quarta-feira, 22 de abril de 2015

23 de Abril é Dia Mundial do Livro



A UNESCO declarou o dia 23 de Abril, tradicionalmente dedicado a São Jorge, como Dia Mundial do Livro.

Segundo a lenda, São Jorge matou o dragão que atemorizava o povo, e do sangue do dragão nasceu uma rosa que o santo deu de presente à sua princesa. Por isso, nesta data manda a tradição que os cavalheiros ofereçam uma rosa vermelha às suas damas. Em troca, estas devem oferecer-lhes um livro.

Assinala-se também neste dia a morte de dois dos mais famosos escritores de sempre: William Shakespeare e Miguel de Cervantes.

Para assinalar a data, a Biblioteca Pública de Évora promove a iniciativa "Blind date with a book". Há livros que se querem dar a conhecer e que estão à sua espera. Visite-nos!

domingo, 19 de abril de 2015

Haverá alguém para quem esta imagem seja conveniente?


A mim não me convém nada. Aliás, estou muitíssimo irritada. Andava eu toda ofendida com a observação infeliz do locutor da Rádio Comercial que diz que já ninguém vai a bibliotecas, porque são sítios fora de moda, afinal a entidade que tutela as bibliotecas públicas pensa da mesma forma...

A notícia é má e mal elaborada. Pega em informações soltas e desconexas, mistura tudo e põe um título para chamar a atenção. Mau jornalismo, feito de forma preguiçosa e que de uma só penada destrói todo o trabalho de advocacy que andamos a tentar fazer em defesa das bibliotecas públicas.

Se isto já é mau, o que está na génese da notícia é pior. Números jogados ao acaso, a tentar provar que a culpa disto tudo é das câmaras municipais que não investem nas suas bibliotecas. Este jogo do empurra já cheira mal e só prejudica as bibliotecas públicas. 

Faz-se crer que só uma grande injecção de dinheiro pode salvar o sector. Organização, trabalho de campo, ouvir e acompanhar os bibliotecários: zero! Agora vamos encomendar mais um estudo (baratíssimo, com certeza) para conhecer os não-leitores (!). Aos leitores não se liga nenhuma, esquecendo que a melhor publicidade é o passa-palavra. Um leitor satisfeito trará sempre mais cinco novos leitores, mas isso deve ser só na minha biblioteca, que apesar de ser pública, não faz parte da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, por isso os meus leitores não contam para nada.

Acho que vou escrever a estes senhores do Brasil, para lhes esclarecer esse ponto. Não me revejo nesta notícia e faço questão de o deixar bem claro.

Aos colegas deixo um desafio: A menos que isto seja verdadeiro para as vossas Bibliotecas, manifestem-se, que isto é inadmissível.


sábado, 18 de abril de 2015

Não se arranja um dicionário lá para a secção?



O que é a extra-munção?

Podem, por favor, verificar pelo menos se as pessoas não são analfabetas antes de as porem a escrever rodapés de notícias?

Irra, que é demais!

terça-feira, 14 de abril de 2015

6 anos



Este blogue, praticamente moribundo ou pelo menos em estado pré-comatoso, faz hoje seis anos.

Já me passou pela cabeça encerrá-lo, mas sei que não é isso que quero. É preciso redefini-lo, porque o espírito com que nasceu já não faz sentido. A conjuntura mudou porque a minha vida mudou profundamente. A vontade de escrever mantém-se mas confesso que a existência de gente mal-formada que vem para a internet destilar ódio a coberto do anonimato me arrefeceu o ímpeto.

Por enquanto mantemos a casa aberta, vamos ver no que dá.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

A cada leitor, seu livro. A cada livro, seu leitor.



Fui à Rodoviária levar a minha filha mais velha.Enquanto esperávamos, olhei à volta. Uma senhora sentou-se, tinha um livro na mão. Pareceu-me ver uma cota igual às da BPE, quando ela virou o livro. Olhei para o topo, vi o carimbo da BPE, confirmei. É um livro nosso, nas mãos de uma leitora. Disse à Inês: Aquele livro é da Biblioteca.

Olhei novamente para a senhora. Enquanto passava os olhos por algumas linhas do livro, sorria com ar satisfeito. Eu e a minha filha dissemos ao mesmo tempo: Está tão contente! E eu fiquei de coração cheio.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Pedro

Convívio difícil,  com o Pedro que às 9h28 de hoje completa 17 anos. Momentos de calma e tranquilidade exasperante para quem anda a mil como eu, a contrastar com a obstinação e teimosia sem igual de certos dias. Tudo temperado com um sentido de humor impagável, quando está bem disposto, e mordaz quando está contrariado.

Teve a sorte de nascer no mesmo dia que Hans Christian Andersen e o azar de ter de competir sempre com as actividades da biblioteca para a comemoração do Dia do Livro Infantil.

Este ano, o dia é só teu. Parabéns filho!