sábado, 5 de dezembro de 2015

A felicidade num saco de supermercado

Acabaram de sair. Um pai, duas filhas e um saco de supermercado carregado. Antes deles já tinham saído os meus amigos, o Gui e a Gui (chamemos-lhes assim) com a mãe. Um saco de pano a abarrotar e mãe a protestar "Não podemos levar mais, viemos a pé!"

A rotina repete-se todos os sábados. Pais ou mães, filhos e sacos cheios. Entram e descarregam os sacos. Os miúdos estão impacientes  por isso sobem logo as escadas enquanto a colega da portaria fica a fazer as devoluções.

Desaparecem entre as estantes da sala de leitura. Ouvem-se muitas conversas. "Olha este, pai!", "Esse já leste, não te lembras?", "Mas eu quero outra vez!". De vez em quando vêm perguntar qualquer coisa. "Tem livros de Natal?" ou "Onde estão os livros dos dinossauros?"

Depois fazem o percurso inverso, com os sacos carregados. Dizem que é o abastecimento para a semana que se segue.

Não consigo deixar de ficar emocionada. Tenho vontade de lhes pedir para os fotografar enquanto se afastam. Um pai ou uma mãe, os filhos e um saco com uma semana inteira de histórias lá dentro.

Sem comentários:

Enviar um comentário