quinta-feira, 22 de maio de 2014

Tranglomango

Ultimamente tenho falado várias vezes nesta história e pouca gente sabe do que estou a falar. Uma amiga acabou de a publicar no Facebook e eu aproveitei. Aqui fica.

Eram doze moças donzelas
todas forradas de bronze
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão onze.

Dessas onze que elas eram
foram lavar os pés
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão dez.

Dessas dez que elas eram
foram cavar numa cova
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão nove.

Dessas nove que elas eram
foram amassar biscoito
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão oito
.
Dessas oito que elas eram
todas usavam barrete
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão sete.
Dessas sete que elas eram
foram cantar por dez réis
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão seis.

Dessas seis que elas eram
fecharam a porta ao trinco
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão cinco.

Dessas cinco que elas eram
comeram arroz com pato
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão quatro.

Dessas quatro que elas eram
voltaram lá outra vez:
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão três.

Dessas três que elas eram
foram lá por essas ruas:
deu o trangalomango nelas
não ficaram senão duas.

Dessas duas que elas eram
foram apanhar caruma
deu o trangalomango nelas
não ficou senão uma.

Dessa uma que ela era
foi viver para a cidade
deu o trangalomango nela
não ficou senão metade.

Dessa metade que ela era
foi brincar com um pião
deu o trangalomango nela
acabou-se a geração

Sem comentários:

Enviar um comentário