quinta-feira, 29 de novembro de 2012

“Não à extinção da Freguesia de Santo Aleixo da Restauração”


Excelentíssimo Senhor 
Presidente da República Portuguesa 

Excelentíssima Senhora 
Presidente da Assembleia da República Portuguesa 

Excelentíssima Senhora 
Provedora de Justiça 


Os abaixo assinados cidadãos portugueses, preocupados com as propostas apresentadas pelo Governo Português para a reforma da administração local, particularmente no que diz respeito à anunciada extinção e/ou fusão de freguesias, vêm por este meio solicitar a Vossas Excelências a tomada de medidas que evitem a concretização desta proposta, particularmente nos casos em que não é esta a vontade expressa nem pelos órgãos legitimamente eleitos nem pelas populações que estes representam. 

Consideram os cidadãos que subscrevem esta petição que a extinção da freguesia de Santo Aleixo da Restauração, no concelho de Moura, nada trará de positivo, contribuindo em contrapartida e de forma negativa para os seguintes factores: 

a) Incremento da desertificação e despovoamento destas terras; 

b) Desaparecimento da identidade histórica, cultural e social da freguesia, simbolizada nas suas insígnias. Santo Aleixo da Restauração desempenhou um papel fundamental e historicamente reconhecido nas lutas que no século XVII ajudaram a definir e a defender as nossas fronteiras. À população desta freguesia se deve um acto de elevado heroísmo e abnegação na defesa da Pátria Portuguesa; 

c) Redução significativa da democracia na mais pura das suas vertentes, que é a da administração autárquica, e transição para um modelo de tomada de decisão cada vez mais centralizado, contribuindo para o afastamento indesejado dos cidadãos da vida política activa e da participação cívica. 

Importa ainda lembrar que o pressuposto da poupança económica, tantas vezes apresentado como justificativo, carece de fundamento, uma vez que não desaparecem as necessidades das populações e as prestações de serviços delas decorrentes. 

Por fim, consideram os signatários que não é possível, num país livre e democrático, construir o edifício da administração local sem assegurar a necessária participação das populações que dela directamente usufruem. 

Os signatários


Para assinar a petição online, aceda a: http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=fsar2012
Para assinar o abaixo-assinado, com o mesmo teor, que será enviado às autoridades acima identificadas, dirija-se à Junta de Freguesia de Santo Aleixo da Restauração.
 

Em liquidação

A possibilidade de taxar a frequência do ensino secundário - que é obrigatório por lei - com o pagamento de propinas revela que é sempre possível ir um bocadinho mais longe no esforço concertado de destruição da sociedade em geral e da classe média em particular. Num futuro não muito distante voltaremos a ter um enorme fosso entre os muito pobres e os muito ricos, quer em termos monetários, quer no que diz respeito à educação e ao acesso à informação e à cultura. Valores como a solidariedade, a igualdade de oportunidades, a plena cidadania parecem nada significar e um dia, estas palavras até podem desaparecer do léxico, uma vez que já ninguém conhecerá o seu real significado.

Eu sei que ando numa fase em que só vejo o copo meio vazio, mas na verdade, tenho cada vez menos esperança neste país. Ainda que este governo caia, como pedem os eternos barões da sociedade nacional, encabeçados por Mário Soares, qual é a alternativa? José António Seguro e os seus voluntários, seguindo a tradição da alternância no poder entre PSD e PS? Não me façam rir que me dói a cabeça.

Estamos completamente perdidos e desesperados. Absolutamente vulneráveis e prontos a cair na conversa de um qualquer charlatão que queira ser o D. Sebastião do século XXI.
     

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Eu sabia... :)



Afinal, a história do Pinóquio não é assim tão absurda — ou improvável — quanto isso: existe mesmo uma relação entre a mentira e o comportamento do nosso nariz. Quando mentimos, o nariz não cresce mas sofre uma alteração de temperatura.

A estourar cartuxos

Madeira gasta dois milhões [de euros] nas iluminações e no fogo de artificio.
               
 

Muito preocupante

Gerou uma onde de indignação, mas sentiu-se suficientemente à vontade para propor em voz alta a elaboração de uma lista de judeus existentes no seu país, a Hungria. Não é só um maluco a falar, representa milhares de húngaros que votaram nele e em mais 43 deputados desta força política que é já a terceira mais importante do país.




segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Vá, digam lá que não sou amiguinha...


Sem contar com o acento do 'a' que está ao contrário, é uma receita para seguir à letra. Muito boa e tão fácil! Copiei daqui.

24

Em breve... :)


Eles "andem" aí!!!

A meia dúzia de esforçados voluntários que, segundo António José Seguro, se entretêm nos seus tempos livres a trabalhar nas questões do Orçamento "continuam atentos e já descobriram indícios de clara inconstitucionalidade em alguns aspectos do Orçamento, mas não há nada determinado do que se fará".

Porém, e "apesar das suas vidas profissionais", garantem que ainda lhes sobra tempo para se manterem "atentos ao que irá fazer o Presidente da República". Mesmo que depois não se determine nada sobre o assunto.


Xiiiii... Alguma vez?


Secretário de Estado do Ensino Básico: "Nas nossas escolas não há nenhuma criança que inicie o dia com fome."

Palavras para quê? É um artista português.
 

sábado, 24 de novembro de 2012

E que tal uma relocation para fora da minha sight?

Esta mocinha é tão inteligente...

À pergunta "Há quem diga que os seus livros são demasiado iguais" (eu pensava que duas coisas são iguais ou não, não dá para ser muito ou pouco, mas enfim), responde que não, que nem pensar, mas depois quando é confrontada com o facto de repetir parágrafos idênticos (apenas idênticos, nem muito nem pouco), responde: "Isso é normal, eu escrevo várias vezes as mesmas frases, as mesmas ideias. Todos os escritores se repetem. Porque é que todos o fazem e só se lembram de dizer que eu me repito?"

Quanto às opiniões, nem vou comentar. Vivemos em democracia, não há limites para a imbecilidade.
                         

Máquina do Mundo

Hoje é dia de Rómulo de Carvalho, um dos meus poetas favoritos.

"O Universo é feito essencialmente de coisa nenhuma.
Intervalos, distâncias, buracos, porosidade etérea.
Espaço vazio, em suma. 
O resto, é a matéria.
Daí, que este arrepio, este chamá-lo e tê-lo, erguê-lo e defrontá-lo,
esta fresta de nada aberta no vazio,
deve ser um intervalo. "

António Gedeão, in Máquina de Fogo
  

Prenda

Na qualidade de fiel depositária, informo os amigos e colegas (que sabem quem são) que contribuíram para a prenda de um amigo comum (que sabem quem é), que a nossa participação se materializou num casaco e 2 pares de meias :)

Para os que não tiveram oportunidade de ver o postal, fica aqui o pequeno texto de Charles Chaplin que dele constava:

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante.
             


E se um dia, de repente, te apetecer mudar de clube...

... é porque não és do Sporting. Simples.
 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O que eu acho

Acho que as pessoas falham. Todas, incluindo eu. Acho que as pessoas deviam pensar no que já fizeram antes de apontar o dedo. Ou no que não fizeram. Acho que as pessoas também deviam ver tudo o que os outros fizeram de bem e perguntar a si próprias se terão feito pelo menos o mesmo. Ou equivalente. Acho que as palavras depois de ditas já não se podem apagar. Nunca mais.

Mas isto é só o que eu acho.
 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Da amizade


Quem é nosso amigo? Aquele que sabe apreciar as nossas qualidades, que sabe captar os movimentos do nosso espírito, aquele em quem podemos confiar com a certeza de sermos compreendidos. Aquele a quem podemos confiar o nosso dinheiro e até os nossos filhos, porque tomará conta deles como se fosse seus. Aquele que nos consola mas que também sabe dizer-nos onde erramos. Aquele que nos aconselha sempre para o nosso bem e que age de forma a não nos ofender, respeitando a nossa dignidade. Aquele que não nos inveja, que não fala mal de nós e que, pelo contrário, nos defende das calúnias, dos ataques malévolos. Alguém que está sempre do nosso lado na difícil luta da vida. Que quer saber se estamos bem, mesmo quando estamos longe, e que está sempre pronto a acorrer quando pensa que precisamos dele. Que nos faz justiça quando os outros nos tratam injustamente.

A amizade é uma forma de amor, impregnada, entretecida de moralidade. O amigo está sempre do nosso lado, mas exige de nós um comportamento correcto, como o que impõe a si mesmo em relação a nós. Os amigos são iguais no afecto, nos direitos e nos deveres.

Existem três tipos de relações amorosas. As ligações fortes, as medianas e as fracas. As ligações fracas são as que estabelecemos com os conhecidos, os colegas, os vizinhos, para com os quais não experimentamos sentimentos fortes nem obrigações particulares. (…) Pelo contrário, as ligações fortes resistem ao tempo e às frustrações, como as que se estabelecem entre pais e filhos, e vice-versa. A mãe fica do lado do filho faça ele o que fizer (…) O amor de mãe está para além do bem e do mal. Mas também são fortes as ligações que se estabelecem com o enamoramento (…) 

A relação com os amigos, pelo contrário, pertence à categoria das ligações médias. Enquanto a paixão surge de improviso e, como um furacão, impele os dois amantes a viverem juntos, sacrificando ao seu amor qualquer outra relação, a amizade constitui-se lentamente através de encontros sucessivos, e cada indivíduo continua a ser igual a si mesmo. Ela não pede que as pessoas se desliguem do passado para renascerem, para constituírem uma nova entidade social que reorganiza o mundo à sua volta. Naturalmente, também os amigos têm pontos de vista semelhantes, partilham muitos valores. Mas como individualidades distintas, cada um tem o seu mundo privado, que o outro tem de respeitar e mesmo proteger. Por isso, a amizade é livre, serena, não opressiva. Por isso mesmo, porém, exige atenção e delicadeza.

(…)


 Francesco Alberoni in Viagem pela alma humana

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Realmente...


"Mas eu não quero encontrar-me  com gente louca", observou Alice.
"Você não pode evitar isso", replicou o gato. "Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco, você é louca".
"Como você sabe que eu sou louca?" indagou Alice.
"Deve ser", disse o gato, "Ou não estaria aqui".
Lewis Carroll
  

Até onde é preciso chegar?

Copiado do Facebook

Para quem pensa que só acontece longe de nós, deixem que vos conte uma coisa. No domingo à tarde, andava um homem na Praça, aqui em Moura, a perguntar se alguém precisava de gente para apanhar azeitona. Ninguém quer empregar os portugueses, só empregam grupos de romenos a quem pagam 0,05 € por quilo de azeitona. Cinco cêntimos! Precisam de apanhar 20 kg para ganharem 1 euro...

Não teve sorte, não havia ninguém. "Estou desesperado. Tenho 3 filhos em casa e hoje ainda não comeram nada."

Pensem nisto, antes de falarem mais em bifes.
                 

domingo, 18 de novembro de 2012

Maior telescópio do mundo vai ter base de ensaios em Moura


Depois da maior central fotovoltaica do mundo, Moura vai receber uma das 10 estações de antenas que vão servir de base de ensaios ao Square Kilometre Array Telescope (SKA).

Isto deve ser só um golpe de sorte. A chatice é que a sorte dá muito trabalho... muito mesmo. Tanto que há sempre quem prefira  ficar de papo para o ar e depois destilar o veneno nas esplanadas ou no facebook. São os corajosos desta vida. Ou talvez simplesmente não tenham competência para mais.
Domingos Barbosa, investigador do Instituto de Telecomunicações que tem supervisionado o processo, confirmou hoje à Exame Informática que o Parlamento Europeu inseriu ontem o financiamento do Square Kilometre Array Telespcope (SKA) no documento do novo Programa Quadro Europeu, que define estratégias e investimentos da UE entre 2014 e 2020. Esta aprovação significa que uma das bases de ensaios do maior e mais potente radiotelescópio do mundo vai ficar instalada no Concelho de Moura – mais precisamente na Herdade da Contenda.
Em janeiro, arrancam os trabalhos relacionados com o fornecimento de energia elétrica. A meados de 2013, deverá arrancar a instalação das várias antenas que vão ajudar a rastrear o universo.
Domingos Barbosa lembra que Moura não tem concorrentes à altura na Europa. «Não há outro local no nosso continente que tenha tanta exposição solar e tantas condições espetrais favoráveis», explica.
A futura estação de ensaios, que deverá ficar operacional no final de 2014, tem como objetivo testar as antenas e os múltiplos dispositivos que vão ser usados neste telescópio gigante que vai ficar disperso pela África do Sul e pela Austrália (países que vão albergar as 250 estações que compõem o SKA). Em paralelo com os testes de equipamentos, a Estação de Moura poderá funcionar como destino de peregrinação científica, podendo fornecer dados úteis a projetos de universidades, laboratórios e empresas de toda a Europa.
O projeto está orçado em 12 milhões de euros, que deverão ser aplicados na instalação de antenas e na manutenção da Estação de Ensaios durante o período de 10 anos de produção científica em condições ótimas. Em paralelo já foram garantidos, através de fundos europeus, seis milhões de euros para três anos de energia elétrica.
A candidatura tem sido liderada pelo Instituto de Telecomunicações e pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, e poderá contar em breve com o apoio da Universidade de Lisboa e do Instituto Superior Técnico. Também já foram assinados protocolos com a Câmara Municipal de Moura e com a empresa de tecnologias solares Logica EM.
Domingos Barbosa acredita que, em breve, haverá grandes empresas de telecomunicações e de tecnologias de informação que vão querer associar-se ao projeto.
...mas ainda faltam 100 mil euros
O perímetro de ensaios deverá ocupar mais de um quilómetro quadrado. Neste espaço, prevê-se que sejam instalados 10 conjuntos de 10 mil antenas. Cada conjunto ocupa um total de 144 metros quadrados cada, sendo que todas as antenas estão interligadas. No total, a nova unidade de testes deverá debitar uma média de 16 TB de dados por segundo. «O SKA vai ser o driver da indústria tecnológica durante os próximos dois ou três anos. E é natural que estes projetos se revelem atrativos para várias empresas», explica Domingos Barbosa.
Apesar de garantida a localização da Unidade de Ensaios em Moura, ainda falta saber qual a participação que os laboratórios e as empresas portuguesas vão ter nos vários projetos relacionados com o SKA. Para o efeito, os proponentes da candidatura terão de ver aprovada uma verba de 100 mil euros junto da Fundação para Ciência e Tecnologia (FCT) para poderem suportar os trabalhos relacionados com o mapeamento do local, e os requisitos técnicos de instalação dos vários dispositivos.
«Mesmo que não consigamos os 100 mil euros, a vinda da estação de ensaios para o Alentejo não fica ameaçada… mas para as entidades europeias fica a ideia de que as autoridades e as empresas nacionais não estão interessadas. O que torna mais difícil a participação nos diferentes projetos científicos», conclui Domingos Barbosa.
O SKA é um radiotelescópio, que opera de forma similar à de um radar. O projeto que envolve vários países do mundo tem como principal objetivo reconstruir o Cosmos entre o período que medeia os 100 milhões de anos após o Big Bang e a atualidade (13 mil milhões de anos após o Big Bang). A UE não só vai financiar a sua participação como assegura a participação dos países africanos.
Durante 2010, a Herdade da Contenda teve em funcionamento várias antenas, que permitiam rastrear satélites no Espaço. Com a Estação de Ensaios de Moura, vão ser instaladas antenas de muito maiores dimensões.  «O que já nos permite rastrear várias galáxias», informa Domingos Barbosa.
Retirado daqui.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Lindinho

Entrei decidida no stand na segunda quinzena de Agosto. "Boa tarde. Preciso de comprar um carro. Quero um Golf, com ar condicionado e verde. O resto não me interessa".

Os dois meses de espera transformaram-se numa semana. Havia um carro assim disponível. Só tinha um inconveniente, não tinha encosto para braços, porque era o modelo comemorativo dos 25 anos do Volkswagen Golf. "Mas é verde?" Sim, era verde, portanto fui buscar-te no dia 4 de Setembro de 2001.

Foste a minha primeira compra sozinha, o primeiro passo de uma vida a recomeçar. Foste o carro que sempre quis ter. O meu pai tinha tido um carocha, onde eu aprendi verdadeiramente a conduzir, por isso a Volkswagen impunha-se. O Golf sempre foi o modelo que mais gostei, em todas as versões que já teve e... só podias ser verde. Quando te trouxe, cheirando a novo e tão silencioso que quando parava até pensava que te tinha deixado ir abaixo, os miúdos perguntaram "Mãe, é nosso? Mãe, é dos quatro, não é? Tu dizes que tudo o que há cá em casa é dos quatro, o carro também é, não é?"

Sim, é dos quatro, mas só eu é que te conduzi. Já fizemos muitos quilómetros, tu e eu. Muitas horas solitárias pelas estradas deste Alentejo nas deslocações para dar formação. Foi aí que ganhaste a alcunha de Lindinho. Eras novo e fui a Barrancos dar formação. Estacionei-te numa rua estreitinha e perguntei a uma formanda "Fica aqui bem? Não faz mal? É que ainda é novo e é tão lindinho..." A partir daí perguntavam-me sempre "Então, onde estacionou hoje o Lindinho?" E pronto, ficaste com o nome.

Já pensei em trocar-te. Já não vais para novo e a vida é mesmo assim. Não te troquei ainda por causa deste dia que hoje chegou. O dia em que vais ter outra pessoa a conduzir-te. Guardei-te e estimei-te para que agora cumpras com a minha filha o que cumpriste sempre comigo. Mantém-te à altura dos desafios, mas nunca falhes na segurança, como nunca falhaste comigo. Cuida dela, como cuidaste de mim. Eu prometo que não a deixo pôr gasolina que não seja 98 :)

Este não é o meu lindinho. É um irmão gémeo londrino, em Portobello Road.





quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Ontem jogou a Selecção

A melhor parte do jogo da Selecção Nacional de ontem foi o facto de não ter sido suficiente para abafar as notícias. É talvez a primeira vez em que isto acontece, em que os portugueses (a comunicação social) se preocupam mais com o que se está a passar no país do que com os pontapés que a bola levou no longínquo Gabão.

A segunda coisa melhor, pelo que percebi, é que se tratou de uma espécie de digressão e que a Federação Portuguesa de Futebol recebeu um cachet de 800 mil euros que pretende aplicar no velhinho Estádio Nacional. Podíamos pôr estes rapazes a render mais vezes, para pagarem com o corpinho as dívidas que os estádios do Euro 2004 continuam a acumular. O que acham?
 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A anedota do dia

A cela onde Vale e Azevedo passou a sua primeira noite em Portugal depois de quatro anos em Londres era “muito bera”, declarou esta terça-feira a advogada do antigo presidente do Benfica. Luísa Cruz criticou o facto de nem sequer haver casa de banho na cela do Estabelecimento Prisional de Lisboa.

Pois, pois... Estamos todos tão preocupados! Nem temos mais nada em que pensar.
   

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Em greve

Sim, faz-me falta o dinheiro que me descontam do ordenado. Além das despesas habituais - casa, luz, água, telefone e televisão - cá em casa há 4 pessoas e todas são estudantes, com os encargos inerentes. Sim, gosto do meu trabalho, faço-o com prazer. Trabalhar para mim não é um sacrifício. Sim, sou responsável, empenhada e orgulho-me de ter brio profissional.

É por tudo isto que exijo respeito pelo meu trabalho. É por tudo isto que quero que os meus filhos cresçam numa sociedade mais justa. Pode não adiantar nada, como muitos dizem, mas eu terei a consciência tranquila. Discordo do rumo que está a ser seguido e manifesto o meu desagrado. O mesmo não se pode dizer daqueles que para não perderem um dia de salário, se arriscam a perder todos os direitos que são devidos a quem diariamente contribui para o seu país. 

E até pode adiantar alguma coisa, e nesse caso, os tais que não podem prescindir de um dia de salário não precisam de agradecer. Estamos cá para isso.


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Leprosos ou selvagens? Ou ambos?



Batalhões de militares, estradas em redor sem um único carro a passar, mais militares, meia dúzia de pessoas a  espreitarem por cima do ombro dos membros do corpo de intervenção. A imagem que Merkel levou de Portugal foi esta: um povo açaimado pelas forças de segurança, um país de selvagens que precisam de ser mantidos a quilómetros de distância por não serem capazes de se comportar como seres civilizados. À sua volta, um deserto. Nem Obama mereceu tanto aparato.

O esquema de segurança montado para hoje foi revoltante. Que me interessa a mim que a senhora dos mil casacos iguais tenha vindo a Portugal? Quem montou este espectáculo foi a comunicação social, com a ameaça constante da indignação dos portugueses. Acaso não sabem que o povo é sereno? E quanto custou ao país este esforço monumental de segurança? Quem vai pagar isto?

Esperem, deixem-me adivinhar! Somos nós, não somos? Nós, os que hoje fomos tratados como leprosos ou bandidos perigosos. Irra, que é demais!

"União"

O processo lançado pelo "Governo Relvas" implica mexidas em cerca de 1800 freguesias, segundo as propostas e pareceres da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa, apresentadas à Assembleia da República no dia 5 de Novembro. Apesar da vontade expressa em contrário pela Câmara e pela Assembleia Municipal, o que se pretende para o nosso concelho é a redução de 8 para 5 freguesias, da seguinte forma (a laranja estão as freguesias que podem ser extintas):


domingo, 11 de novembro de 2012

O que é isto???

Afinal os alemães são nossos amigos. Impediram que este vídeo, sugerido por Marcelo Rebelo de Sousa, fosse transmitido na Alemanha e permitiram que preservássemos alguma dignidade. Infelizmente, os portugueses insistem na asneira e vão projectá-lo em Lisboa amanhã, durante a visita de Merkel.



Ainda por cima, Marcelo e Cª nem tiveram imaginação. O guião é o mesmo deste filme, mas conseguiram transformar uma ideia gira e divertida num rastejar sem dignidade perante a minorca Angela Merkel.

Infelizmente, não são os únicos. Estes tristes também fizeram um vídeo e até agradecem à "Querida Angela", porque se não fosse por ela, não tinham a oportunidade de conhecer o seu próprio país. Tristes, mesmo tristes.



sábado, 10 de novembro de 2012

Violência doméstica

A relação do governo com o país assemelha-se cada vez mais a um caso de violência doméstica. Fora de portas, parece ser correcto e respeitador, mas mal entra em casa, maltrata e agride quem apanha pela frente. A quem é que se apresenta queixa nestes casos?
   

Ordinary world




What has happened to it all?
Crazy, some'd say
Where is the life that i recognize?
Gone away
           

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Não vos cheira a naftalina?



Das profundezas do baú de recordações do Estado Novo, aí está ela, a Senhora Dona Isabel Jonet. Tão caridosa, a ajudar os pobrezinhos... e a pensar que eles só têm o que merecem porque gastaram o que não tinham.

Ir a um concerto e esperar que o Estado pague a radiografia de um aluno que cai numa aula de ginástica (onde até está a coberto do seguro escolar)? Que ideia mais ridícula! Quase tão ridícula como gastar dinheiro com atum, arroz e leite de que não preciso para oferecer ao banco alimentar.
 
Visto aqui.

Ufa!!!


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

É oficial

Estou doida. Só posso estar mesmo doida. Deve ser algum tipo de esgotamento ou coisa assim. No mundo em que eu vivia antes de endoidecer as pessoas faziam coisas razoáveis e éticas, cumpriam a lei ou os dez mandamentos e os jornais não traziam notícias destas:
Arquivos secretos do Estado podem ser entregues a privados
Assassinos a soldo matam cidadãos cancerosos na Grécia,
até porque os desempregados gregos deixaram de ter direito a atendimento médico
E claro, os Estados Unidos podem eleger Mitt Romney como Presidente...
Ou eu estou doida, ou o mundo está roto e chove como na rua.

Oh my God!

Fiquei acordada até tarde. Não conseguia dormir. Acordei de madrugada e vi-o em directo. O discurso de vitória de Barack Obama em Chicago. Achei que era um momento histórico. A América tivera a coragem que eu não esperava ver, principalmente depois da desilusão de 2000. Oito anos depois, o mundo a mergulhar de cabeça numa crise que perdura e ameaça levar-nos a todos, consequência da política de desregulamentação económica do Bush júnior, a América escolhera um democrata. Mais: a América escolhera um homem que não cumpria nenhum dos cânones da cartilha política e que ainda por cima era negro.

Talvez seja prudente confessar que não tenho os americanos em grande conta. Ok, é um preconceito, mas considero-os na generalidade um bocadinho burros. Burros mesmo a dar para o estúpido, não para o ignorante. Ainda por cima, sem tradição nem História, acham-se donos da cultura do mundo, apesar de não conseguirem articular duas frase seguidas sem dizerem f*** ou Oh my God!. Talvez chegue para um diploma de RVCC, mas pouco mais. Por isso, achei pouco provável que resistissem a eleger McCain, mais aquela terrorista da moral chamada Sarah Palin. E no entanto, conseguiram superar-se e surpreenderam-me.

Muitos dos meus amigos discordavam da esperança que eu tinha em Obama. "Vais desiludir-te, ele é igual aos outros". Talvez, mas de certeza, menos igual que McCain e de certeza, menos igual que Romney.

Como é que é possível que agora as sondagens estejam empatadas? Como é possível que os Estados Unidos possam voltar a ter um presidente republicano, apostado em prosseguir políticas económicas desastrosas, em ceder aos lobbies do petróleo deitando por terra todo o esforço desenvolvido nas energias renováveis, para explorar até ao esgotamento as reservas naturais do planeta? Como é que é possível elegerem um homem que acha que as janelas dos aviões deviam abrir? Como é possível votar num político que já anunciou - e faz bandeira disso - que a maioria republicana do senado vai boicotar toda a acção dos democratas, caso estes consigam vencer? Que género de atitude é esta? Se não o deixarem ganhar também não os deixa brincar, é isso?

O mandato de Obama não foi o oásis, mas agora a sério e a menos de 24 horas da possibilidade de eleger Romney para presidente do país mais poderoso do mundo, tenho de perguntar are you f***ing kidding me?


sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Sandy

Coitados, pois, coitados dos norte-americanos que viram a sua vida e propriedade destruída pela violência do furacão Sandy.

É que não se compreende, como é que um furacão que passou por Cuba, Jamaica, Haiti e República Dominicana, deixou estes países (sem infraestruturas) intactos, e só destruiu os Estados Unidos... É preciso má-vontade, não é?

Ou será apenas uma questão de má informação? Ninguém quer saber realmente o que aconteceu aos países mais pobres, pois não?

Sandy em Cuba

Sandy na Jamaica

Sandy no Haiti

Sandy na República Dominicana
   


Igreja de S. Francisco

Após as obras de reabilitação no reforço estrutural do edifício, reparação das coberturas e pintura exterior, foi ontem reaberta ao público a Igreja de São Francisco, em Moura.


Fotografia retirada daqui.