sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Pérolas

Caminhavam à minha frente. Ele vinha de chinelos e mãos nos bolsos dos calções, ela trazia o braço esquerdo enfiado no braço dele e com a mão direita segurava a menina. Ele olhou para cima e disse com o ar de enfado que caracteriza quem é muito mais esperto do que os outros todos:

- Estes gajos estão a fazer obras e não substituem as madeiras das janelas.

Ela ainda ergueu o queixo, mas o assunto não lhe interessava, pelo que nem se dignou responder. Ao lado, a menina deu uns saltinhos e disse:

- Eu já vim a esta biblioteca, com o ATL!

Ninguém reagiu. A criança repetiu:

- Eu já vim a esta biblioteca, com o ATL!

Nada. Mais uma tentativa:

- Olha, olha! Eu já vim a esta biblioteca com o ATL!

A mãe finalmente abriu a boca e ditou a sentença:

- Deves ter vindo sozinha! Com isto da internet, quem é que quer ir à Biblioteca? Deve estar vazia.

Escusado será dizer que lhe respondi. Está de facto vazia de gente ignorante e que não quer aprender.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Crónica dos dias que passam na BPE #2

Ao segundo dia, a sala que estava cheia de livros ficou cheia de ecos. Do outro lado, o imenso mar cresceu até não caber mais. Primeira fase concluída, cerca de 27 mil livros retirados das prateleiras e arrumados ordenadamente no chão. Os pedidos que entretanto nos chegaram através dos pólos testaram o sistema e comprovaram o que eu estou sempre a dizer: só os bibliotecários conseguem dar ordem ao caos.


A sala do serviço de empréstimo, vazia e pronta para ser alargada.

Sala do serviço de empréstimo, já vazia.

Perspectiva da colecção do empréstimo domiciliário a ocupar a sala de leitura.
Seguiu-se a segunda fase: Transferência dos serviços técnicos para o piso térreo, permitindo a libertação do espaço que ocupavam no primeiro andar e que assim, pode ser acrescentado ao serviço de empréstimo domiciliário. 

Esta operação exigiu a criação de uma nova sala de tratamento técnico documental que ocupou o espaço anteriormente destinado à digitalização, também ela "deslocalizada". 

Ao final do segundo dia, tudo corre como previsto. Amanhã continuamos.

Nova sala de tratamento técnico documental, com capacidade para seis pessoas a realizarem tarefas de catalogação, classificação e indexação em simultâneo.

Novo posto de digitalização.

Funcionários e voluntários, ainda todos vivos.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Crónica dos dias que passam na BPE #1

No primeiro dia foi assim. Livros retirados das estantes e metodicamente organizados num outro espaço para que possam ser encontrados caso alguém precise deles. 8 horas de trabalho, quase 20 mil livros mudaram temporariamente de localização.


Serviço de empréstimo, antes da intervenção

Serviço de empréstimo, antes da intervenção

Inìcio da transferência dos livros


Primeira fila do "Mar de livros" que ocupou a Sala de Leitura

Sala do serviço de empréstimo, com 2/3 das estantes já vazias

Sala do serviço de empréstimo, com 2/3 das estantes já vazias

O Mar de Livros em que se transformou a colecção de empréstimo domiciliário

O Mar de Livros em que se transformou a colecção de empréstimo domiciliário



Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...