domingo, 31 de julho de 2011

Longe demais

Não disse até hoje uma palavra sobre o "terrorista da Noruega". Desculpem a frieza, mas para mim não passa de um lunático mal formado com problemas muito graves de ego. A sua loucura custou a vida a quase uma centena de pessoas e para isso não há qualquer justificação.

Ver as autoridades e os meios de comunicação social ajoelhados a seus pés à espera de "esclarecimentos", "explicações" e "novos planos" parece-me doentio. Se a justiça decretou clausura total durante 4 semanas (se não estou em erro)  porque é que continuamos a dar atenção a este doido genuinamente mau? É precisamente essa atenção e esse poder que ele pretende, como esta última exigência bem atesta. O sorriso de vitória que exibe nas imagens é a prova de que estamos a agir conforme a sua vontade. Não acham que já chega?
           

Não havia necessidade

Não há dúvida, o Sporting iniciou a época. Este ano até parecemos os vizinhos da 2ª circular: capas e capas de jornais com novas aquisições, estrelas que chegam determinadas a marcar golos e ganhar campeonatos e depois, no terreno, é isto. Três golinhos a seco.
               

sábado, 30 de julho de 2011

Um pulinho à Idade Média

XV Viagem Medieval em Terra de Santa Maria
Cavaleiros e donzelas, reis e rainhas, pedintes e mulheres do povo, regateadores e mercadores, artesãos e artífices. Juntos, tomam conta do centro histórico de Santa Maria da Feira à boa maneira medieval. De 28 de Julho a 7 de Agosto.
A XV edição da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria, considerada como o maior evento de recriação histórica do país, aposta durante onze dias, numa espécie de viagem no tempo, recriando a Idade Média “através de espaços e de momentos de um quotidiano medieval”, que revelam “mentalidades e culturas” da época.
 Em destaque, este ano, os acontecimentos e personalidades que mais contribuíram para a afirmação do poder régio e soberano de D. Afonso Henriques e para a independência de Portugal.

E o documento essencial para recriar este ambiente é o livro Afonso Henriques, o homem, da autoria da minha colega blogger Cristina Torrão.
                                   

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Speedy Coelho Gonzalez

Pedro Passos Coelho diz que o Governo não perdeu tempo. Pois não. 30 dias e 235 nomeações?


A lista publicada (aqui) ainda não inclui os dados dos Negócios Estrangeiros, da Administração Interna, da Justiça, da Economia e do Emprego, da Saúde, da Educação e Ciência, da Solidariedade e da Segurança Social, para além da Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade.


Ou seja, ainda falta conhecer a maior parte.
                   

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Saramago vale menos do que o papel higiénico

A Notícias Magazine (publicada com o DN e o JN) está a celebrar a edição 1000. Como tal, resolveu elaborar uma lista das 1000 coisas que mais orgulho trazem aos portugueses. José Saramago, Nobel da Literatura, está em segundo lugar (o outro Nobel, Egas Moniz, vem em 4º).

E sabem o que ocupa o primeiríssimo lugar?

O papel higiénico. Preto. Da Renova.

Coincidência ou não, a lista também é publicada sobre um fundo absolutamente negro. Ora vamos lá a saber... Quanto é que a Renova pagou por isto?

Aliás, a quantidade de marcas quase desconhecidas é impressionante. O 25 de Abril, "Data que marca a passagem da ditadura para a democracia em Portugal. É um caso quase inédito no mundo, pois tratou-se de um golpe militar sem derramamento de sangue" ocupa o 52ª lugar, duas posições depois de uma coisa que se chama Tela Bags e dez posições atrás das famosíssimas "Máquinas Agrícolas Oesteagric". Não conhecem? Eu também não, mas dão mais orgulho do que viver em democracia.


Em 67º lugar está a Língua Portuguesa. A esta altura convém alguém ir ao túmulo do Fernando Pessoa, porque o pobre coitado deve estar às voltas. E o Camões então... só aparece em 121º. O fado está em 91º e a gastronomia tradicional só começa a parecer depois dos 80 (andam os senhores da RTP a gastar uma fortuna para escolher as 7 maravilhas...)


Só um mistério me intriga. Em 268º surge a Torre de Belém, com a descrição "Feito pela Carla Amaro". E o Francisco de Arruda a carregar com os louros estes anos todos...


A sério, vão lá ver. É o que se chama um trabalho digno de limpar as mãos à parede. Daí a importância do papel higiénico. Preto.
           

domingo, 24 de julho de 2011

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Mai nada!

Dizem por aí que Alberto João Jardim escreveu uma carta cheia de preocupação ao Presidente da República, em que defende que a receita cobrada nas regiões autónomas através da taxa extraordinária de IRS deve ficar nas ditas Regiões Autónomas e não ser canalizada para o bolo total do Orçamento de Estado.

Por uma vez, caro Alberto João, estamos de acordo. Pela mesma ordem de ideias, toda a receita obtida no continente deve cá ficar e não devemos transferir nem mais um cêntimo para as ilhas, perdão, para as regiões autónomas e praticamente independentes dos Açores e da Madeira.


Política - Fisco: "As receitas fiscais têm que ficar na Madeira", declarou Alberto João Jardim - RTP Noticias, Áudio
                                 

Silly season

Primeiro chegou a frase, que não consegui identificar. E agora o vídeo. Palavras para quê, é um artista português...


                     

De volta a Casa



              

Protegidos

A Caixa Geral de Aposentações notificou os Deputados regionais e toda a Administração Regional da Madeira para a devolução de verbas recebidas indevidamente à luz do novo regime legal que proíbe a acumulação dos vencimentos referentes a cargos públicos com as pensões ou subvenções. Mas agora, a mesma  Caixa Geral de Aposentações anulou a notificação e os seus destinatários vão poder acumular rendimentos...
Os deputados e governantes madeirenses, protegidos pelo Estatuto Político-Administrativo da Região que não deixa perder "direitos adquiridos" em matéria de "vencimentos, subsídios, subvenções, abonos e ajudas de custo", passam a ser a única excepção no novo regime que proíbe acumulação da remuneração do cargo no sector público com pensões ou subvenção vitalícia.
A decisão, incluída nas medidas de austeridade para a função pública, abrange o Presidente da República (que desde o início do ano prescindiu do vencimento do cargo), os deputados à Assembleia da República, os membros do Governo, os representantes da República, o provedor de Justiça, os governadores, os autarcas a tempo inteiro, os deputados ao PE e juízes do Tribunal Constitucional, não magistrados de carreira.
Embora não referidos no decreto-lei, os deputados e governantes dos Açores são também abrangidos por opção tomada em sede do respectivo Estatuto que adopta o regime de incompatibilidades nacional.
É a excepção que confirma a regra ou apenas uma enorme falta de vergonha?
                               

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Valter Hugo Mãe




Há quem goste de ter boas Feiras do Livro...
                                       
                       

quarta-feira, 20 de julho de 2011

É que hoje estou sem paciência para gente que sabe sempre tudo...


POEMA EM LINHA RECTA


Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenha calado, tenho sido mais ridículo ainda;

Eu que tenho sido cómico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenha agachado,
Para fora da possibilidade do soco;

Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.
Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um acto ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe . todos eles príncipes na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que, contasse, não uma violência, mas uma cobardia!

Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?

Ò príncipes, meus irmãos,
Arre estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e erróneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos, mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que tenho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

Álvaro de Campos

terça-feira, 19 de julho de 2011

Uma pedrada no charco



A Cultura está viva e manifesta-se na rua é a designação do Movimento que desde há algumas semanas está a tomar conta da cidade de Évora.

A cidade onde estudei, onde os meus filhos nasceram e onde adoraria viver e trabalhar está em ebulição. Tudo começou com uma onda de indignação pelo incumprimentos dos apoios culturais por parte da Câmara de Évora, mas hoje, é um verdadeiro festival de expressão cultural que se vive nas ruas e praças da cidade, em assembleias populares e manifestações de uma vida cultural rica e intensa.

Gosto de ver aquela que é também a minha cidade assim. Viva, dinâmica, livre, independente, sonhadora.

Para seguir atentamente, por exemplo, através do blogue A cinco tons.

             

Espíritos (pouco) livres

A Universidade Católica emitiu uma "orientação"  relativa ao código de vestuário dentro da instituição para professores, alunos e funcionários. O documento emitido pela Universidade apela ao uso de roupas adequadas à vida académica, permitindo que esta decorra "com a dignidade indispensável a uma universidade e a uma instituição da Igreja".

Como é habitual nestas questões, a medida levantou polémica e os protestos fizeram-se ouvir. E o reitor da Universidade Católica Portuguesa esclarece:


A questão - explica Manuel Braga da Cruz - foi colocada ao Conselho Académico há já algum tempo por várias pessoas e o que a universidade fez foi emitir uma recomendação. "O que se pede às pessoas é que venham para a universidade vestidas da forma mais adequada e não como se fossem para um local de diversão", (...) "Não me parece que a forma mais adequada para quem se dirige à universidade seja de chanatos ou com uma camisola do Benfica."


(Não fui eu que disse, atenção!)
                           
                               



E por falar em bibliotecas e em memórias...


Esta era a biblioteca da minha infância.

Agradeço a imagem ao José Francisco Finha.
               

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Sim, é uma boa notícia

José Manuel Cortês é o novo Director Geral do Livro e das Bibliotecas.
José Manuel Cortês foi subdirector-geral da DGLB entre Abril de 2007 e Novembro de 2009 e actualmente era assessor principal deste organismo. 
A Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas era gerida, desde Dezembro passado, pelo antigo director da Biblioteca Nacional, Jorge Couto, que cessou funções dos dois cargos.
A mesma fonte disse à Lusa que a DGLB manter-se-á como uma "entidade autónoma" e que José Manuel Cortês irá prosseguir os objectivos definidos no Programa do Governo PSD/CDS-PP, entre os quais a conclusão da Rede Nacional de Bibliotecas. 
José Manuel Cortês, de 60 anos, é licenciado em História, foi professor do ensino secundário e desde finais dos anos 1970 que está em cargos públicos de organismos culturais. Excepção feita para o momento, entre 1994 e 1996, em que dirigiu o departamento editorial da editora Dom Quixote. 
No antigo Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, participou, por exemplo, na implantação e execução de programas de apoio à criação literária e à edição. Integrou a comissão de apoio à execução do Plano Nacional de Leitura. 
O anterior Governo, socialista, tinha anunciado a extinção da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas, integrando os seus serviços na Biblioteca Nacional. 
A junção da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas com a Biblioteca Nacional estava em preparação no anterior Governo, mas não foi publicada a respectiva lei orgânica pelo que os dois organismos mantinham autonomia.
A nova lei orgânica da Secretaria de Estado da Cultura e dos organismos dela integrados deverá estar concluída até Setembro.

Retirado daqui.
              

Agora... nem que fosse oferecido.

A publicidade ao novo Ford Focus chama a atenção para o facto de o carro "estacionar sozinho". É óbvio que não é bem assim, mas publicidade é publicidade...

Curiosamente, deve ser o único anúncio de automóveis que já vi, que tem uma mulher a conduzir. Por muito que aleguem o contrário, não é uma coincidência que um carro conduzido por uma mulher loura e com ar sorridente tenha a vantagem de saber estacionar sozinho.

Pela minha parte, estão arrumados, que é como quem diz, estacionados em fim de linha. Vão vender carros para o Afeganistão se quiserem. Espero que nenhuma mulher independente, inteligente, dinâmica e activa tenha a infeliz ideia de comprar um carro que nem sequer é agradável de conduzir.
                                   

domingo, 17 de julho de 2011

Desmemoriados

O Google, ou melhor, os motores de pesquisa que tornaram a Internet uma imensa base de dados, estão a afectar a nossa capacidade de memorizar a informação. Um estudo revela agora que estamos cada vez mais a perder a competência de aprender e a compensá-la com a aptidão para encontrar a informação onde quer que ela se encontre.

No fundo, esta é também a transformação que as bibliotecas sofreram nas ultimas décadas. Deixaram de ser depósitos de informação e passaram a ser a ponte entre o conhecimento e aqueles que o procuram. Deixaram de trabalhar exclusivamente a informação contida em documentos físicos e passaram a organizar as formas de acesso ao conhecimento existente a nível global.

Sem qualquer ponta de remorso ou arrependimento pelo caminho que também ajudei a percorrer no campo das bibliotecas, é com tristeza que vejo o mesmo acontecer dentro das cabeças dos humanos. Por enquanto ainda se discute apenas a capacidade de memorizar informação, mas receio que se venha a perder também a extraordinária capacidade de lembrar emoções e afectos, sensações e cheiros.

São as memórias de todos os dias, bons ou maus, que conferem sentido à minha vida e que me dão identidade. Não seria certamente a mesma pessoa se não trouxesse em mim as lembranças das alegrias e das tristezas, dos dias de certezas absolutas e confiantes ou das noites de medos e incertezas, das escolhas afirmativas ou da aceitação resignada do inevitável.

Não me quero esquecer de nada. Tudo é demasiado valioso e importante. Tudo valeu a pena ser vivido.
                                   

Ai ai ai...

O encerramento de escolas com menos de 21 alunos irá prosseguir. Nuno Crato mostrou-se adepto desta política iniciada por Maria de Lurdes Rodrigues
Estava a achar que era tudo bom demais.
                       

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Deixem-me adivinhar: Ele não vai jogar

 Yannick Djaló: “Sporting vai fazer uma época melhor que as anteriores
           

Uma questão de credibilidade

Estou a ouvir (mais do que ver) a SIC Notícias. Está em debate o imposto extraordinário que me considera rica e me vai tirar metade do subsídio de Natal, apesar de ter 3 filhos para sustentar e contar apenas com o rendimento do meu trabalho como funcionária pública.

Já ligaram 3 comentadores. Ainda não disseram uma palavra sobre o imposto, limitaram-se a insultar o comentador que está a acompanhar o debate. A pobre da jornalista está a tentar, com a maior delicadeza possível, acalmar os ânimos e conduzir o debate para o que realmente importa, mas os indignados que ligam preferem perder tempo a discutir o acessório.

                       

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Dividocracia



Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5

Ai estão?

Um bombeiro de Grândola perdeu a vida em Setúbal depois de ter ajudado uma mulher a dar à luz na ambulância. A viatura de emergência colidiu com um automóvel, provocando a morte ao bombeiro e ferindo os outros três ocupantes, incluindo o bebé acabado de nascer.
As causas do acidente estão ainda por apurar.
Ai estão? A mim parece-me óbvio. Se os serviços de saúde básicos não fossem sistematicamente encerrados por razões puramente económicas, nada disto teria acontecido.

E acabo de perceber o que é um "óbito em excesso". Esta morte, de um homem que dedicava a sua vida a ajudar os outros, era absolutamente desnecessária e excessiva.

A pergunta que se impõe fazer

O que é um "óbito em excesso"?

Um estudo da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) revela que ocorreram mais 12.430 mortes do que o esperado ao fim de semana e à noite, ou seja 27% dos óbitos nos hospitais públicos do Continente em 2009.De acordo com o estudo, a que a agência Lusa teve acesso, o total de óbitos em excesso ao fim de semana foi de 5.998, o que representa cerca de 13% do total de óbitos hospitalares ocorridos em 2009.
Este valor, embora significativo, representa uma ligeira melhoria em relação ao analisado em 2006, quando o total de óbitos em excesso no fim-de-semana representava cerca de 16% do total de óbitos.
Podem confirmar a "notícia" na página da RTP. Mas vão continuar sem perceber nada, porque parece-me que o "jornalista" também não sabia do que estava a falar. Para mais esclarecimentos sobre esta estatística, podem ler aqui, embora continue sem perceber para que raio é que isto serve.


sexta-feira, 8 de julho de 2011

Declaração de interesses

- Sabes? Se o Euromilhões me sair esta noite, ofereço-te uma casa e uma viagem à tua escolha!
- A sério? És mesmo simpática.
- Sou, não sou? E se te sair a ti, o que vais fazer?
           

Enganadíssimos, sócio, enganadíssimos...

Fernando Nobre, do alto da integridade que o facto de ter renunciado ao lugar de Deputado lhe confere (pelo menos ele parece pensar isso)  promete agora assumir uma função fiscalizadora perante o que se passa no seu país. Para começar, foi para o Brasil e é de lá que lamenta o estatuto "tolerado, ostracizado e rejeitado" a que são remetidos os Independentes na política. Além disso, declara que todos os que o acusavam de querer um tacho, estavam enganados...

Sobre estas declarações, duas notas pessoais:
1. Lamento os estragos que este senhor, sozinho, conseguiu fazer no papel e na imagem dos independentes na política.
2. Cada vez que ouço a palavra ostracizado, lembro-me de um boneco do Herman José. Era o Canal Regional do Enterior Desquecido e Ostracizado. Realmente... CREDO!



       

Working to improve our rating


                   

quinta-feira, 7 de julho de 2011

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A palavra do dia

Lixo.

Tanta gente, todos tão espertos, tão inteligentes, tão confiantes. Tantos treinadores de bancada, tantos comentadores, tantos analistas, tantos especialistas. Tantos técnicos, doutores e engenheiros, tantas oportunidades, novas e velhas. Tantos planos e estratégias, tantas linhas de actuação e pacotes de medidas extraordinárias. Tanto betão, investimento e modernidade.

Tão poucos a produzir.
                   

Outros dias

A trovoada está de volta. Ou sempre esteve aqui, nós é que preferimos ignorá-la. Resta-nos esperar que passe e que o céu não caia em cima das nossas cabeças.

     

terça-feira, 5 de julho de 2011

Sozinho




Às vezes no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado
Juntando o antes, o agora e o depois
Por que você me deixa tão solto?
Por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho
Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
Só abro pra você mais ninguém
Por que você me esquece e some?
E se eu me interessar por alguém?
E se ela, de repente, me ganha?
Quando a gente gosta
É claro que a gente cuida
Fala que me ama
Só que é da boca pra fora
Ou você me engana
Ou não está madura
Onde está você agora?
Quando a gente gosta
É claro que a gente cuida
Fala que me ama
Só que é da boca pra fora
Ou você me engana
Ou não está madura
Onde está você agora?

Crise, FMI, blá, blá, blá

A nova Directora do FMI vai ganhar 381 200 euros anuais, o que representa um aumento de 11% em relação ao seu antecessor.

E apesar de tudo, ganha menos que o Fábio Coentrão...
                     

Jornalismo com sentido

O Público está a fazer um trabalho curioso. Durante um ano, o jornal está a acompanhar cinco famílias de diferentes pontos do país: Porto, Coimbra, Cascais, Beja e Faro. Em comum, apenas um ponto. Não é um ponto insignificante, é A Crise.

Um ano na crise retrata em jeito de diário o percurso de sobrevivência destes homens e mulheres a quem sobra Coragem na mesma proporção em que lhes falta o dinheiro que lhes permitiria viver com dignidade. Cinco lições de vida, com muitos exemplos, estratégias e truques que podem ajudar outras famílias a ultrapassar este quadro negro. E quem sabe, até pode aparecer alguém que os possa ajudar.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Já vai deixando de ter piada...

De esquerda. 

Agora sou independente e não-político. 

Afinal, sou de direita e político.

Quero ser Presidente ou nada.

Pronto, mesmo assim, fico até ao fim.

Agora não me apetece aparecer, a quem é que interessa o Programa de Governo?

Afinal... foi-se embora.

Cada vez menos Nobre, destruiu em meia dúzia de meses o prestígio que tinha levado uma vida inteira a construir (o dele e o da AMI).

Não havia necessidade.
             

domingo, 3 de julho de 2011

II Jornadas de Reflexão da BAD

Terminaram hoje as II Jornadas de Reflexão da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Dois dias plenos de diálogo, discussão saudável e construtiva, e muita conversa com amigos e companheiros de uma vida de trabalho.

Voltarei a este assunto para falar das conclusões dos trabalhos, mas hoje só quero deixar aqui um enormíssimo "Obrigada" a todos os que estiveram disponíveis para discutir a profissão e os caminhos que queremos ver trilhados aqui, na terra que eu escolhi como minha e que agora é também um pouco vossa.

Obrigada pela visita, obrigada pela simpatia, obrigada pelo carinho. Voltem sempre.



Santo Amador e outras 653, certo?

O ministério da Educação suspendeu o fecho de 654 escolas do primeiro ciclo com menos de 21 alunos. O encerramento dos estabelecimentos de ensino estava previsto para este mês, no entanto a equipa chefiada por Nuno Crato decidiu reavaliar o Plano de Reorganização da Rede Escolar elaborado pelo anterior Governo.
Parece-me muito bem.
                   

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Amanhã

                               

Recebido por email

(Texto verídico retirado de uma prova livre de Língua Portuguesa, realizada por um aluno do 9º ano, numa Escola Secundária das Caldas da Rainha, para ler, estarrecer e reflectir...!!!)


REDAXÃO 'O PIPOL E A ESCOLA'



Eu axo q os alunos n devem d xumbar qd n vam á escola. Pq o aluno tb tem Direitos e se n vai á escola latrá os seus motivos pq isto tb é perciso ver q á razões qd um aluno não vai á escola. Primeiros a peçoa n se sente motivada pq axa q a escola e a iducação estam uma beca sobre alurizadas.



Valáver, o q é q intereça a um bacano se o quelima de trásosmontes é munto Montanhoso? Ou se a ecuação é exdruxula ou alcalina? Ou cuantas estrofes tem um cuadrado? Ou se um angulo é paleolitico ou espongiforme? Hã?


E ópois os setores ainda xutam preguntas parvas tipo cuantos cantos tem 'os Lesiades''s, q é u m livro xato e q n foi escrevido c/ palavras normais mas q no  aspequeto é como outro qq e só pode ter 4 cantos comós outros, daaaah.


 Ás veses o pipol ainda tenta tar cos abanos em on, mas os bitaites dos profes  até dam gomitos e a Malta re-sentesse, outro dia um arrotou q os jovens n tem  abitos de leitura e q a Malta n sabemos ler nem escrever
e a sorte do gimbras foi q ele h-xoce bué da rapido e só o 'garra de lin-chao' é q conceguiu  assertar lhe com um sapato. Atão agora aviamos de ler tudo qt é livro desde o Camóes até á idade média e por aí fora, qués ver???


O pipol tem é q aprender cenas q intressam como na minha escola q á um curço de otelaria e a Malta aprendemos a faser lã pereias e ovos mois e piças de xicolate q são assim tipo as pecialidades da rejião e ópois pudemos ganhar um gravetame do camandro. Ah poizé. Tarei a inzajerar?