sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Pérolas

Caminhavam à minha frente. Ele vinha de chinelos e mãos nos bolsos dos calções, ela trazia o braço esquerdo enfiado no braço dele e com a mão direita segurava a menina. Ele olhou para cima e disse com o ar de enfado que caracteriza quem é muito mais esperto do que os outros todos:

- Estes gajos estão a fazer obras e não substituem as madeiras das janelas.

Ela ainda ergueu o queixo, mas o assunto não lhe interessava, pelo que nem se dignou responder. Ao lado, a menina deu uns saltinhos e disse:

- Eu já vim a esta biblioteca, com o ATL!

Ninguém reagiu. A criança repetiu:

- Eu já vim a esta biblioteca, com o ATL!

Nada. Mais uma tentativa:

- Olha, olha! Eu já vim a esta biblioteca com o ATL!

A mãe finalmente abriu a boca e ditou a sentença:

- Deves ter vindo sozinha! Com isto da internet, quem é que quer ir à Biblioteca? Deve estar vazia.

Escusado será dizer que lhe respondi. Está de facto vazia de gente ignorante e que não quer aprender.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...