quinta-feira, 31 de março de 2011

Em contramão


A imprensa espanhola compara o nosso Primeiro a "um condutor que avança a alta velocidade numa auto-estrada em contramão, convencido que todos os outros é que estão errados". E no entanto, é quase certo que os portugueses vão voltar a elegê-lo para formar Governo.

Sócrates preparou tudo cuidadosamente. Percebeu a fraqueza de Passos Coelho, encostou-o à parede e obrigou-o a assumir uma posição à qual ele apenas poderia reagir com o pedido de demissão.

Passos Coelho não está pronto e Sócrates sabe-o bem, por isso antecipou e precipitou a realização de novas eleições. Passos Coelho também sabe que não está pronto, por isso dá tiros sucessivos nos pés para que os portugueses não votem nele e não o obriguem a ser o homem do leme de um barco completamente desgovernado.

E entretanto, o país segue, cada vez mais, à deriva.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Wherever, whenever, menos no estádio do Real Madrid

As músicas da cantora Shakira foram proibidas nos intervalos e nos momentos que antecedem os jogos no estádio Santiago Bernabéu. Os adeptos e as adeptas do Real Madrid vão deixar de poder abanar a anca ao som da música da cantora colombiana, alvo de censura.

A razão é simples e indiscutível. Shakira cometeu um crime imperdoável em território merenge: Namora com um jogador... do Barcelona!

A tua sorte, Shakira, é que o Açúcar Amarelo é contra a censura, eu deixo-te cantar. E além disso, também sou do Barça...

P'ra trás!!!

Os partidos da oposição uniram-se hoje mais uma vez no Parlamento para revogar (com os votos contra do PS) o decreto-lei aprovado na semana passada enquanto todos estávamos distraídos com a queda do Governo, e que aumentava os limites para a autorização de despesa por parte do Estado, autarquias, institutos, fundações, associações e empresas públicas.

Assim, voltam a estar em vigor os limites estipulados anteriormente, conforme decreto-lei de 1999.

Caso para dizer, "Oposição unida, ninguém a leva de vencida"...

terça-feira, 29 de março de 2011

Formação "Leitores para a Vida"



Blogues e Wikis

Terça-feira, 29 de Março de 2011
17h30, Escola Secundária de Moura

Quinta-Feira, 31 de Março de 2011
17h30, Escola EB 2,3 de Moura

Feira do Livro de Moura e Moura BD 2011

22 deAbril a 8 de Maio 2011
Praça Sacadura Cabral
Moura



     31ª Feira do Livro                                  17º Salão Moura BD




22 de Abril

14h00 | Ruas da Cidade
Gigabombos

15h00 | Espaço da Feira
Inauguração da Feira do Livro e do Moura BD
Visita aos diferentes espaços onde há actividades a decorrer

21h30 | Espaço da Feira
O canto dos poetas


23 de Abril
Dia Mundial do Livro

10h00 - Sala Ensaios CTC
Oficina de chocolates de Páscoa - chocolate colorido
(inscrição gratuita)


11h00 | Espaço da Feira
Contos dos 4 cantos: O velho, o moço, o burro e as vozes do mundo

15h00 | Sala Ensaios CTC
Oficina de chocolates de Páscoa - chocolate tradicional
(inscrição gratuita)

15h00 | Espaço da Feira
Contos dos 4 cantos: O velho, o moço, o burro e as vozes do mundo

Espaço da Feira | 16h30
Apresentação dos Catálogos de Osvaldo de Sousa "Os viajantes de papel" e "Agim Sulaj"

Espaço da Feira | 17h00
Apresentação pública do livro O amor infinito que te tenho, de Paulo Monteiro

17h30 | Espaço da Feira
Encontro com o escritor João Tordo, vencedor do Prémio Saramago em 2009

19h00 | Espaço da Feira
Lançamento do livro "Mulheres coragem"de Miguel Oliveira

21h30 | Espaço da Feira
Vip Manicure em crise / com Ana Bola e Maria Rueff


24 de Abril

11h00 | Espaço da Feira
Contos dos 4 cantos: Estória da galinha e do ovo

Espaço da Feira | 15h00
Geminação Moura BD / Salão BD de Granada
Início da Festa da Caricatura
Associação da CMM à FECO Portugal
Debate sobre o Humor em Portugal e em Espanha

17h30 | Espaço da Feira
Contos dos 4 cantos: Estória da galinha e do ovo

21h30 | Espaço da Feira
Tributo a Zeca - Espectáculo comemorativo dos 37 anos do 25 de Abril


25 de Abril

18h30 | CTC
Poemas de Abril / ACSTCMM

21h30 | Espaço da Feira
Quarteto eléctrico

26 de Abril

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

CTC | 16h00
Sessão juvenil de cinema de animação

21h30 | CTC
Apresentação do Portal da Rede Concelhia de Bibliotecas
Cerimónia de Entrega de diplomas aos Padrinhos de Leitura


27 de Abril

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

16h30 | Espaço da Feira
Actividades da Semana da Leitura (participação das Escolas do Concelho)

CTC | 18h30
Projecção de filmes de animação da autoria de André Infante, com música ao vivo

21h30 | Espaço da Feira
Apresentação do livro "Reflexos de uma guerra inútil" da autoria de Mariazinha Camacho, com a participação da Universidade Sénior de Moura


28 de Abril

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

CTC | 16h00
Sessão juvenil de cinema de animação

21h30 | Espaço da Feira
Serão de contos “Sem reis nem rainhas


29 de Abril

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros
16h30 | Espaço da Feira
Actividades da Semana da Leitura (participação das Escolas do Concelho)

18h00 | Espaço da Feira
Apresentação do livro Pensar.te de Rui A. Pereira

18h30 | Espaço da Feira
Atelier de dança sevilhana
(inscrição gratuita)

21h30 | Espaço da Feira
Espectáculo de música e dança com o grupo Al-Mouraria


30 de Abril

Biblioteca | 10h30
Workshop Cinema de Animação
(inscrição gratuita)


10h30 | Sala Ensaios CTC
Final distrital do Concurso Nacional de Leitura - Provas eliminatória do 3º ciclo

11h30 | Passeio de barco na Albufeira de Alqueva para os participantes no concurso
            (oferta da firma Aquaspace)

15h30 | CTC
Final distrital do Concurso Nacional de Leitura - Provas finais

Biblioteca | 16h00
Workshop Cinema de Animação

18h00 | Espaço da Feira
Raízes do Sul

21h30 | CTC
Que vergonha rapazes! / Miguel Guilherme


1 de Maio

Biblioteca | 10h30
Workshop Cinema de Animação

11h00 | CTC
Atelier para bebés
(inscrição gratuita)
Espaço da Feira | 15h00
Apresentação pública do livro 20 anos de humor de Carlos Laranjeira

CTC | 16h00
Workshop Cinema de Animação – Projecção

16h30 | Espaço da Feira
Concerto de Aniversário da SFUM Os Amarelos

19h00 | CTC
Exibição do filme "Neste mundo livre" / Associação Cultural e Social dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Moura

21h30 | Espaço da Feira
Coisas do ser e do mar / Contrabando


2 de Maio

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

10h00 | Biblioteca
Quando a mãe grita - Atelier sobre literatura infantil para público infantil

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

CTC | 21h30
Sessão de cinema de animação para público adulto "Premiados do Cinanima 2010"


3 de Maio

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

CTC | 16h00
Sessão juvenil de cinema de animação

21h30 | Espaço da Feira
Vozes e Percussões / Conservatório Regional do Baixo Alentejo


4 de Maio


9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

CTC | 10h30
Sessão infantil de Cinema de animação

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h30 | CTC
Leitores para a Vida: Encontro Regional de Bibliotecas
(com a participação da escritora Ana Saldanha)

21h30 | CTC
Exibição do filme "José e Pilar"


5 de Maio

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

15h00 | CTC
Encontro com a escritora Ana Saldanha

21h30 | CTC
Coro da Câmara de Beja

6 de Maio

9h30/12h30 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros

10h00 | Biblioteca
Com o dedo na página - acção de formação sobre leitura
(inscrição gratuita)


CTC | 10h30
Sessão infantil de Cinema de animação

14h00/17h00 | Espaço da Feira e CTC
Actividades para as escolas: Hora do Conto, visita aos diferentes espaços, actividades de animação, oferta de livros
CTC | 14h30
Sessão infantil de Cinema de animação

18h00 | Sala Ensaios CTC
Oficina de percussões
(inscrição gratuita)

21h30 | Espaço da Feira
Django Tributo Jazz


7 de Maio

10h30 | Espaço da Feira
Livro grande dos poemas pequenos "A primavera"

15h00 | Espaço da Feira
Livro grande dos poemas pequenos "A primavera"

CTC | 16h00
Sessão de homenagens e entrega de prémios dos concursos de BD e Cartoon

Espaço da Feira | 17h30
Sessão de autógrafos

21h30 | Espaço da Feira
Mosto

8 de Maio

10h30 | Espaço da Feira
Livro grande dos poemas pequenos "O outono"

15h00 | Espaço da Feira
Livro grande dos poemas pequenos "O outono"

18h00 | CTC
Grupo Teatro Lagarto Pintado

19h00 Encerramento

segunda-feira, 28 de março de 2011

Copiei do Facebook

Mas foi por uma boa causa. Este anúncio da Água de Castello foi gravado em 1939 e conta com a presença do actor convidado António Silva.

As gravações decorreram em Lisboa e na unidade industrial da Água Castello, em Moura.

domingo, 27 de março de 2011

Ainda se lembram da falência da Islândia?

Nunca mais ouvimos falar deste país, pois não? Em princípio, seria de pensar que não houve alteração e que os islandeses continaum mergulhados na crise. Enganam-se. Apesar da indiferença dos meios de comunicação internacionais, os Islandeses resolveram tomar nas suas mãos os destino do país e da sua economia e o resultado está à vista.

              

Padroeiro S. Jerónimo

Não, este post não é sobre política. É que fiquei a saber hoje que S. Jerónimo é o padroeiro dos bibliotecários... As coisas que se aprendem na blogosfera!

Tenho andado eu aqui a puxar pelo S. Jorge, patrono do Dia Mundial do Livro e da tradição catalã de oferecer um livro em troca de uma rosa, e agora sai-me o Jerónimo ao caminho. Ao que parece, São Jerónimo (séc. IV), foi doutor da igreja, padroeiro dos biblitecários e tradutores (traduziu a bíblia do grego e hebraico para latim) e patrono das secretárias. Pela sua importância mereceu a atenção de muitos pintores, que o retratavam quase como uma prova de maturidade. Apesar das diferenças de abordagem, na maioria dos retratos aparecem caveiras (sinal da mortalidade), a visão de Deus (que lhe puxou as orelhas porque prestava mais atenção à literatura romana que à bíblia), ou o leão, a quem tratou a pata, recolheu no convento e protegeu de calúnias.

Bibliotecário e ainda por cima, protector dos Sportinguistas... É o meu ídolo.


              

sábado, 26 de março de 2011

Em que mundo é que este rapaz vive?

Pedro Passos Coelho arrisca-se a perder a oportunidade que lhe caiu no colo de ser primeiro ministro, apenas em dez dias. Para isso basta-lhe abrir a boca. Ainda só passaram 2 dias e meio e já conseguiu:
  1. Dar o dito por não dito, acusando o governo PS de recorrer ao aumento de impostos por não ter competência para mais e aunciando o aumento do IVA em 2%, caso venha a ser governo, no dia seguinte.
  2. Embandeirar em arco com a ameaça de auditoria das contas públicas e ser obrigado a engolir em seco porque levou imediatamente um puxão de orelhas do Padrinho e outro de Bruxelas.
  3. Dar um tiro no pé logo na primeira entrevista como candidato a formar governo, exigindo nada menos que uma maioria absoluta.
  4. Cair no ridículo de gararantir que tinha uma moção de censura prontinha a entregar caso o governo não tivesse caído, quando ainda há 15 dias se absteve na moção apresentada.
Era tudo aparentemente tão fácil...
                      

sexta-feira, 25 de março de 2011

Actualização da lista de Padrinhos de Leitura 2011



AGRUPAMENTO 314 CNE
Moura

ALLIANZ - JOÃO ALFAIATE
Moura

ALLIANZ - ARUCISEGUROS
Moura

AQUASPACE
Moura

ASAI
Sobral da Adiça

ASSOCIAÇÃO 4 ESQUINAS
Amareleja

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E SOCIAL TRABALHADORES DA CMM
Moura

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO PATRIMÓNIO CULTURAL E AMBIENTAL DE SANTO AMADOR
Santo Amador

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DA EBI DE AMARELEJA
Amareleja

BARÃO E CHIBITO
Moura

BENTINHA/RIHU
Moura

BENTO SENA GORJÃO
Safara

BES
Moura

BREAK, Momentos Fantásticos
Moura

CABELEIREIROS LEONOR
Sobral da Adiça

CAIXA DE CRÉDITO AGRICOLA MUTUO GUADIANA INTERIOR
Moura

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS
Moura

CASA DO POVO DE AMARELEJA
Amareleja

CASA PALMA
Moura

CENTRO SOCIAL DE AMARELEJA
Amareleja

COOPERATIVA AGRÍCOLA MOURA E BARRANCOS
Sobral da Adiça

COZLIRA
Moura

DALLAS BAR
Moura

DOCES D'ALDEIA
Santo Amador

DROGARIA JOPICA
Moura

DUKES
Moura

EDUARDO FELICIANO
Moura

ELECTRO-RÁDIO MACHADO
Moura

FARMÁCIA DUARTE
Amareleja

FARMÁCIA PORTUGAL
Amareleja

FRANCISCO PÓVOA E HELENA
Moura

GANADARIA S. MARTINHO, Lda
Amareleja

GRÁFICA MOURENSE
Moura

GUEST VIAGENS
Moura

HDD
Moura

INTERMARCHÉ
Moura

JORNAL A PLANÍCIE
Moura

JUNTA FREGUESIA DE AMARELEJA
Amareleja

JUNTA FREGUESIA DE S. JOÃO BAPTISTA
Moura

JUNTA FREGUESIA DE SANTO AGOSTINHO
Moura

JUNTA FREGUESIA DE SANTO ALEIXO DA RESTAURAÇÃO
Santo Aleixo da Restauração

JUNTA FREGUESIA DE SANTO AMADOR
Santo Amador

JUNTA FREGUESIA DE SOBRAL DA ADIÇA
Sobral da Adiça

JUNTA FREGUESIA PÓVOA S. MIGUEL
Póvoa de S. Miguel

JUNTA FREGUESIA SAFARA
Safara

LIBWARE, Tecnologias de Informação e Documentação
Braga

LIVRARIA ESCOLAR EDITORA
Lisboa

MEDIPROP
Moura

MOTO CLUBE DE MOURA
Moura

MOURACARNES
Moura

PADARIA MARTIM CORREIA NEVES
Póvoa de S. Miguel

PAPELARIA PROGRESSO Amareleja

PASTELARIA AMOROSA
Moura

PASTELARIA O CHICO
Moura

PETROMOURA
Moura

PINGO DOCE
Moura

PREDIAL ALENTEJANA
Moura

RESTAURANTE PATOS E INFANTE
Moura

RESTAURANTE PÉRGULA
Moura

SALERO
Moura

SANTOS E CALDEIRA
Moura

SOCIEDADE AGRÍCOLA DOS VALHASCOS
Amareleja

SOCIEDADE MONUMENTAL SOBRALENSE
Sobral da Adiça

STUDIO 46
Moura

SUL OUT
Moura

WEBAVANT
Moura

ZURIQUE
Amareleja

ZURIQUE
Moura

Este ano vamos conseguir abranger também as salas da Creche e Jardim de Infância Nossa Senhora do Carmo. Mas ainda há algumas salas para apadrinhar, mais concretamente:
  • 2 salas em Santo Aleixo da Restauração (embora uma já esteja em vias de apadrinhamento)
  • 1 sala e metade de outra na Póvoa de S. Miguel
  • Meia sala em Safara
  • 1 sala na Creche e Jardim de Infância Nª Sra. do Carmo
Mais uma vez, em nome dos alunos do nosso concelho, Muito Obrigado!

Pela primeira vez, estamos de acordo

"Como foi possível fazerem isto ao País", diz José Sócrates enquanto vê as suas medidas de modernidade e eficácia desmoronarem como um castelo de cartas.

Eu também me interrogo, como foi possível a estes socretinos arrastarem-nos para um abismo sem solução? Como foi possível que tivéssemos permitido, serenamente, que isto acontecesse?

 

quinta-feira, 24 de março de 2011

A primeira gracinha do menino Pedrinho

No dia seguinte à demissão de Sócrates, Pedro Passos Coelho anunciou que as medidas de austeridade do seu governo (quando é que votámos nele?) jamais atingirão as pensões e os salários, e nunca se traduzirão em agravamento de impostos sobre o rendimento. O único agravamento que perspectiva é o aumento do IVA, porque se trata de um imposto sobre o consumo, para 24 ou até 25%.

Ora, vamos por partes.

1. Os impostos sobre o rendimento, em escala proporcional ao valor do rendimento (mais altos para reendimentos maiores, mais baixos ou nulos para rendimentos menores) são a única forma de garantir alguma justiça social. Alegar que não agravará impostos sobre o rendimento para proteger as pensões e os salários mais baixos é demagogia ou ignorância.

2. O IVA é um imposto cego. Penaliza o consumidor, quer seja rico ou pobre, quer compre champanhe ou leite. Agravar para 25% o IVA sobre os bens agora taxados a 23% poderá significar para muitas famílias, por exemplo, a impossibilidade de manter as crianças e jovens a estudar, e tornará alguns bens alimentares básicos um luxo comparável ao caviar. É claro que sempre podem distrair a fome com umas tacadas de golfe, mas mesmo assim...

Por enquanto, e considerando que estava a falar em Bruxelas, o que me leva a pensar que fez a viagem durante a noite ou de madrugada, vou atribuir esta "argolada" ao jet-lag. Mas convém que o PSD constitua um gabinete de crise para não o deixar esticar-se. E já agora, ensinem-lhe inglês, porque o que eu lhe ouvi hoje era... técnico, muito técnico.
                

quarta-feira, 23 de março de 2011

Timing

São 20h51. Há quase meia hora que os canais de televisão anunciam que Sócrates falou durante 21 minutos com Cavaco Silva e que se prepara para falar ao país. As câmaras filmam insistentemente uma porta atrás da qual Sócrates aguardará pelas anunciadas 21h00, para falar aos portugueses.

As televisões enchem chouriços, com as habituais questões que dão aos autoproclamados analistas políticos a oportunidade de demonstrarem a sua inteligência. Às 20h57, os rodapés sofrem alteração: Presidente da República anuncia pedido de demissão do Primeiro-Ministro. Ah! Quem diria… É que ninguém adivinhava uma coisa destas!

Finalmente, às 21h01 (um minuto de atraso serve para marcar posição) Sócrates faz a sua aparição na já famosa porta. Com ar grave, anuncia ao país que pediu a demissão.

Era só isso? E precisas do teleponto para nos dizeres uma coisa dessas? O Cavaco já nos tinha contado, não devias contar segredos àquele tipo, pá!
               

Uma aventura a chegar ao fim

A professora Maria Isabel Girão de Melo Veiga Vilar (mais conhecida pelo nome artístico "Isabel Alçada") anunciou hoje que vão fechar cerca de 420 escolas em todo o país, por terem menos de 21 alunos. Quando questionada sobre o a fundamentação deste critério, explicou que os 21 alunos são um mero “referencial”.

O problema é que o referencial aparentemente inventado por esta imaginativa escritora, vai revolucionar a vida de muitas crianças e das suas famílias, e condenar de vez as comunidades onde estas escolas estão integradas.

No concelho de Moura perspectiva-se mais uma vez o encerramento da EB1 e Jardim de Infância de Santo Amador. Tanto as autarquias responsáveis como os pais e encarregados de educação destes alunos já estão a desenvolver esforços para tentar evitar este erro. Uma escola renovada recentemente, devidamente equipada e que constitui a mais importante âncora para a fixação de população nesta freguesia corre o risco de ver todo o esforço e investimento ali efectuado completamente perdidos. Contenção de despesas? Não. Apenas desperdício e burrice.


            

Foi arrumar as coisinhas dele numa caixa de papelão

Após o discurso inicial de Teixeira do Santos na apresentação do PEC 4, Sócrates abandonou a discussão no Parlamento. A arrogância tem destas coisas, torna-se insuportável ouvir opiniões diferentes das nossas.
                        

terça-feira, 22 de março de 2011

Cultura popular - 1


Em Janeiro sobe ao outeiro; se vires verdejar, põe-te a cantar, se vires o Sócrates, põe-te a chorar

Sócrates a rir em Janeiro, é sinal de pouco dinheiro.
Março, marçagão, manhã de Inverno tarde de Verão; Sócrates, Soarão, manhã de Inverno tarde de inferno
    

Últimas notícias da Líbia

Caça norte-americano despenha-se na Líbia - 22 de Março de 2011, 12:00

De acordo com informações do Comando Militar dos Estados Unidos, um avião de guerra norte-americano despenhou-se esta terça-feira na Líbia. Apenas um dos pilotos foi encontrado.

Milhares de deslocados no leste do país -- ONU - 22 de Março de 2011, 10:49
Genebra, 22 mar (Lusa) - Os combates na Líbia forçaram milhares de pessoas a abandonar as suas casas e refugiar-se no leste do país, disse hoje o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, citando testemunhos de refugiados que chegaram ao Egito.

Ataque ocidental à Líbia faz disparar petróleo - 22 de Março de 2011, 00:05
O preço do crude subiu em resposta à ofensiva dos aliados na Líbia.

Ataques custam 211 milhões por semana - 22 de Março de 2011, 00:05
Só no primeiro dia, o preço da ofensiva supera os 70 milhões.

48 mortos na operação “Odisseia ao Amanhecer” na Líbia - 20 de Março de 2011, 01:04
Pelo menos 48 civis terão morrido na Líbia desde o início da operação “Odisseia ao Amanhecer” levada a cabo pelas forças aliadas. A informação está a ser avançada pela televisão estatal líbia que fala ainda de, pelo menos, 150 feridos.

O Kadhafi continua vivo e a enviar gente para a morte. Justifica-se?
                    

segunda-feira, 21 de março de 2011

Dia Mundial da Poesia

Não sei se é o meu poema preferido, mas a minha tripla condição de mãe faz dele um dos poemas da minha vida.

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...
Sebastião da Gama

Extermínio do povo Luso

Por manuel gouveia, no blogue 2711

Assédio moral no trabalho agrava-se. (ler aqui)

Engloba, segundo a investigadora no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa, a socióloga Luísa Veloso, «situações várias», que não são recentes nas sociedades contemporâneas, mas «que se têm vindo a agravar», em que se verifica uma «infernização do quotidiano das pessoas», no local de trabalho, por parte dos superiores hierárquicos ou dos próprios colegas.


As pessoas passam a ter de «desempenhar funções para as quais não estão preparadas» ou a «trabalhar muito mais horas do que é suposto» ou a serem forçadas a assumir mais responsabilidades ou exigências.


Casos destes, alerta a investigadora, estão por todo o lado, nas empresas privadas ou nos organismos do Estado e incidem quer sobre «quem fica e permanece no activo, a trabalhar», quer sobre os trabalhadores que os patrões querem dispensar recorrendo a um «processo silencioso» que passe por cima dos direitos sociais adquiridos.


Este é o país que pretende melhorar a sua produtividade e acredita que para isso precisa pôr de lado a moral, os valores e o respeito pelo próximo. Este é um povo que entrou num processo de extermínio colectivo e selvagem.
  

domingo, 20 de março de 2011

21 de Março é Dia Mundial da Poesia

Recomeça….

Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças…



Miguel Torga

Odisseia ao amanhacer

Os "aliados" invadiram a Líbia. A Líbia não invadiu ninguém, apenas tem um ditador execrável do qual os líbios estão a tentar ver-se livres. Mas os "aliados" resolveram ser heróis. Bombardearam e continuarão a bombardear indiscriminadamente sobre alvos militares e civis, ceifando vidas e destruindo o país como já fizeram como o Iraque e o Afeganistão.


Ditadores há muitos, mas uns têm petróleo por baixo e outros têm armamento tão potente como o dos "aliados", por isso continuam intocáveis. As pessoas que vivem sobre o solo que tem petróleo têm o direito de ser ajudadas, mesmo que não o peçam, mesmo que paguem a ajuda com a própria vida. Os outros, os que vivem sobre o chão que não tem petróleo, não podem ser ajudados, porque os "aliados" têm de respeitar a soberania dos países e dos seus governantes.

O Papa veio hoje de manhã pedir que a "segurança dos líbios seja salvaguardada". Como se isso adiantasse de grande coisa, como se as suas palavras impedissem que as bombas atingissem os milhares de inocentes que vão morrer na "longa guerra" que Kadhafi promete travar.

É nestas alturas que tenho pena de não termos mulheres nos mais altos cargos governativos do mundo. Nenhuma mulher (a senhora Merkel não conta, desculpem lá!) sentiria a necessidade de demonstrar o seu poder pela força, matando indistintamente apoiantes do ditador, militares obrigados pela ética e pelo dever a defendê-lo, e inocentes que apenas querem ser livres, com a mesma vontade e a mesma esperança que nós tivemos a 24 de Abril, esperando alcançar a mesma paz, serenidade e felicidade que nos trouxe o amanhecer daquele dia 25.
                   

sexta-feira, 18 de março de 2011

quinta-feira, 17 de março de 2011

Informação à distância de um clique

A Associação Cultural e Social dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Moura, formalmente constituída em 20 de Dezembro de 2006, desenvolve essencialmente a sua actividade no campo cultural e de apoio social aos seus associados.


Embora, numa primeira linha, os associados sejam os principais destinatários das actividades da Associação, a verdade é que muitas das suas iniciativas acabam por abranger um público muito mais vasto. A fim de permitit uma maior divulgação e informação das suas actividades, a Direcção criou um blogue, cujo link vai já directamente para a barra lateral aqui do Açúcar, na secção Fundo Local.

            

Padrinhos de Leitura 2011 (Actualização)

                     

AGRUPAMENTO 314 CNE
Moura

AQUASPACE
Moura

ASSOCIAÇÃO 4 ESQUINAS
Amareleja

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E SOCIAL TRABALHADORES DA CMM
Moura

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO PATRIMÓNIO CULTURAL E AMBIENTAL DE SANTO AMADOR
Santo Amador

BARÃO E CHIBITO
Moura

BREAK
Moura

CABELEIREIROS LEONOR
Sobral da Adiça

CAIXA DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO DO GUADIANA INTERIOR
Moura

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS
Moura

CASA DO POVO DE AMARELEJA
Amareleja

CASA PALMA
Moura

CENTRO SOCIAL DE AMARELEJA
Amareleja

COOPERATIVA AGRÍCOLA MOURA E BARRANCOS
Sobral da Adiça

DOCES D'ALDEIA
Santo Amador

DROGARIA JOPICA
Moura

DUKES
Moura

ELECTRO-RÁDIO MACHADO
Moura

FARMÁCIA DUARTE
Amareleja

FARMÁCIA PORTUGAL
Amareleja
FRANCISCO PÓVOA E HELENA
Moura

GANADARIA S. MARTINHO, Lda
Amareleja

GRÁFICA MOURENSE
Moura

GUEST VIAGENS
Moura

HDD
Moura

INTERMARCHÉ
Moura

JORNAL A PLANÍCIE
Moura

JUNTA FREGUESIA DE AMARELEJA
Amareleja

JUNTA FREGUESIA DE S. JOÃO BAPTISTA
Moura

JUNTA FREGUESIA DE SANTO AGOSTINHO
Moura

JUNTA FREGUESIA DE SANTO ALEIXO DA RESTAURAÇÃO
Santo Aleixo da Restauração

JUNTA FREGUESIA DE SANTO AMADOR
Santo Amador

JUNTA FREGUESIA DE SOBRAL DA ADIÇA
Sobral da Adiça

JUNTA FREGUESIA PÓVOA S. MIGUEL
Póvoa de S. Miguel

JUNTA FREGUESIA SAFARA
Safara

LIBWARE, Tecnologias de Informação e Documentação
Braga

LIVRARIA ESCOLAR EDITORA
Lisboa

MOTO CLUBE DE MOURA
Moura

MOURACARNES
Moura

PADARIA MARTIM CORREIA NEVES
Póvoa de S. Miguel

PAPELARIA PROGRESSO
Amareleja

PASTELARIA AMOROSA
Moura

PASTELARIA O CHICO
Moura

PETROMOURA
Moura

PINGO DOCE
Moura

PREDIAL ALENTEJANA
Moura

RESTAURANTE PATOS E INFANTE
Moura

RESTAURANTE PÉRGULA
Moura

SANTOS E CALDEIRA
Moura

SOCIEDADE AGRÍCOLA DOS VALHASCOS
Amareleja

SOCIEDADE MONUMENTAL SOBRALENSE
Sobral da Adiça

STUDIO 46
Moura

SUL OUT
Moura

WEBAVANT
Moura

ZURIQUE
Amareleja

ZURIQUE
Moura


Muito obrigado a todos!

               

Sempre gostei deste miúdo

O Pauleta foi um jogador discreto, apesar de ter sido o melhor marcador de sempre da história da selecção portuguesa. Sem tiques de vedetismo, limitava-se a voar como um açor para celebrar os muitos - tantos -golos que marcou com a camisola de Portugal. Agora escolheu ser o embaixador dos Açores,  a sua terra natal, que sempre procurou honrar. E dá opiniões, mesmo quando não são politicamente correctas. E chama-se Pedro. Gosto.

                       

quarta-feira, 16 de março de 2011

O rei vai nu.

Assinala-se hoje a abertura oficial do ano judicial. Não sei, não me perguntem, também não percebo. A 16 de Março? É pior que o ano novo chinês. Adiante.

A tutela organizou uma cerimónia solene de abertura do ano judicial, esta tarde em Lisboa, contando com a participação do bastonário da Ordem dos Advogados, do procurador-geral da República, do presidente do Supremo Tribunal de Justiça, do ministro da Justiça, do presidente da Assembleia da República e do Presidente da República (tem andado adormecido mas hoje vão acordá-lo).

Quem não está pelos ajustes é o Sindicato dos Funcionários Judiciais, que considera que não é tempo para "festas e festanças", e que esta cerimónia é "inútil e ofensiva para quem trabalha nos tribunais".

Já todos sabemos que os sindicalistas andam sempre com ideias e nunca estão satisfeitos, e estes não são excepção. Em vez de festas e festarolas, preferiam que os tribunais fossem dotados de meios e equipamentos que lhes permitissem resolver os problemas dos cidadãos. Que mal-agradecidos!

Andou aquela gente a esfalfar-se para organizar "festas, festanças, debates, discussões (...) complementados com uns cocktails e uns vinhos do Porto" e afinal os funcionários judiciais dizem que só queriam condições para realizar o trabalho que lhes compete, em vez de fingir "que resolvem os processos porque não são capazes de os resolver" em tribunais "com 10, 15, 20 mil processos pendentes e que têm cinco ou seis funcionários, quando deviam ter 30". Está mal!


            

terça-feira, 15 de março de 2011

A melhor altura para trocar de carro foi hoje, às 13h17, durante 15 segundos.

Vi e fiquei especada em frente ao televisor. Nem queria acreditar que fosse possível...

O governo anunciou uma descida do IVA referente ao golfe (desporto), dos actuais 23% para 6%. A medida em si é absurda. O golfe é, como todos sabemos, um desporto praticado em geral por pessoas com algum conforto financeiro, uma vez que está normalmente associado a unidades hoteleiras de várias estrelas e é um factor atractivo no turismo.

Compreendo até que o governo pretenda estimular a indústria turística, mas num momento de crise como este, em que bens alimentares e outros igualmente importantes perdem o estatuto de bens essenciais e vêem a taxa de IVA fazer o percurso inverso, reduzir o imposto no golfe é ridículo e até um pouco ofensivo.

Mas algum crânio na RTP achou que a redução de IVA se aplicava ao Golf, leia-se Volkswagen Golf. É certo que é um carro especial, a escolha de qualquer pessoa inteligente e tal, mas daí a ser o único modelo da industria automóvel a beneficiar de uma redução do IVA... devia ter levantado algumas suspeitas. Mas não. E como se acharam tão inteligentes, até se deram ao trabalho de realizar um spot para publicitar a bombástica notícia. Vejam só:


              

Lindíssimo. Sempre.




Quando a corja topa da janela
O que faz falta
Quando o pão que comes sabe a merda
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta

Quando nunca a noite foi dormida
O que faz falta
Quando a raiva nunca foi vencida
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é acordar a malta
O que faz falta

Quando nunca a infância teve infância
O que faz falta
Quando sabes que vai haver dança
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um cão te morde uma canela
O que faz falta
Quando a esquina há sempre uma cabeça
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um homem dorme na valeta
O que faz falta
Quando dizem que isto é tudo treta
O que faz falta
O que faz falta é agitar a malta
O que faz falta
O que faz falta é libertar a malta
O que faz falta

Se o patrão não vai com duas loas
O que faz falta
Se o fascista conspira na sombra
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta dar poder à malta
O que faz falta

segunda-feira, 14 de março de 2011

Já basta

O Facebook é o palco da plataforma Já Basta, um movimento de blogues conta o actual (des)Governo. A este movimento são convidados a aderir todos os bloggers portugueses, provenientes das mais diversas áreas políticas, que tenham em comum um objectivo:

A demissão/exoneração do actual governo !


Estamos fartos. Queremos falar de outros assuntos e vocês não param de fazer asneiras e aldrabices, legislam sem pensar, implementam medidas contrárias à vossa própria política, cultivam o lambe-botismo e a incompetência, promovem a mentira e a desonestidade, gastam o dinheiro que o país não tem, roubam os cidadãos e projectam para o exterior a imagem de um Portugal medíocre, pedinte e corrupto. Somos por isso obrigados a escrever post atrás de post sobre a vossa incompetência, sobre as palhaçadas ininterruptas, sobre as ideias ridículas com que afundam o país. Chega!

Ser político em 10 lições

Fácil, muito fácil. E grátis, que eu sou muito vossa amiga.

           


                            

domingo, 13 de março de 2011

Zélia. Com Z.

Demorei algum tempo para nascer.


As decisões importantes da minha vida são sempre ponderadas, pensadas e repensadas, embora eu aparente ser uma pessoa muito decidida. E esta foi só a primeira de muitas.

A verdade é que receava o mundo que me esperava cá fora. Ninguém me dava garantias, percebem? Só sentia que me empurravam, empurravam e afinal de contas, o ambiente lá dentro era um bocado escuro e claustrofóbico, mas sempre era conhecido e eu já me movimentava relativamente bem ali. Bem, devo confessar que ultimamente já era um bocado apertado, queria virar-me para a esquerda, mas a minha mãe não achava piada e para a direita era mesmo impossível. Esticar-me era um pesadelo, mas o mais difícil era mesmo não conseguir levantar a cabeça…

Enfim, empurrada por todas as forças, conduzida para o caminho inevitável, lá nasci. 18 de Fevereiro, 8h30 da manhã. Naturalmente, onde quer que eu chego, as águas agitam-se e nada é pacífico. A minha mãe queria que eu me chamasse Ana Isabel, mas o meu pai, que estava convencido que eu era um rapaz, nunca ligou muita importância ao assunto. Era óbvio que seria António, como ele.

Esclarecidas todas as dúvidas, o meu pai resolveu impor a sua vontade. Se não era António, podia ser, por exemplo, Antonieta… Foi por estas horas que os meus pais finalmente se viram confrontados com a necessidade de discutir o assunto. Convém aqui esclarecer que os meus pais têm uma maneira muito peculiar de discutir: nenhum dá o braço a torcer e falam sobre tudo menos sobre o tema da discussão. Portanto, não falando, tornou-se óbvio que havia um problema para resolver.

Lá em casa, nesta altura, além da minha irmã mais velha, que nem sonhava que eu estava para chegar e portanto ainda acreditava que a vida podia ser um paraíso, estavam também uma prima, que haveria de ser minha madrinha, e uma vizinha que era, e é, nossa amiga, tão amiga como uma amiga pode ser. O meu pai, carregando certamente a culpa de ter sugerido que eu me chamasse Antonieta, arranjou um livro de nomes. Como a discussão com a minha mãe ainda durava, o que significa que não se ouvia nem um pio sobre o assunto, a minha madrinha e a nossa amiga resolveram lançar mãos à obra, que é como quem diz, ao livro, para escolherem o meu nome (cada vez que me contam esta história, há sempre alguém que diz “Ai Zélia, tanta fatia dourada que comemos nessa tarde…” e eu não consigo deixar de pensar se as fatias teriam açúcar amarelo).

O resto da história é que ninguém me consegue explicar. Como é que, com uma lista de nomes à frente, aquelas duas peças se lembraram de escolher Zélia, permanece uma incógnita. Se era por já terem chegado ao fim do livro sem tomar uma decisão, podiam ter recomeçado, não acham? De qualquer forma, quem esperou uma dúzia de horas, esperava mais um bocado e tinha um nome… como é que eu hei-de dizer? Giro. Normal. Agradável.

---

Já agora:
Significado do nome Zélia aqui, aqui, ou mais completo, aqui.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Quando

Quando é que o cativeiro
Acabará em mim,
E, próprio dianteiro,
Avançarei enfim?

Quando é que me desato
Dos laços que me dei?
Quando serei um facto?
Quando é que me serei?

Quando, ao virar da esquina
De qualquer dia meu,
Me acharei alma digna
Da alma que Deus me deu?

Quando é que será quando?
Não sei. E até então
Viverei perguntando:
Perguntarei em vão.

Fernando Pessoa
                          

quarta-feira, 9 de março de 2011

A tomada de posse da quarta feira de cinzas II

Um Cavaco Silva atrevido, incentivado pela claque que o aplaudia a cada parágrafo.
Um Pedro Passos Coelho aos pulinhos para sair da cartola, sem disfarçar o orgulho no "padrinho".
Um Paulo Portas a quem ainda ninguém explicou que este Cavaco é o mesmo a quem colou um alvo na testa, quando era director d'O Independente.
Um Sócrates a disfarçar mal a raiva e a frustração e a vontade de partir tudo.
Uma bancada socialista a dizer muitas coisas pouco simpáticas que traduzidas para português significavam apenas "Agarrem-me que eu vou-me a ele!".
Uma esquerda a sentir-se excluída da brincadeira.

A política parece-se cada vez mais com o recreio da Escola Primária.

                                   

A tomada de posse da quarta-feira de cinzas

Cavaco apelou ao "sobressalto cívico" e uma "grande mobilização nacional".
Teve vergonha de gritar: Manifestem-se, porra!


Obs.: Isto não é falta de educação. É português do Alentejo

terça-feira, 8 de março de 2011

Não seria mais importante lutar por um Portugal digno... em Portugal?

Para ler (e rir, não vale a pena chorar) aqui.

                       

O princípio de Peter



O princípio é muito simples, e foi enunciado por Laurence J. Peter, professor universitário, num livro que acabou por se tornar um clássico na gestão empresarial:


Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência.
Esta máxima significa basicamente o seguinte: Um bom funcionário, geralmente o melhor de cada serviço ou estrutura, é normalmente escolhido para ser promovido a um grau superior, onde se torna incompetente. Vamos a um exemplo prático:

O melhor mecânico de uma oficina, a razão pela qual muitos clientes preferem aquela empresa em relação a todas as outras, é escolhido para suceder ao chefe de oficina, que entretanto se reformou. Era a sua ambição, e como tal, o mecânico fica contente e considera que naquela promoção está a sua realização pessoal. O problema é que ele não tem capacidades de gestão de pessoal, distribuição de tarefas, delegação de competências. De cada vez que aparece um carro com um problema mais complicado, demora o tempo necessário, como fazia no seu tempo de mecânico, a encontrar e solucionar a avaria. Entretanto, o motorista a quem havia sido distribuído aquele trabalho está parado, e o mesmo acontece a todos os outros que entretanto terminaram as suas tarefas e aguardam pacientemente que o seu chefe lhes dê trabalho. O mecânico muito competente tornou-se um chefe incompetente, contestado e gerador de situações problemáticas.

E assim sucessivamente: O melhor vendedor, detentor de capacidades ímpares de empatia com os clientes não é o melhor candidato a chefe de vendas, um lugar de escritório, de competências organizacionais. O melhor professor, criador de laços com os seus alunos e transmissor de conhecimentos, dará um péssimo director de escola, onde tem de gerir equipas, horários e instalações. O melhor cientista, investigador nato, capaz de descobertas extraordinárias dará um péssimo Ministro da Ciência, etc., etc….

Não se trata de inteligência, mas sim de adequar a cada lugar a pessoa com as competências mais indicadas para o lugar. Cada ser humano devia ser capaz de encontrar aquilo que sabe fazer melhor e dedicar a sua vida a fazê-lo, em vez de ser consecutivamente promovido ou colocado em lugares de chefia nos quais será incompetente porque não possui as aptidões necessárias.

É óbvio que todos conhecemos pessoas que se julgam infinitamente mais inteligentes que todos os outros, e portanto, capazes de desempenhar qualquer função com a mesma qualidade. Estes “pavões” já atingiram o seu Princípio de Peter. A preocupação em demonstrar como são insubstituíveis e importantes desvia-os do seu verdadeiro trabalho, ao qual dedicam apenas o mínimo de tempo indispensável. Tornaram-se incompetentes.

Significa isto que devemos deixar de ser ambiciosos e que cada um de nós tem um limite a partir do qual não pode caminhar? Não. Apenas que as ambições devem ser redireccionadas.

Se cada um de nós se ocupar a fazer aquilo que faz realmente bem, toda a estrutura social funcionará melhor, e ser o melhor naquilo que fazemos deve ser a nossa ambição. É claro que toda a gente gosta de ver reconhecido o seu trabalho, e como tal, todos os funcionários devem ser valorizados e premiados pelo seu bom desempenho. A diferença de salários não deveria ter por base a categoria da função desempenhada, mas sim a qualidade do desempenho. O melhor operário deveria ter uma remuneração idêntica à do seu chefe, uma vez que é dele que depende a execução operacional das tarefas.

Mas isto ainda é apenas teoria… E convenhamos, as elites não têm grande interesse em ver divulgado este princípio.

                           

Bom dia



                                 

segunda-feira, 7 de março de 2011

Como se fabrica um D. Sebastião

Pedro Passos Coelho ainda não foi chamado a formar governo, porque o PSD ainda não venceu as eleições, porque estas ainda não se realizaram, porque o governo ainda não caiu. E no entanto, já há pessoas que admitem  aceitar o convite para o cargo de ministros.

O quê, ainda ninguém se tinha lembrado dele? Mas o que é que isso interessa? Uma reportagem aqui, um artigo de opinião ali, uma demonstração de carácter e força de vontade acolá, tudo salpicado com uns laivos de modéstia. "Ah, e tal, já me convidaram, mas eu não quis aceitar...". Mas antes que as listas fechem, convém pôr-se a jeito, lembrar os elogios constantemente recebidos, e se ainda houver tempo, dar uma ou duas negas, fazer-se díficil. "Tenho outros projectos, a minha vida não é isto...".  As técnicas são velhas e conhecidas, mas continuam sempre a resultar.
                              

Risco

Portugal consta pela primeira vez do Mapa de Risco Político elaborado por uma empresa especializada em prestar serviços de consultoria e gestão de riscos. O nosso país apresenta dois factores de elevado risco: O de convulsão social, motins e greves, e o incumprimento do pagamento da dívida soberana.

Um país que foi capaz de fazer uma revolução pacífica,  pondo fim a uma ditadura e instituindo a democracia com base em palavras, música de intervenção e cravos, vê-se agora à beira do abismo, graças ao génio de Sócrates.

Abram os olhos! Escutem a revolta! O primeiro grito vai ouvir-se já no dia 12.


             

domingo, 6 de março de 2011

E em Alvalade nada de novo

Ouro e prata para o Sporting em Paris.
                          
Nota posterior. Afinal houve um golinho, suficiente para ganhar o jogo.
                        

Quando o Festival da Canção volta a ser notícia ou A música ainda é uma arma?


                                 

209 mil euros que se tornaram Imateriais

Chamava-se Grupo de Trabalho para o Património Imaterial, custou ao Estado a módica quantia de 209 mil euros e tinha por objectivo um levantamento em «campo», «sistemático» e «tendencialmente exaustivo» do património cultural imaterial português. Foi extinto pelos seus criadores (Ministério da Cultura e das Finanças), depois de se concluir que não havia levantamento nenhum e que a sua actividade se tinha limitado a... uma reunião.
                         

sexta-feira, 4 de março de 2011

Concurso Nacional de Leitura - Provas distritais

Programa

30 de Abril de 2011


10h30
Pré-eliminatória dos alunos de 3º ciclo do Ensino Básico (dos 25 concorrentes, serão apurado sete)

11h30
Passeio de barco na Albufeira de Alqueva, para os alunos concorrentes, professores e membros do júri, oferecido pela empresa Aquaspace.

13h30
Almoço

15h30
Prova final, no Cine-Teatro Caridade para os sete alunos apurados na prova do 3º ciclo do Ensino Básico e para os sete finalistas de Ensino Secundário, apresentada por Jorge Serafim.

Entrega de prémios e diplomas de participação.
                  

Cão como nós



Pode vir a ser o best seller da Feira do Livro de Moura. Chama-se "O cão de Sócrates" e retrata a vida doméstica dos últimos seis anos no Palácio de S. Bento, pelos olhos de um cão.
A história começa quando o primeiro-ministro decidiu adoptar um cãozinho para alegrar os corredores da sua residência oficial. O rafeiro, criado na rua, chegou a São Bento como um animal «carente, sem confiança própria» e «sem aquela coragem canina que os donos tanto apreciam» nos cães. Mas o convívio com Sócrates transformou-o por completo. «Foi em São Bento que mudei de vida e de atitude. O contacto íntimo e diário com o primeiro-ministro transformou-me, fez de mim um cão novo, um cão moderno. Observando o meu dono, seguindo os seus ensinamentos e copiando os seus gestos e acções com uma paixão canina, deixei de sentir que todos os outros cães me eram superiores e passei a considerá-los inferiores. Deixei de os temer e passei a fazê-los sofrer. Tal como o sr. primeiro-ministro, tornei-me um animal feroz».

O cão de Sócrates conta, por exemplo, que foi ele quem roeu o certificado de habilitações do primeiro-ministro emitido pela Universidade Independente, que as páginas do SOL são utilizadas para apanhar os seus cocós, que foi treinado para mudar o canal da televisão sempre que aparece Manuela Moura Guedes - «aquela jornalista da TVI de boca enorme e olhos muito abertos» - ou que o primeiro-ministro se fechou numa sala no Parlamento para ver várias vezes a repetição dos corninhos de Manuel Pinho dirigidos ao líder da bancada comunista antes de o demitir.

O caso Freeport e a greve geral são outros dos momentos recordados nas páginas do livro. E nem sequer as perguntas que a Comissão Parlamentar de Inquérito enviou ao primeiro-ministro sobre o negócio Prisa/TVI foram esquecidas: «O meu dono estava extenuado. Desde os últimos exames que fizera, via fax, na Universidade Independente, para terminar o curso de engenheiro, que não fazia uma directa nem estudava tanto».

Mas o cão, tal como os portugueses, está desiludido, triste, desalentado. «Ao longo destes seis anos fiz tudo o que podia para agradar ao meu dono - abocanhei as canelas de alguns jornalistas, rosnei ao Presidente da República, mordi à chanceler Angela Merkel, passei pulgas para os líderes da oposição e comi os jornais com notícias desfavoráveis. Sacrifiquei-me pelo meu dono, mas para quê?»

Sócrates não se apercebe do estado depressivo do seu fiel amigo, mas, ainda assim, não o censura. «Se este é o mesmo chefe de Governo que durante meses e meses não se apercebeu de uma gigantesca e mortífera crise financeira que ia alastrando pelo mundo e pelo país como é que eu queria que ele se apercebesse da crise depressiva de um cão?».

«Há seis anos que sou o cão do sr. primeiro-ministro e o seu maior e mais fiel amigo de quatro patas apesar de, nos últimos meses, andar militantemente à procura de um novo dono. A verdade é que estou muito desiludido com ele. Eu sei que cerca de 10 milhões de portugueses também estão desiludidos com o meu dono e muito provavelmente também eles estão a tentar encontrar um novo dono para governar o país».
                      

quinta-feira, 3 de março de 2011

Que não haja dúvidas

Este post é para si.


Para si, que não leu Maquiavel, mas acha que é uma boa ideia dividir para reinar, mesmo desconhecendo as qualidades que deve ter um Príncipe. Para si, que não tem estratégia, nem visão, nem rumo, nem planeamento, nem intenções, contentando-se em sobreviver à custa das rasteiras que estende a quem passa por si.

É um post sobre a sua incompetência e intolerância, sobre a ganância cega que o leva a semear discórdia e injustiça, atirando para cima dos ombros a culpa que nunca é sua, a responsabilidade que nunca assume, porque nada, ninguém o pode desviar dos seus objectivos.

A posição confortável em que hoje se encontra traz-lhe falinhas mansas, sorrisos, palmadinhas nas costas, subserviência. Não se iluda. Eu sei que não consegue compreender a importância de Galileu, mas o que ele afirmava é mesmo verdade. O Mundo não gira à sua volta. Os mesmos fracos de espírito, destituídos de carácter que agora o adulam, serão os primeiros a apontar-lhe o dedo e a rir-se na sua cara quando finalmente cair do poleiro onde se encontra. E a queda, meu caro, é inevitável. É a lei da vida, compreende? É que apesar de tudo, você é apenas, e muito simplesmente, um imbecil.
                 

quarta-feira, 2 de março de 2011

Feira do Livro de Moura 2011


(Cartaz elaborado no Sector Gráfico da C M Moura, por Luís Pedro Raposo)
                                    

Fico chateada, é claro que fico chateada.

O Correio da Manhã noticia hoje que os funcionários  públicos correm o risco de receber o subsídio de Natal em certificados do tesouro ou de aforro. Não há dinheiro.

Obviamente, o Governo apressar-se-á a vir a público desmentir esta falsidade e afirmar, com gestos contidos, a condizer com a seriedade do momento, que esta medida nunca passou pela cabeça do governo. Afinal, o nosso primeiro até iniciou uma campanha de reabilitação da imagem destes mártires...

Lá para Julho, talvez Agosto, o ministro Teixeira dos Santos começará a dar sinais públicos de preocupação. Entretanto, o assunto já deixou de ser novidade. Em vez do choque, a reacção será "Já aqui há tempos se tinha ouvido falar neste assunto... tinha de ser."

E pronto, cordeirinhos prontos para o abate, com o selo da incompetência que insistem em nos colar na testa, roubados uma e outra vez, lá vamos nós, sacrificar-nos mais um pouco, descer mais um degrau a caminho do inferno, para que BPNs e BPPs e Portucales e Freeports e Faces Ocultas continuem a ficar com o nosso dinheiro, com o dinheiro que é dos meus filhos, fruto do meu trabalho.
                   

terça-feira, 1 de março de 2011

Mudar para o quê?

O deputado social-democrata José Pedro Aguiar-Branco declarou hoje ao jornal Sol que «'Se o Governo não muda, é do interesse nacional mudarmos o Governo'.

Faz-me lembrar aquela anedota do homem que entrou num autocarro que por acaso estava vazio e sentou-se num dos muitos lugares disponíveis. A meio, apercebeu-se que a janela não estava bem vedada e que lhe chovia em cima. Queixou-se ao condutor e este respondeu-lhe:
- Oh homem, troque de lugar!
- Mas troco com quem, não há aqui mais ninguém...
               

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...