quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

"Peaners"

Segundo contas que vi por aqui, "no cenário mais extremo" cada português terá de pagar 550 euros se os gregos decidirem não pagar a dívida grega. É muito? Não, é uma esmola, comparada com todos os muitos 550 euros que mensalmente me roubam do ordenado há mais de 3 anos, já para não falar nos chamados subsídios (que na realidade fazem parte do ordenado, apenas eram "amealhados" pelo Estado com uma estratégia de divisão do ordenado anual em 14 prestações em vez das 12).

Enquanto os 550 euros que supostamente darei aos gregos servirão para restituir a electricidade à casa de 300 mil famílias que vivem à luz das velas por incapacidade de pagar a conta da luz, os (ora, assim por alto... 550x12x3 é igual a...) 19 800 euros que já paguei desapareceram em buracos para os quais também não contribui: BPN, BES, TGV e outras tretas. E para quê?

Até pode ser uma desilusão ver este novo governo grego implementar o seu programa, mas a lufada de ar fresco que se fez sentir por essa Europa fora, a simples possibilidade de pensar que pode haver um caminho diferente, já fez tudo valer a pena.

Podem dar os meus 550 euros aos gregos. Descontem também os dos meus filhos. Comparando com o que já me roubaram, como diz o outro, são "peaners".

Sem comentários:

Enviar um comentário