-vindo.

                    

sábado, 25 de setembro de 2010

O desafio de Einstein


Einstein terá inventado este desafio, e consta que apenas 2% da população mundial terá sido capaz de o resolver. Querem experimentar?

Há cinco casas de diferentes cores, com donos de diferentes nacionalidades. Os proprietários bebem bebidas diferentes, fumam marcas de tabaco diferentes e criam animais diferentes. Nenhuma delas tem o mesmo animal, fuma o mesmo cigarro ou bebe a mesma bebida.

Sabe-se que:

O Norueguês vive na primeira casa.
O Inglês vive na casa Vermelha.

O Sueco tem Cachorros como animais de estimação.

O Dinamarquês bebe Chá.

A casa Verde fica do lado esquerdo da casa Branca.

O homem que vive na casa Verde bebe Café.

O homem que fuma Pall Mall cria Pássaros.

O homem que vive na casa Amarela fuma Dunhill.

O homem que vive na casa do meio bebe Leite.

O homem que fuma Blends vive ao lado do que tem Gatos.

O homem que cria Cavalos vive ao lado do que fuma Dunhill.

O homem que fuma BlueMaster bebe Cerveja.

O Alemão fuma Prince.

O Norueguês vive ao lado da casa Azul.

O homem que fuma Blends é vizinho do que bebe Água


Questão: Quem tem um peixe como animal de estimação?


Pode tentar resolver o teste aqui: http://rachacuca.com.br/teste-de-einstein/. Daqui a uns dias publico a solução.

Estamos todos fartos de os aturar. Perceberam?

- Já não falo mais contigo. Já não sou teu amigo.
- Olha, olha, o dono da brincadeira sou eu! Se é assim, guardo já os meus bonecos e vou-me embora.
- Não, tu tens que me pedir para eu brincar contigo, senão vou fazer queixa ao meu padrinho!
- Era só o que faltava, eu não tenho medo dele, calha bem...


Expliquem-me, como é que num país onde tudo é um sucesso, onde todos os indicadores económicos e sociais são recebidos com tanto optimismo, chegámos à beira deste abismo onde nos encontramos, condenados a engolir mais do mesmo? Expliquem-me por favor.

A primeira intervenção do nosso deputado


                

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Também precisamos de nos distrair um bocadinho com as desgraças dos outros

Documentos hoje publicados pelos jornais The Independent e Daily Express, atestam que o tesoureiro-adjunto da rainha dirigiu, em 2004, ao Ministério da Cultura (o responsável pela gestão das verbas atribuídas à família real), um pedido para que os palácios reais de Buckingham e Windsor beneficiassem de um fundo social que está destinado a ajudar famílias carenciadas, hospitais e associações comunitárias que têm dificuldade em pagar as contas relacionadas com o aquecimento das suas casas ou instalações.

Segundo foi referido pelos conselheiros da monarca, o consumo de electricidade e de gás nos palácios reais tinha duplicado e superava um milhão de libras (cerca de 1,2 milhões de euros), o que foi considerado como "insustentável".

O Governo britânico ainda aceitou inicialmente o pedido real, mas, em Agosto de 2004, um responsável governamental escreveu para o palácio de Buckingham confessando estar "um pouco inquieto sobre as prováveis repercussões hostis dos media, se der um subsídio a um palácio em detrimento, por exemplo, de um hospital. Desculpe, mas a resposta não pode ser positiva".

Sempre pode beber um chazinho para aquecer...
                 

O polvo e os seus tentáculos

Depois de Fernando Gomes, também ele ex-dirigente do Futebol Clube do Porto e actual presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, é a vez de Vítor Baía se afirmar disponível para ser candidato à presidência da Federação Portuguesa de Futebol.

Já podem encomendar as faixas de Campeão para os próximos 20 anos.
          

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Assembleia Municipal #9 – 22 de Setembro de 2010

A reunião iniciou-se com um pedido recebido pela Mesa para inclusão do Relatório final do Concurso público para aquisição de gasóleo e de vários tipos de óleo e lubrificantes destinados às viaturas do Município, aprovado em Reunião de Câmara do próprio dia. Foi colocada à votação a introdução do documento na Ordem de Trabalhos.

O Sr. Joaquim Garrido (PS) propôs que o Sr. Presidente da Câmara desse uma breve explicação sobre o teor do documento, para que os membros da Assembleia pudessem perceber melhor o que estava em causa.

O Sr. Presidente informou tratar-se de um procedimento de aquisição que carecia da aprovação da Assembleia Municipal e que o documento consistia no relatório do concurso público realizado.

Após um intervalo de 10m para análise do documento, foi a proposta de inclusão do mesmo na ordem de trabalhos submetida a votação, sendo necessária a aprovação por maioria de 2/3.

Tendo sido registados 18 votos a favor e 10 abstenções (PS), o documento não foi incluído na ordem de trabalhos.

Foi submetida à aprovação a acta da Sessão da Assembleia de 25 de Junho de 2010, tendo sido aprovada com 25 votos a favor e 3 abstenções.

Foi submetida à aprovação a acta da Sessão da Assembleia de 9 de Julho de 2010, tendo sido aprovada com 23 votos a favor e 5 abstenções.

A abrir o período de antes da ordem do dia foi proposta pela Mesa uma Moção de comemoração do Centenário da implementação da República, que foi aprovada por unanimidade.

Foi em seguida apresentada pela Sra. Ana Maria Caeiro (CDU, JF Safara), uma moção de solidariedade com os agricultores pelos prejuízos sofridos nos olivais com o temporal verificado no passado dia 16, que foi aprovada por unanimidade.

O Sr. Amílcar Mourão (PSD) perguntou porque razão as decisões tomadas em sede do Grupo de Trabalho do Trânsito não estão a ser executadas.

1. Fiscalização dos actos da Câmara.

A Sra. Maria do Céu Rato (CDU) questionou a Câmara sobre o resultado da reunião com representantes da Direcção Regional de Educação do Alentejo relativa à colocação de auxiliares de acção educativa nas escolas de 1º ciclo, uma vez que estes funcionários ainda não foram colocados, o que está a causar alguns constrangimentos ao bom funcionamento das escolas.

O Sr. Francisco Farinho (CDU) pediu esclarecimentos sobre a existência de uns painéis de obra junto ao Estádio, há cerca de 3 meses, sem que se desenvolva ali qualquer obra. Questionou ainda sobre a colocação de outros painéis de obra junto a uma casa degradada nas imediações do antigo campo de futebol, inquirindo sobre a propriedade do imóvel.

O Sr. Joaquim Garrido (PS) relembrou assinalar-se nesta data o “Dia europeu sem carros” e questionou a Câmara sobre a decisão de não aderir a esta iniciativa. Tendo tomado conhecimento, no site da autarquia, sobre a decisão de prolongar por tempo indeterminado o serviço de Transporte Urbano (TU) que percorre diversas zonas da cidade de forma gratuita no período da manhã, perguntou se esta decisão foi baseada em estatísticas de utilização e se, com base nestas estatísticas, há perspectivas de alargar este serviço de forma efectiva e em horário mais alargado.

O Sr. Gonçalves (Ind. JF Amareleja) perguntou se durante a reunião com a Autoridade Florestal havia sido abordada a questão do Baldio da Amareleja, que está a aguardar a publicação de legislação há mais de um ano. Manifestou ainda o seu descontentamento pelo facto de uma moção aprovada por unanimidade em Assembleia de Freguesia - relativa à dívida da autarquia às freguesias - e da qual havia sido dado conhecimento por escrito à Câmara não constar do registo de correspondência recebida pela Assembleia Municipal. Foi esclarecido pelo Sr. Presidente da Assembleia que se trata precisamente do registo da correspondência recebida pela Assembleia e não pela Câmara, pelo que o documento só constaria do registo se tivesse sido enviado à Assembleia.

O Sr. Gonçalves (Ind. JF Amareleja) manifestou ainda o seu desagrado pelo facto de haver inúmeras obras a aguardar execução na sua freguesia, pese embora as visitas já realizadas ao local pela Chefe de Divisão de Obras Municipais e por alguns eleitos.

A Sra. Sandra Santana (PS), questionou mais uma vez a Assembleia sobre o ponto de situação das ETARs.

A Sra. Maria Fialho (PS) pediu informações sobre a obra a realizar na EB1 de Santo Aleixo da Restauração, nomeadamente a previsão do início e duração das obras. Perguntou também porque razão não tinha sido realizada a mudança de instalações durante o período das férias. Referiu ainda haver frequentemente dejectos de animais no espaço do Jardim da Porta Nova e sugeriu a vedação do espaço.

O Sr. João Dinis (PS, JF Sobral da Adiça) questionou sobre a publicação do aviso de lançamento da obra da Ribeira da Perna Seca.

O Sr. Presidente da Câmara respondeu em seguida às questões colocadas:

- Relativamente ao Grupo de Trabalho, informou tratar-se de um órgão consultivo, pelo que as propostas apresentadas têm depois de ser analisadas e alvo de deliberação pela Câmara Municipal. Informou no entanto que algumas já foram objecto de análise e estão em fase de concretização, como é o caso da requalificação e reestruturação do trânsito na Praceta José Francisco Coelho.

- Relativamente à questão do pessoal auxiliar no 1º ciclo, informou que a Câmara entende que esta competência é da responsabilidade do Ministério da Educação e que, nessa linha de pensamento, não assinou o protocolo de delegação de competências relativo a este assunto, pelo que também não recebeu qualquer transferência de verba. No entanto, e não querendo interromper de forma abrupta o funcionamento dos serviços, entendeu a Câmara retirar o pessoal que tem colocado nas escolas de forma faseada, ao longo de 3 anos, pelo que este ano já haverá uma redução de 1/3 nestes funcionários. A Câmara Municipal espera agora que o Ministério assuma as suas responsabilidades e assegure o bom funcionamento das escolas.

- Relativamente aos painéis de obra, a questão refere-se certamente à construção de uma "unidade de cuidados continuados", cuja propriedade e responsabilidade são alheias à Câmara, embora a autarquia se tenha disponibilizado para apoiar a sua concretização, na medida do possível. O imóvel referido na outra questão, ainda não é propriedade da Câmara, por questões de partilha de heranças, mas o processo está em andamento.

- Relativamente ao "Dia europeu sem carros", a Câmara suspendeu a adesão à iniciativa no momento em que se iniciaram as obras de requalificação de algumas ruas do centro histórico e de substituição das condutas de água e esgotos, por considerar que existiam demasiados constrangimentos, o que inviabilizaria o sucesso da iniciativa. Por outro lado, e conforme tem sido expresso na comunicação social, trata-se de um modelo esgotado, que tem vindo a perder participantes e que necessita de ser repensado.

- Quanto ao TU, está realmente a ser perspectivado o alargamento do seu funcionamento, mas não para já, uma vez que isso implicaria outros encargos e outra filosofia, que a Câmara ainda não está em condições de assumir.

- Relativamente à reunião com a Autoridade Florestal, relembrou que a Câmara também considera muito importante a publicação da legislação e que está igualmente a aguardar. Informou ainda que as dívidas da autarquia às freguesias se devem a dificuldades de tesouraria causadas pelo elevado número de obras a decorrer, muitas das quais financiadas pelos fundos comunitários mas cuja comparticipação ainda não deu entrada na Câmara. Acrescentou que neste momento a Câmara aguarda a entrada de cerca de 1,5 milhões de euros de financiamentos aprovados. O saldo de cerca de 1 milhão existente visa também dar resposta a novas obras cujas candidaturas têm de dar entrada até 30 de Setembro para poderem beneficiar do montante máximo de financiamento de 80%. O atraso nos pagamentos dos fundos comunitários tem provocado a paragem temporária de algumas obras, como é o caso da reabilitação do Edifício dos Quartéis, na medida em que se está a negociar com o empreiteiro a reestruturação do pagamento. Quanto às obras por executar, informou que estas se encontram listadas e obedecerão a critérios de prioridade e de gestão.

- Relativamente às ETARs, relembrou que desde 1 de Julho, este processo passou para a alçada da Águas Públicas do Alentejo.

- Quanto à obra na EB1 de Santo Aleixo da Restauração, informou ter havido um atraso na entrega dos contentores onde vão decorrer as aulas, pelo que não foi possível realizar a mudança mais cedo.

- Sobre a Ribeira da Perna Seca, informou ter sido necessária a realização prévia de um estudo geológico, que felizmente não trouxe obstáculos à realização da obra, pelo que já foi aprovada em reunião de Câmara a colocação em concurso.

O Sr. Presidente da Assembleia pediu esclarecimentos sobre a Rede ECOS.

O Sr. Gonçalves (Ind. JF Amareleja) insistiu na questão das dívidas às freguesias, alegando haver atrasos nos pagamentos que reportavam a 2008.

O Sr. Presidente da Câmara informou que o processo da Rede ECOS está em andamento, tendo já sido constituída a Associação legalmente necessária. A nível de investimentos, está já em fase de conclusão o edifício sede da Lógica, E.M. e está a decorrer com normalidade o processo de Micro-geração em ambiente sustentável.

Quanto às dívidas às freguesias, o Sr. Presidente revelou não ter qualquer informação de dívidas referentes a 2008 e informou que o contrato de prestação de serviços existente entre a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia para a leitura de contadores e pagamento das facturas de água, que causava estes valores em dívida, iria ser objecto de alterações, a negociar em reunião com as Freguesias.

Aproveitou também para informar que, embora antigamente as verbas destinadas às freguesias passassem pela Câmara, obrigando a transferências para as Juntas, a Lei das Finanças Locais havia introduzido alterações e as verbas eram agora transferidas directamente. No entanto, a Câmara entendeu continuar a transferir verbas para as Juntas de Freguesia como forma de apoio à sua actividade, mas de forma totalmente voluntária.

O Sr. João Dinis (PS) manifestou o seu desagrado pelas anunciadas alterações ao contrato de prestação de serviços que existia desde 1999, uma vez que, para dar resposta a essa situação, as Juntas haviam procedido a reestruturações. Assim sendo, as Juntas deviam ter sido consultadas antes de ser tomada a decisão de proceder a alterações.

O Sr. Gonçalves (Ind. JF Amareleja) abordou a questão dos lixos de grande porte e entulhos, por considerar não haver resposta por parte da autarquia para este problema. Considerou que a Assembleia devia discutir esta questão e que deveria ser criado um local para descarga do entulho.

O Sr. Presidente da Câmara relembrou, relativamente ao contrato de prestação de serviços com as Juntas de Freguesia, que o assunto será debatido em reunião a realizar. Relativamente aos entulhos, informou que a Câmara está a trabalhar para criar uma solução que permita cumprir a lei que determina a entrega dos resíduos à ResiAlentejo, mas relembrou que, na planificação de uma obra, a questão da eliminação dos resíduos tem de ser considerada à partida como um custo inerente.

O Sr. Rui Almeida (PSD, JF Póvoa s. Miguel) informou que a recolha de monstros e objectos de grandes dimensões não está a ser feita com a regularidade prevista, o que fez com que a Junta já tivesse sido multada.

O Sr. Gonçalves (Ind. JF Amareleja) reforçou esta informação.


2. Imposto Municipal sobre Imóveis

O Sr. Hélio Pereira (PS, JF Santo Agostinho) congratulou-se com a presente proposta, mas lamentou que uma proposta semelhante, apresentada no passado, não tivesse sido aprovada.

Aprovada por unanimidade.


3. Derrama

Aprovada por unanimidade.


4. Rectificação do contrato de constituição da Empresa denominada Herdade da Contenda, E.M.

A Sra. Sandra Santana (PS) questionou sobre o ponto da situação da Herdade da Contenda e sobre a existência de um inventário. Propôs o adiamento da aprovação deste documento, uma vez que “o Regulamento ainda não está eficaz”.

O Sr. João Gomes (PS) estranhou o facto de o Vereador Rui Apolinário, com o pelouro da Agricultura, não fazer parte dos órgãos sociais da empresa, e perguntou porquê. Perguntou também se o valor patrimonial da Herdade está definido e se está tudo inventariado, e ainda, se o valor de capital indicado correspondia ao valor patrimonial.

O Sr. Presidente da Câmara relembrou que este documento é apenas a rectificação, após pequenos ajustamentos solicitados pelo notário, do contrato que já havia sido aprovado em Assembleia Municipal. Informou que o inventário está a ser efectuado, bem como a listagem de todos os bens.

Quanto à composição dos órgãos sociais, explicou que esta obedecia a critérios e princípios e que a Herdade da Contenda vai muito além do domínio da Agricultura: Ambiente, Cinegética, Turismo, etc. Por essa ordem de ideias, todos os Vereadores teriam de fazer parte dos órgãos sociais. Entendeu-se que o único membro do Executivo a integrar o Conselho de Administração seria o Presidente, à semelhança do que acontece na Lógica e na COMOIPREL, cujos Conselhos de Administração são presididos pelo Presidente da Câmara. Procurou-se por outro lado trazer à gestão da Herdade técnicos que conheçam e dominem áreas relevantes para esse processo.

Aprovada por unanimidade.


A Minuta da sessão foi lida e aprovada por unanimidade.

É tudo uma questão de planeamento e estratégia

A Escola Básica do 1.º Ciclo de Várzea de Abrunhais, em Lamego, já não abriu este ano lectivo. Os mais de 20 alunos foram transferidos para o novo centro escolar construído em Ferreirim (Lamego). Até aqui, aparentemente, nada de novo.

Acontece que esta escola foi várias vezes apontada pelo próprio Governo como exemplo e constantemente elogiada, por ter sido o primeiro estabelecimento de ensino a integrar o Programa Mundial das Escolas Inovadoras, da responsabilidade da Microsoft. Este estatuto de nada lhe valou quando a onda de encerramentos foi levantada pelo Ministério da Educação.


Esta escola tinha ao dispôr dos alunos nove Magalhães de reserva para o caso de avariar algum dos pertencentes às crianças, oito computadores de secretária e dois portáteis, para além de dois quadros interactivos equipados com a Plataforma Camões que permite a sincronização com os computadores individuais dos alunos.

Vale a pena ler aqui a reportagem que a Visão fez em Fevereiro deste ano sobre "uma das escolas mais avançadas do mundo".
                  

Ainda anteontem tinha pedido ao governo para olhar para o mar

"Cavaco Silva pede ao Governo que olhe para o Interior"

Isto também nos incluirá a nós, modestos residentes no que ele convencionou designar por Alentejo profundo, onde nem  os jornais chegam?
              

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Até as crianças...





         

"As evidências não precisam de resposta"

Foi o que Manuel Maria Carrilho respondeu aos jornalistas quando questionado sobre a sua demissão, da qual teve conhecimento pela comunicação social.

Por uma incrível e inexplicável coincidência, o governo decidiu ter-se esgotado o tempo de vida útil de Manuel Maria Carrilho como embaixador de Portugal na UNESCO, precisamente dois dias depois de este ter manifestado, em entrevista ao Expresso, a sua crítica  a projectos governamentais na área da educação, como o computador Magalhães e o programa Novas Oportunidades.

Esta atitude do governo relembra-me de um episódio ocorrido há uns anos, quando falei com um político em vésperas de hipotética reeleição. Perguntei-lhe que resultados esperava. "Vamos obviamente ganhar, e com maioria!", foi o que me respondeu. "Acha? - insisti eu - Olhe que há muitas pessoas descontentes." "Eu não acho, - retorquiu - todas as pessoas que falam comigo estão muito satisfeitas e confiantes". No entanto, perdeu.

Esta é a forma mais fácil de evitar comentários desagradáveis e críticas: deixar de os ouvir e rodearmo-nos apenas de pessoas que concordam sempre connosco. Quanto aos outros, aos que criticam, aos que põem o dedo na ferida, aos que levantam questões incómodas, não há que dar-lhes importância: ou são da oposição, ou são burros e não compreendem o alcance e a inteligência da nossa estratégia.

O problema é que o rei vai mesmo nu. E surdo.
           

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Não gosto nada

... daquele novo formato de apresentação da pesquisa de imagens do Google.

   

As reacções que esperavam

"Depois do triunfo em França, a equipa de Alvalade voltou à terra. Sobram-lhe valores para ganhar eleições na Intersindical (igualdade, solidariedade, trabalho), mas faltam-lhe argumentos futebolísticos."

No Público, via Delito de Opinião.Ainda têm dificuldade em perceber o meu orgulho no Sporting? Os valores que mais prezo estão lá.

"Paulo Bento deu o sim a Gilberto Madaíl. É oficial. Já podes abrir a garrafa de champanhe :)"

Recebido via telemóvel. Hoje não posso, só tenho um braço útil. Aliás, foi só por isso que o Sporting ontem não marcou, eu não podia celebrar. Deposito muitas esperanças no Paulo Bento, como depositava quando era o treinador do meu clube. Tenho pena que não tenha havido a coragem para fazer frente a todas as pressões.


Mistério insondável

Aquele pão "caseiro" da Fermentopão é a minha perdição. Agora, vou comprá-lo às padarias e aqui é que nasce a questão de hoje.

Alguém sabe o horário de funcionamento das padarias de Moura? E alguém o consegue explicar? Agradeço toda a ajuda que possam dispensar.

Senhor dono da padaria, não precisa de se maçar a agradecer a publicidade. Qualquer vale vitalício para a aquisição diária de pão arruma o assunto.


Estou meio coxa...

... de um braço. Não está partido, mas tenho cá umas dores!
Escrever só com a mão direita é uma seca, por isso vim cá deixar-vos uma musiquinha.

Esta também é especial (Eu hei-de te amar por esse lado escuro / com lados felizes eu já não me iludo / Se resistir à treva é um amor seguro / À prova de bala, à prova de tudo).



PS: Não preciso de nada, obrigada, os meus filhos andam a apaparicar-me. Mas se insistirem, podem mandar-me uns chocolates, umas caixas de gelado, uns bolinhos da Amorosa, uns caramelos do Minipreço, enfim, coisas simples...

domingo, 19 de setembro de 2010

E ainda...

Apesar de ter sido anulado o concurso para o troço Lisboa - Poceirão, o Governo mantém a intenção de construir o troço do TGV entre Caia e Poceirão. Donde se conclui que o Poceirão está destinado a ser o centro do nosso Universo. E pensar que aqui há uns tempos, a sul do Tejo só havia deserto.

O Ministro das Obras Públicas (o tal que sonhou ver Lisboa como "a praia de Madrid")  lembrou ainda que não estamos a falar "apenas de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, mas também de transporte de pessoas e mercadorias entre Lisboa e Espanha".

O quê??? Não percebi. Madrid já não é em Espanha? E o Poceirão, onde é que fica no meio disto tudo?


Também ficámos a saber que esta nova via vai levar a uma "alteração radical entre os dois países e entre estes dois países e a Europa".

Vão redefinir as fronteiras, ou será a Jangada de pedra?

               

Caramba, estava tão bem-disposta...

Até me esqueci que este ainda é o país do José Sousa que insiste em ser confundido com o filósofo e das suas políticas burlescas. No Expresso deste sábado, havia isto:



Tomás Bacelos, de 23 anos, é considerado o «melhor» aluno do país a entrar este ano na faculdade. A nota de entrada não deixa margem para dúvidas - 20 valores - , mas o caso torna-se particular pelo facto deste jovem não ter terminado o 12.º ano da forma habitual, mas sim através das Novas Oportunidades. [...] entrou na Universidade de Aveiro, no curso de Tradução, e, de acordo com as listas do Ministério do Ensino Superior, é o aluno com a nota mais elevada de entrada.

Os 20 valores que colocam Tomás no topo da lista das melhores notas de entrada na faculdade não têm em conta as notas do secundário, que Tomás não terminou.

A situação é permitida por lei. Mas Tomás sente que beneficiou de uma injustiça. «Para mim, foi óptimo, Mas é claro que é bastante injusto porque os outros passam anos a esforçar-se para terem boas médias. Com o Novas Oportunidades, uma pessoa que só tem o 7.º ano pode fazer o 9.º em seis meses e a seguir, em ano e meio, consegue tirar o 12.º. Se tiver sorte, pode passar à frente [no acesso à universidade] e tirar o lugar às pessoas que fizeram esse esforço», admite Tomás.

Pela honestidade em reconhecer o insólito da situação, desejo ao Tomás muita sorte para a frequência e conclusão do seu curso. Mas tudo isto é, cada vez mais, uma palhaçada.
          

sábado, 18 de setembro de 2010

Já fomos tão felizes aqui (actualizada)

Foi como se nos tivéssemos deixado de ver apenas ontem. A mesma alegria, a mesma franqueza, a mesma conversa solta, o mesmo olhar limpo, o mesmo sorriso aberto, a mesma amizade. Sou uma privilegiada.




O meu primeiro cantinho, no "Quarto das Cinco", no ano lectivo de 1987/88 e a sua nova inquilina, a despedir-se da família.



O meu quarto no ano lectivo de 1989/90 e as minhas companheiras (cada uma na sua respectiva cama), de quem tinha tantas, tantas saudades.







Estas são a D. Bia e a D. Esperança, que tomavam conta de nós. Além delas, havia ainda a D. Fátima.


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Se a minha adolescência tivesse banda sonora, provavelmente seria esta




How can I just let you walk away
Just let you leave without a trace
When I stand here taking every breath
With you, ooh
You're the only one who really knew me at all

How can you just walk away from me
When all I can do is watch you leave
'Cause we've shared the laughter and the pain
And even shared the tears
You're the only one who really knew me at all

So take a look at me now
Well, there's just an empty space
And there's nothing left here to remind me
Just the memory of your face
Take a look at me now
Well, there's just an empty space
And you coming back to me is against the odds
And that's what I've got to face

I wish I could just make you turn around
Turn around and see me cry
There's so much I need to say to you
So many reasons why
You're the only one who really knew me at all

So take a look at me now

Well, there's just an empty space
And there's nothing left here to remind me
Just the memory of your face
Now, take a look at me now
'Cause there's just an empty space
But to wait for you, is all I can do
And that's what I've got to face

Take a good look at me now
'Cause I'll still be standing here
And you coming back to me is against all odds
It's the chance I've got to take

Take a look at me now

Vídeo original aqui.
                               
          

Uma etapa do caminho

Naquela época, nenhuma de nós se apercebeu da importância que aqueles anos teriam na nossa vida. Apenas detestávamos todas as regras que nos eram impostas: Levantar antes das 8h30 da manhã, arrumar o quarto, não deixar objectos fora do lugar, não perturbar as colegas, não demorar demasiado tempo no duche, não cozinhar no pequeno fogão eléctrico do bar, não cantar nos corredores, cumprir escrupulosamente os horários das refeições, recolher antes das 21h00, não faltar ao respeito às senhoras que nos acompanhavam, não faltar ao respeito ao responsável do lar, aos militares do batalhão, ao Comandante.

Cheguei ao Lar Académico Públia Hortênsia de Castro num dia de Setembro de 1987. Ia estudar para Évora, fazer o 12º ano e, aproveitando a existência de um lar para filhas de militares da GNR, fiquei ali até ao final do 1º ano da Universidade. Depois, a "opção" de trabalhar para ajudar a pagar os estudos impôs-se e saí.

Desse tempo, trouxe várias amizades, mas uma delas destacou-se. A Ana tornou-se rapidamente na minha melhor amiga, a minha mana. A ligeira semelhança física, que levou a algumas confusões engraçadas ao início, foi por nós explorada com o maior descaramento. Mais tarde, a vida encarregou-se de nos trazer outras semelhanças, infelizmente, nem todas agradáveis. Vivemos longe uma da outra e passamos muito tempo sem nos vermos. Mas nos momentos maus, e nos bons também, há sempre alguém do outro lado de um telefone qualquer que diz "Estou aqui".

No entanto, naquele dia de Setembro, há 23 anos, detestei tudo. Odiei Évora, a cidade para onde ambiciono ir viver e trabalhar desde então, e onde fiz questão que os meus filhos nascessem. Achei o Lar frio, impessoal e insuportável, longe de tudo e de todos. Fui recebida por uma colega mais velha, a Glória, transmontana, que me assegurava de 5 em 5 minutos que eu ia gostar de lá estar, e eu acenava com a cabeça, em concordância, mas só pensava "Onde é que eu me vim meter?"

Afinal, passei ali uma boa parte dos momentos mais divertidos da minha vida. O ambiente era fantástico, riamo-nos até chorar, fazíamos asneirada a toda a hora, mas desenvolvemos entre nós um espírito de grupo coeso e unido, uma solidariedade a toda a prova, a certeza indissolúvel de que nunca nos iríamos separar.

Separámo-nos. Mas amanhã, vamos reencontrar-nos, na outra ponta da Av. Dr. Barahona. Tantas, tantas caras de que me recordo quando passo pelas terras de onde elas vinham, tantas vozes, tantos risos, tantos projectos. Boa parte do que sou devo-o àqueles anos, àquelas pessoas com quem partilhei o mesmo tecto e até à meia dúzia de ovelhas negras que por lá passaram, porque contribuíram para nos tornar mais fortes, mais determinadas, e sobretudo, nos ensinaram a separar o trigo do joio, a distinguir o certo do errado.

Até amanhã.
                     

Pedro e o lobo



Depois de ter andado o verão inteiro a ameaçar-nos com o dia 9 de Setembro como a data limite para que o Governo decidisse se queria ou não governar (?!), Pedro Passos Coelho vem agora criar uma nova barreira temporal. É para o próximo ano, depois de o novo Presidente da República tomar posse, ou então, também pode ser noutra data qualquer, desde que seja antes do fim desta legislatura. Ou quando Pedro Passos Coelho quiser, claro.

Não é por dizer as coisas com um ar sério, que elas se tornam verdade. É que, Pedro, as pessoas começam a deixar de ter medo do lobo mau... Na verdade, começam a deixar de acreditar que ele existe.

                     

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Uma esmola, por amor de Deus.

- Excelentíssimo, meretíssimo, ilustre, sábio e omnipotente Senhor Professor Doutor Mourinho, venho humildemente pedir-lhe para ser o seleccionador nacional. Não precisa de fazer nada, basta o seu nome aparecer e todos os adversários tremerão de medo e fugirão de pavor.

- Não.

- Então, Excelentíssimo, meretíssimo, ilustre, sábio e omnipotente Senhor Professor Doutor Mourinho, pode orientar os jogos da selecção só até ao Euro 2012? Não precisa de fazer nada, basta o seu nome aparecer e todos os adversários tremerão de medo e fugirão de pavor.

- Não.
 
- Excelentíssimo, meretíssimo, ilustre, sábio e omnipotente Senhor Professor Doutor Mourinho, e se fosse só por um ano? Deixe-me lembrar-lhe, caso ainda não lhe tenha dito, que não precisa de fazer nada, basta o seu nome aparecer e todos os adversários tremerão de medo e fugirão de pavor.
 
- Não.
 
- E se fosse só até ao final do ano?
 
- Não.
 
- E só dois joguinhos? Nem precisa de faltar aos treinos do Real Madrid. Fica com dois empregos, como tantos portugueses. Olhe, o Cristiano Ronaldo dá-lhe boleia para os estágios da selecção. O que acha? É que nem precisa fazer nada, basta o seu nome aparecer e todos os adversários tremerão de medo e fugirão de pavor. Hum? Excelentíssimo, meretíssimo, ilustre, sábio e omnipotente Senhor Professor Doutor Mourinho, posso anunciar o seu nome?
 
- Não sei. Pagam-me as ajudas de custo?


                   

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Sou, de novo, oficialmente adepta da Selecção Nacional.

Paulo Bento confirmado como novo seleccionador nacional.

Adenda posterior: Pronto, parece que não é verdade, vou pendurar o cachecol.
                     
            

Pingo doce, não venha cá.

Detesto pessoas que se valem da sua posição atrás de um balcão ou de uma caixa registadora para tratarem os outros seres humanos como cidadãos de segunda categoria. Detesto sítios onde se dá prioridade e benesses aos amigos e conhecidos, como se o dinheiro que paga os produtos não fosse todo igual. Detesto estabelecimentos que exploram os seus empregados, o que faz com que estes descarreguem a sua frustração e mau-humor nos clientes. Detesto funcionários de má-vontade. Detesto lojas onde se escondem produtos de melhor qualidade para fazer escoar o produto que está a chegar ao fim do prazo ou que por qualquer razão, não cativa o cliente. Detesto arbitrariedades.

      

E por falar em educação


Um grupo de estudantes da Academia do Porto protagonizou  um protesto na cerimónia de abertura do ano lectivo no Ensino Superior Politécnico, na passada Segunda-feira,que contou com a presença do Primeiro-Ministro, José Sócrates, e do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago.

Perante um auditório repleto, no Instituto Superior de Engenharia do Porto, subiram ao palco, entregaram uma medalha a Mariano Gago por "fazer com que Portugal seja o país da Europa onde as famílias mais gastam com educação” e leram um comunicado com várias reivindicações.

Dados curiosos sublinhados pelo comunicado dos estudantes:
       - nos últimos dez anos um terço dos estudantes mais pobres abandonou o Ensino Superior
       - as propinas aumentaram 400 por cento
       - Portugal é o terceiro País da Europa com a propina mais alta
       - estudantes continuam a ser "empurrados" para empréstimos, devendo já  cerca de 130 milhões de euros à banca
       - a “maioria” dos 70 mil bolseiros em Portugal recebe uma bolsa mínima de cerca de 100 euros por mês
       - a resposta a um pedido de bolsa demora em média quatro meses

“Não há cerimónias quando um ano lectivo começa sem os Serviços de Acção Social saberem os dados que necessitam para analisar os pedidos de bolsas, porque o sr. ministro ainda não fez aprovar o despacho necessário”.

Mariano Gago ficou estupefacto com o protesto e a medalhinha que recebeu, mas o PM aproveitou logo para destacar as "excelentes condições alcançadas nos últimos anos", disparou metas e percentagens a ritmo de metralhadora e revelou-se muito optimista.

O homem não vive neste mundo...



Não queria insistir, mas não consegui resistir

Ainda tenho o "cérebo" atordoado com esta mensagem tão enternecedora, a sorte é que "mêmo" agora vou "drumir". Reparem como ela continua a abanar negativamente a cabeça cada vez que quer parecer entusiasmada.



Recebido via Facebook.
     

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Que filho tão lindo

- Mãe!
- O que é...
- Sabes porque é que construíram aquele hospital novo ao pé do estádio da luz?
- Porquê...?
- Porque todas as equipas que lá vão jogar trazem pontos!


                      

"Lie to me"

Alguém costuma ver esta série de televisão que passa na Fox?

Mas olhem que deviam. Abre-nos os olhos para certos pormenores, percebem? Em que momento do discurso as pessoas escolhem sorrir, erguer as sobrancelhas ou abrir muito os olhos para mostrar a sua honestidade, ou a forma inconsciente como abanam negativamente a cabeça enquanto afirmam peremptoriamente algumas certezas. É giro.


                  

Rui Cardoso Martins

O romance "Deixem Passar o Homem Invisível", de Rui Cardoso Martins, foi o vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE), deste ano.



Durante uma grande enxurrada em Lisboa, um homem cego desde os 8 anos, advogado, cai numa caixa de esgoto aberta, situada junto da igreja de S. Sebastião da Pedreira. Na mesma altura, um escuteiro que regressava de uma actividade na mesma igreja é também arrastado para o mesmo esgoto.

É a viagem de ambos, através de uma Lisboa subterrânea, enquanto cá fora são tomadas todas as medidas para os salvarem, que o autor nos conta neste segundo livro. Mas é também a entreajuda, a cumplicidade entre o cego e a criança, naquela terrível aventura.


O escritor, jornalista e argumentista nasceu em Portalegre, em 1967,  e vive em Lisboa desde a universidade. Foi repórter e hoje é cronista no PÚBLICO. É também co-fundador das Produções Fictícias. Para o cinema escreveu o guião de “Zona J” e, em parceria, o da longa-metragem “Duas Mulheres”. O seu primeiro livro, “E Se Eu Gostasse Muito de Morrer”, de 2006, já vai na 4ª edição, tendo sido publicado em países como Espanha e Hungria.

Esteve com visita marcada para a Feira do Livro 2010, que acabou por cancelar. Haverá, certamente, outras oportunidades para encontrar "ao vivo e a cores" este escritor. Para o conhecer de perto, nada melhor que ler a sua obra. "Deixem passar o homem invisível" está disponível para empréstimo na Biblioteca Municipal de Moura.
 
Este é um prémio que, além de merecido, premeia a coragem de um homem capaz de sobreviver. Garanto-vos que não é fácil.
                     

domingo, 12 de setembro de 2010

Educação "tendencialmente" gratuita

Fui comprar o material escolar para os miúdos. Estou traumatizada.

                         

sábado, 11 de setembro de 2010

Há dias assim.




Spend all your time waiting for that second chance
For the break that will make it ok
There's always some reason to feel not good enough
And it's hard at the end of the day

I need some distraction or a beautiful release
Memories seep from my veins
Let me be empty and weightless and maybe
I'll find some peace tonight

In the arms of the Angel far away from here
From this dark, cold hotel room, and the endlessness that you fear
You are pulled from the wreckage of your silent revelrie
You're in the arms of the Angel; may you find some comfort here

So tired of the straight line, and everywhere you turn
There's vultures and thieves at your back
The storm keeps on twisting, you keep on building the lies
That you make up for all that you lack

It don't make no difference, escaping one last time
It's easier to believe
In this sweet madness, oh this glorious sadness
That brings me to my knees

In the arms of the Angel far away from here
From this dark, cold hotel room, and the endlessness that you fear
You are pulled from the wreckage of your silent revelrie
In the arms of the Angel; may you find some comfort here

You're in the arms of the Angel; may you find some comfort here

                          

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Dia de escola

Oito da manhã. O despertador entrou outra vez ao serviço.

Adeus vida boa das férias. Adeus séries intermináveis de televisão. Adeus canal Disney e telenovelas da TVI. Adeus Facebook e messenger, e turnos para ir ao computador. Adeus às horas estendidos nos sofás da sala, às longas tardes na piscina municipal e às quentes noites do Verão.

Hoje é o primeiro dia de aulas. Outra vez as pilhas de livros e cadernos e lápis e canetas e marcadores e réguas e compassos e calculadoras e guaches e não, não pode ser desses, têm de ser daquela marca mais cara, o meu professor só quer daqueles. Falta-me um caderno, falta-me um portefólio, faltam uns calções para a ginástica. Esse dossier não, não dá para nada, esse também não, é grande demais, não cabe na mochila.

Oh! Estranha força que reges este Universo, podes só por um dia, fazê-los pequeninos outra vez, com fraldas para mudar, papas para comer, sopas com os ingredientes adequados, frutinha a horas e a tempos, várias espécies de vitaminas e banhos para tomar? Era tudo tão fácil...

E sobretudo, podes reactivar o efeito imediato e absoluto que o meu olhar nº 37 tinha sobre as birras e as exigências deles? É que agora, eu bem tento, bem me esforço, bem me empenho, mas tenho o mesmo efeito que um comando de televisão sem pilhas.
   

Leva saudades, que é coisa que cá não deixas!

Aquele que nunca deveria ter sido contratado, deixa enfim a Selecção Nacional, com os bolsos consideravelmente mais pesados com o dinheiro que nós ajudámos a juntar, mas com os ombros muito leves, uma vez que sempre foi apanágio seu sacudir a água do capote e atirar as responsabilidades para cima de outra pessoa ou outra instituição qualquer.

A tal porcariazinha que anda lá pela Federação, é que não há meio de largar o osso...
                       
                       

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Descubra o resto, na Tasquinha



Dias 10, 11 e 12 de Setembro, todos os caminhos vão dar aqui.
Apareçam!

   

Eu não quero, obrigadinha. Mas não me importo de passar a palavra.

               

Feira de Setembro



Dia 9 (Quinta-Feira)


19.00H - Sessão de Inauguração da Feira e Abertura dos Pavilhões de Exposição

Dia 10 (Sexta-Feira)

10.00H - Workshop do Projecto MEDISS "Cultivo e transformação de plantas aromáticas e medicinais. Investimento oportuno?", com a participação do Engº Luis Alves, do Cantinho das Aromáticas - Edifício da COMOIPREL
14.00H - Workshop do Projecto MEDISS "Cultivo e transformação de plantas aromáticas e medicinais. Investimento oportuno?", com a participação do Engº Luis Alves, do Cantinho das Aromáticas (cont.) - Edifício da COMOIPREL
17.00H - "Chá das 5" - Conversas acompanhadas com chá aromático e sabores locais: "Ervas, usos e saberes - plantas medicinais no Alentejo e outros produtos naturais", pelo Mestre José Salgueiro - Pavilhão 2
22.00H - Espectáculo Musical com Mário Moita - SHOW IBERICO COM BAILADO ESPANHOL

Dia 11 (Sábado)

10.00H - XVII Concurso de Méis da Região de Moura
10.30H - Assembleia Geral da APIVALE - Associação dos Apicultores do Vale do Guadiana - Auditório da COMOIPREL
11.00H - Leilão de Máquinas Agrícolas, pela AJAM - Junto ao Parque de Leilão de Gado
15.00H - Entrega de Prémios o Concurso de Méis; Colóquio "Falemos de Apicultura": Timol: confecção e aplicação na luta contra a varroa; - Enfraquecimento das colónias - Auditório da COMOIPREL
17.00H - "Chá das 5" - Conversas acompanhadas com chá aromático e sabores locais: "Medicina integrada - a utilização de plantas medicinais na promoção da saúde e do bem-estar", pela Dra. Maria José Palma (Centro Holisis) - Pavilhão 2
17.30H - Corrida de Toiros
22.00H - Espectáculo Musical com BAILE POPULAR

Dia 12 (Domingo)

17.00H - "Chá das 5" - Conversas acompanhadas com chá aromáticas e sabores locais: "A valorização dos produtos da apicultura", com prova de doçaria confeccionada com mel, pela APIVALE - Pavilhão 2
18.30H - Espectáculo Musical com Régis & Rogério - FORRÓ COM BAIÃO DOS DOIS
19.30H - Espectáculo Musical com GROSELHA.COM; Entrega de Prémios do Concurso de Petiscos

Durante os dias 10 e 11 de Setembro decorre o Concurso de Petiscos nas Tasquinhas

Horários dos Pavilhões de Exposição:
Quinta-Feira: 19.00 - 24.00 horas
Sexta-Feira e Sábado: 10.00 - 13.00 horas; 15.00 - 1.00 horas
Domingo: 10.00 - 13.00 horas; 15.00 - 22.00 horas

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ler, s.f.f.

Jornalismo de "serviço". Aqui.

A idade das trevas. Aqui.

E já agora, uma vista de olhos a isto.
          

Democracia

Este é o jardim onde se realizou o comício do PS em Matosinhos no último fim-de-semana. Estava pronto há vários meses, mas vedado ao acesso público. A vedação foi retirada no dia em que o palco do comício foi montado.


O prédio que que se vê na imagem, e que fica em frente ao Jardim, chama-se Palácio Enseada. Um dos seus moradores resolveu colocar uns cartazes "de apoio" ao comício:



E a reacção dos militantes e simpatizantes foi esta:




Copiado descaradamente d'O Insurgente e do 31 da Armada

Oportunidade única

Estamos a aproximar-nos do número mágico dos 50 mil visitantes. Quem for o sortudo, faça favor de fazer "print screen", imprimir a imagem onde está o número mágico e dirigir-se à tasquinha do Núcleo Sportinguista de Moura durante a Feira de Setembro, que terá como prémio um jarro de sangria com açúcar amarelo.


             

Voluntários precisam-se


                


CEAI - Centro de Estudos da Avifauna Ibérica
Rua do Raimundo, nº 119 Apartado 535 7002-506 Évora

tel: 266746102 fax: 266745782 email: info@ceai.pt

www.ceai.pt
www.ceai.pt/ebg
http://www.ceai.pt/lifebonelli

            

E depois há isto. Um abraço apertado às duas.

Recebido ontem via Facebook:

Um mimo de uma Ana:
http://www.youtube.com/watch?v=l9K4BKkLaCI&feature=player_embedded

Here's a little song I wrote
You might want to sing it note for note
Don't worry, be happy

In every life we have some trouble
But when you worry you make it double
Don't worry, be happy

Don't worry, be happy now
Oo, ooo...

Don't worry, be happy(4x)
Oo, ooo...

Ain't got no place to lay your head
Somebody came and took your bed
Don't worry, be happy

The land-lord say your rent is late
He may have to litigate
Don't worry, be happy

Look at me, I'm happy

Don't worry........ be happy

let me give you my phone number
when you worry, call me I will make you happy

Don't worry...... be happy

Ain't got no cash, ain't got no style
Ain't got no girl to make you smile
Don't worry, be happy

'Cause when you worry your face will frown
And that will bring everybody down
So don't worry, be happy

Don't worry, be happy now
Oo, ooo...

Don't worry, be happy (4X)
Oo, ooo...

Don't worry, don't worry, don't do it, be happy
Let the smile on your face
Don't bring everybody down like this

Don't worry, people will soon pass
what ever it is

Don't worry, be happy
I am not worried, "I am happy"


E outro mimo de outra Ana:



Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza enfim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós

Momento National Geographic


Outra coisa que a blogosfera tem de interessante, é a quantidade de "polícias" que nascem como cogumelos a fiscalizarem os nossos actos. Apesar de ser um fenómeno interessante, nada tem de positivo, porque geralmente, esta espécie utiliza uma linguagem provocatória, a resvalar para o baixo nível e esquadrinham tudo o que escrevemos à procura do mais pequeno deslize para nos caírem em cima.

Esta espécie caracteriza-se também, e geralmente, por achar que conseguia fazer muito melhor, sem que no entanto ponha mãos à obra, ou então fazendo-o sob a forma do anonimato, que como todos sabemos, é o grau -1 da coragem (abaixo do grau "inexistente"). Especialistas na área conseguiram entretanto isolar algumas características comuns a estes seres mais ou menos vivos, mas que respiram, e até teclam:
- Elevado grau de frustração
- Insatisfação na vida pessoal
- Insatisfação na vida profissional
- Péssimo sentido de organização, o que os leva a não compreender como é que as pessoas que querem, conseguem arranjar tempo para tudo
- Tendência infeliz para colocar o acento do "à" ao contrário, e escrevendo sempre, uma e outra vez "á"

Registe-se, para que possam anotar devidamente nos seus caderninhos, que estou a escrever este post durante a minha hora de almoço, como faço praticamente todos os dias (é a minha primeira ronda na internet, a segunda também é à noite).

Gostaria também de informar que o Blogger tem um serviço de agendamento de posts, o que significa que o que aparece aqui às 4 da tarde, foi escrito antes, mas é programado para aparecer nessa altura porque as estatísticas me dizem que as pessoas que visitam o meu blogue têm alguns picos de hora: entre as 10 e as 11 e meia, entre as 14h15 e as 15h30, entre as 16h30 e as 17h30 e depois das 21h00. Como tal, se tiver vários post para publicar, agendo-os para imediatamente antes desses picos, em vez de os publicar todos de uma vez, para que as pessoas tenham sempre novidades. Por exemplo, logo, às 16h00, vai haver um novo post e às 00h10, será publicado o programa da Feira de Setembro, para que os visitantes do princípio da manhã fiquem logo informados.

O mesmo se aplica a quando faço viagens. É por isso que, no momento em que eu e a Ana Farinho sobrevoávamos a Península Ibérica, o primeiro post sobre a nossa viagem a Barcelona era publicado.

E agora que já expliquei tudo muito bem explicadinho, vou responder-lhe: Trabalho sim, senhor. Sou bibliotecária, e como tal, faz parte do meu trabalho estar permanentemente actualizada e ter uma boa cultura geral. Esta informação, sobre o meu trabalho, está no meu perfil desde o primeiro dia, não sei como é que lhe escapou. Quer que ponha também o meu horário e o mapa das férias?

Não precisa de agradecer, senhor agente. Volte sempre. A sua visita também conta para as estatísticas.
                 

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Perspectiva

A OCDE "chumba" a educação em Portugal, mas o nosso PM prefere ignorar esse facto e salientar que a rede pré-escolar (que depende das autarquias) está acima da média.

Acho que vou ali vomitar um bocadinho de optimismo e já volto.
             

Uma questão de apoio

Uma vez que o Sr. Sarkozy anda com tanto trabalho para expulsar os cidadãos não nascidos no país, porque é que não lhe fazemos um favor e deixamos de visitar a França?

   

A notícia já não é nova, mas continua a ser engraçada

A partir de 2011 serão distribuídas 150 000 cabras pela área do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Duero-Douro. Pretende-se que os animais funcionem como um «método natural para a limpeza das florestas e dos campos», consumindo mato e vegetação que já não irão arder com «os calores tórridos do verão», contribuindo para a diminuição dos incêndios florestais.

Segundo o Sol, o Senhor Governador Civil da Guarda considera mesmo que esta medida é «uma flor de esperança para a região». Esperemos que a flor não arda.

O projecto, designado ´Self-Prevention`, tem um investimento de 48 milhões de euros (as cabras ainda são caras!), e contemplará a criação de uma empresa, com capitais públicos e privados (ah!), que ficará responsável pela  distribuição dos efectivos caprinos e pela criação de equipamentos que sustentem a rentabilidade económica do projecto.

Segundo o AECT, o projecto garantirá «a sustentabilidade social, económica e ambiental» das regiões abrangidas. Presume-se que as cabras vêm equipadas com varinha mágica.

Além de finalmente estar cumprida a promessa do PS de criar 150 mil postos de trabalho (nunca se disse que se destinavam a humanos), estas cabras vão substituir os cerca de mil telemóveis que foram distribuídos há alguns anos e que terão custado aos cofres do estado cerca de 125 mil euros, fora as chamadas efectuadas, que nunca foram contabilizadas. Mas compreende-se: embora as cabras sejam mais caras, não estão sempre a ficar desactualizadas nem é preciso carregar a bateria regularmente.



Pronto, já sei que as cabras conseguem comer o pasto até a raiz, e que se o projecto for bem aplicado, pode contribuir para a limpeza efectiva das matas. Agora já só falta ensinarem-lhes a atacar os incendiários.
                       

Hoje é um dia tão bom como outro qualquer




A principio é simples, anda-se sózinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado, que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vazia
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.

  

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Afinal sempre era possível

A Galp diz que vai apostar numa rede de postos de combustível de baixo custo, denominada de Galp Base, onde será vendido combustível sem aditivos tal como nos hipermercados.


Convençam-se: Na lei da oferta e da procura, somos nós - os consumidores - quem tem o poder de decidir. Basta querermos realmente utilizá-lo.
 
Deixo só uma curiosidade: Entre o posto de combustível Galp em Moura e o posto Galp de Rosal de la Frontera há em média, 30 cêntimos de diferença por litro de gasolina. Se em Espanha a mesma empresa pode vender o combustível mais barato, porque não o faz aqui? Foi preciso fazer contas à vida e perceber o imenso imposto que se perde diariamente, pelas mãos dos residentes na zona raiana, para terras de nuestros hermanos?

Ah!

Esta coisa dos blogues vicia-nos. Uma ou duas vezes por dia, dou a voltinha à minha lista para ver o que há de novo. Embora mantenha o hábito de ver as “gordas” dos jornais online, começo a desconfiar que são estes blogues quem me vai mantendo actualizada, porque o primeiro filtro (interessante/não interessante), já está feito.


É claro que os bloguistas emitem a sua opinião, não pretendem transcrever notícias com a isenção que é devida aos jornalistas, mas isso acaba por ser uma mais-valia. Leio as opiniões contrárias à minha com o mesmo interesse com que sigo aqueles com quem concordo. Às vezes consigo ver realmente a outra perspectiva dos assuntos e ajustar a minha opinião. Outras vezes, as palavras destes opinion makers só me fazem arrepiar a espinha (destaco aqui, como não podia deixar de ser, a senhora dona Fernanda. Quem sabe a quem me refiro, compreende porque não ponho o link, quem não sabe, está melhor assim, vai ser muito mais feliz para o resto da vida).

Um dos meus preferidos é o 2711. Argutos, perspicazes, irónicos, sintéticos e acutilantes, cativaram a minha atenção logo no início da minha carreira bloguística. Já há muito tempo que andava para dizer isto aqui, e este é o pior momento possível, fica-me mesmo muito mal falar agora no assunto, apesar de ser a pura verdade, porque esta semana, o destaque deles vai para… o Açúcar Amarelo!

Obrigada, obrigada, obrigada! Fico muito honrada. Achamos sempre que o que temos a dizer é muito interessante, mas que os outros também achem, é fantástico.

E agora, caros leitores açucareiros, fazem favor de retribuir a visita. O blogue já se encontra na barra lateral desde o início dos tempos do Açúcar Amarelo, mas o link directo fica já aqui para não perderem tempo: