terça-feira, 30 de dezembro de 2014

António

Chegaste de mansinho. Um dia entrei em Cimélios e tu estavas lá, sentado naquela que haveria de se tornar a tua cadeira. Não me lembro quando foi a primeira vez que te vi. Lembro-me da andar a instalar o software e te pedir desculpa pelo incómodo, sempre a entrar e sair da sala e a falar com a colega, num espaço tradicionalmente votado ao silêncio.

Depois comecei a encontrar-te quando saía a correr, sempre atrasada, para almoçar. Por essa hora, tu já tinhas almoçado e estavas ali pelo átrio, a falar com os colegas. Todos pareciam conhecer-te e todos me vinham fazer pedidos:
"Podemos deixar entrar o Dr. António antes das 9 e meia? Ele precisa de aproveitar o tempo."
"Podemos deixar os documentos do Dr. António na passagem na sexta-feira à noite? Ele assim aproveita o sábado de manhã para trabalhar"
"Podemos digitalizar alguns fólios para o Dr. António? Ele mora tão longe, vai a casa, precisa de levar material para trabalhar".
E um dia,"podemos convidar o Dr. António para o jantar da Biblioteca? Ele está cá sozinho..." E tu foste e acabaste a noite a tentar convencer-me que ficar sozinho não é opção. Mas era a minha opção.

A seguir foram os convites para um café. Hoje não, porque estou cansada. Hoje não, porque tenho que fazer. Hoje não, porque tenho visitas. Hoje não, porque não posso. Hoje não, porque não tenho coragem. Mas não desististe, nem mesmo quando eu insistia em complicar as coisas.

Sim, sei que te estás a rir por eu ter escrito esta frase no passado. Eu ainda complico as coisas, não é? Ainda tenho medo, ainda acho que estas coisas não me acontecem, ainda vou, no meio dos dias felizes, buscar as minhas pedras e reconstruir a minha muralha. Mas esbarro em ti, porque tu estás lá.

Parabéns!  Um beijo.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Férias e não só

Depois de 14 dias de férias"oficiais" mas muito pouco reais, chega por fim o dia em que vou verdadeiramente descansar, curiosamente quando passa precisamente um ano sobre o dia em que mudei a minha vida para Évora.

Só  tive um ano tão bom como este e dificilmente terei outro assim. Não tenho coragem de pedir um ano melhor. O ano novo trouxe-me o trabalho pelo qual esperei a vida inteira e o Verão trouxe-me a vida à qual julgava já não ter direito. Estou pronta para o novo ano, cheia de vontade de "fazer o que ainda não foi feito".

A todos os amigos e conhecidos desejo Festas Felizes e que 2015 seja tão bom e generoso para todos como este 2014 foi para mim. Saúde!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Convite | Apresentação de livro

A Biblioteca Pública de Évora convida-o/a para a apresentação em Évora do novo livro CRÓNICAS DE DIAS DE DESESPERO, da autoria do Professor Santana Castilho, que decorrerá na Sala de Leitura da BPE, no dia 17 de Dezembro de 2014, entre as 16h30 e as 18h30.

A apresentação é uma organização da Comissão de Curso da Licenciatura em Ciências da Educação da Universidade de Évora, da Biblioteca Pública de Évora e Edições Pedago.

Contamos com a sua presença!


sábado, 13 de dezembro de 2014

Bonecos de Santo Aleixo na BPE



A Biblioteca Pública de Évora orgulha-se de apresentar os Bonecos de Santo Aleixo. Os espectáculos decorrem de 15 a 20 de Dezembro (segunda a sábado) sempre às 18:30 horas. Do reportório a apresentar destacamos o “Auto do Nascimento do Menino Jesus” e o “Passo do Barbeiro”, peças que integram o reportório tradicional, transmitido à “família” de bonecreiros do Cendrev pelo Mestre António Talhinhas que com eles trabalhou durante mais de quarenta anos.

Michel Giacometti referia-se aos bonecos nos seguintes termos: “Os Bonecos de Santo Aleixo pertencem a um tipo que é antepassado de toda a espécie, se bem que as actuais figuras de pau não sejam senão a cópia, datando apenas de 1940, dos modelos originais de que se conservam os caracteres arcaicos até na movimentação executada quase exclusivamente por meio de um varão. Na verdade, nada se conhece comparável a este espectáculo, pelo menos na Europa Ocidental, onde as famosíssimas marionetas que sobrevivem na Bélgica e na Sicília não possuem a tal ponto estas qualidades de rigor e fantasia na expressão, nem tão pouco esta virtude rara de salutar agressividade.”

As práticas artísticas continuadas e consequentes são determinantes para o desenvolvimento cultural dos povos e, se essas práticas enquadrarem também matrizes da nossa própria identidade, os processos de trabalho ganham, seguramente, sentidos redobrados uma vez que se preserva a memória colectiva, ou seja, o nosso património cultural.

As marionetas ocupam mais uma vez lugar de destaque no meio dos livros. Esta acção é uma parceria entre o Cendrev e a Biblioteca e conta com o apoio do INALENTEJO, no âmbito do projecto Bonecos de Santo Aleixo – Um Património a Preservar.

O PASSAPORTEATRO, na versão estudante e também na versão assinatura, é válido para estes espectáculos. As reservas podem ser feitas através do telefone 266 703 112 e têm de ser levantadas uma hora antes de cada sessão. Os bilhetes podem ser adquiridos no Teatro Garcia de Resende ou na Biblioteca Pública de Évora2.

Contamos com a sua presença!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Convite | Apresentação de livro

A Biblioteca Pública de Évora apresenta o livro “A Árvore que Paria Meninos”, de Marco Taylor, no próximo dia 13 de Dezembro, pelas 16h30.

Contamos com a sua presença!


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A Primeira Guerra Mundial e a Sociedade Portuguesa: Evocar e Conhecer

A Biblioteca Pública de Évora acolhe amanhã, 12 de Dezembro, o Colóquio “A Primeira Guerra Mundial e a Sociedade Portuguesa: Evocar e Conhecer”, organizado pelo Departamento de História da Universidade de Évora.

Além do Colóquio, assinalando a passagem do centenário sobre o início da I Guerra Mundial, a cidade de Évora acolhe, a partir de 12 de Dezembro e até 31 de Janeiro, uma Exposição partilhada sobre os “Ecos da Grande Guerra”, que conta com núcleos na Sala de Exposições da Biblioteca Pública de Évora, no Arquivo Distrital de Évora e na Direcção do Comando de Instrução e Doutrina do Exército Português.

Contamos com a sua presença!


Casa à procura de dono

Rua de Arouche, Moura

5 quartos, sala, cozinha, casa de banho, arrecadação/lavandaria e 2 arrecadações no quintal. O melhor de tudo são as tangerinas doces, doces que a tangerineira do quintal dá.
Há por aí interessados? 
Contactos, esclarecimentos e visitas através da Predial Alentejana Mediação Imobiliaria (Praça Sacadura Cabral, em frente à Câmara Municipal de Moura, ou através do telefone 919385103).

Reboot

Que este blogue anda abandonado, já se sabe... Não sei se recuperará, mas é um projecto que gostava de manter.

O facto de não escrever faz-me pensar no que me motivava antes. Por que razão não continuo a falar sobre os mesmo temas?

É simples: deixou de fazer sentido. Sempre que penso em escrever alguma coisa, acabo por desistir. Afinal de contas, que importa aos outros o que penso sobre isto ou aquilo? Sou apenas uma entre sete biliões, a quem interessa a minha opinião?


Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...