Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2012

Uma questão de ética

Tenho andado a evitar pronunciar-me sobre a notícia de uma escola na Ericeira em que a professora canta várias vezes ao dia uma canção infantil a que acrescenta vivas a um clube de futebol. Tenho andado a evitar-me porque toda a gente sabe que as minhas preferências clubísticas são bem diferentes e não queria de forma nenhuma que este assunto fosse analisado como uma discussão futebolística.

Porém, acabo de ver o programa Sexta às 9, em que o assunto é ridicularizado e reduzido apenas a isso, uma questão clubística.

Vamos por partes:

1. O que está em causa é o abuso da influência natural que qualquer professor tem sobre os seus alunos, em especial tão pequenos, para incutir ideias e valores. É triste que, em vez de ensinar a tolerância e a liberdade de expressão, a senhora não reconheça o seu papel fundamental na formação de seres humanos e opte por ensinar a intolerância e o desrespeito pelos que têm uma opinião diferente. Segundo informação publicada na comunicação social, terá cheg…

13º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas

Imagem
Estarei a representar o trabalho desenvolvido no concelho de Moura com a participação no Painel temático 3: "Redes, parcerias e desenvolvimento da cooperação".

Quando a fé não chega

A Igreja queixa-se da fraca participação cristã na diocese de Beja, que considera um enigma por resolver. Bem, sempre tive a mania de detective, aqui ficam três pistas para resolver o problema:

1. Experimentem rezar para que eles voltem. Não foi esse o conselho que nos deram para chamar a chuva? Parece-me bem mais difícil convencer S. Pedro do que meia dúzia de alentejanos.
2. Experimentem conhecer melhor a comunidade e os seus membros. Freguesia de Amareleja, perto do Rio Alqueva? Rio Alqueva, a sério? E a Estrela é um bairro fluvial?
3. O perdão é um acto cristão. Perdoem-me a piadinha do primeiro ponto, mas vinha mesmo a calhar. Já a segunda pista, é mesmo para levar a sério.

Tcharaaaan!

Imagem
Directamente da Universidade de Tromso para as minhas mãos, aqui está ele. Como dizia o outro, "é que não m'acredito!!!" Os meus agradecimentos à Embaixada da Noruega em Portugal, à Biblioteca Nacional Norueguesa e finalmente, à Universidade. O meu pedido de ajuda passou de mão em mão e permitiu-me o acesso a uma pedra fundamental no meu trabalho.


Esta é a prova de dois factos: 
1. A sociedade é mesmo global. 
2. Numa biblioteca, tudo é possível. A expressão "Não temos" não se aplica.


Uma semana nas nossas vidas

"Mãe, aqui está tudo bem, mas já morreu um rapaz em Lloret"

A 900 km de distância, como é que eu a protejo? Sempre achei que a estava a preparar (tal como aos irmãos) para este dia, para a primeira vez em que sai de casa entregue apenas e só à sua responsabilidade. Tenho de confiar nela, esperar que todos os dias que já vivemos a guiem e orientem.

Não foi - não é - fácil. Cada dia, cada hora, cada instante trouxe e traz uma decisão para tomar. Deixo ou não? Castigo ou não? Elogio ou encaro como uma situação normal? É este o caminho, ou devia ter virado algures, antes de chegar aqui?

Não tenho sido uma mãe fácil, eu sei. Demasiado exigente, intransigente. Frases como "Tudo tem uma consequência. Se agires bem, a recompensa virá, mas se agires mal vais ter de encarar o que vier a seguir" ou "Cumpre a tua parte, eu cumprirei a minha" foram repetidas até já não precisarem de ser ditas. Terei dito demasiadas vezes que não, ou terei dado pouca importância ao que…

Uma grande injustiça

Tanta coisa para fazer e eu enfiada na cama a chocar uma gripe. E nem sequer tenho voto na matéria, não posso fazer como no congresso do PSD... "ah e tal, afinal não percebi que passar um dia sem fazer nada implicava ter gripe, vamos votar outra vez". Uma injustiça, é o que é.

"Não sei se perceberam bem..."

Imagem
...mas aquilo que acabaram de aprovar não me agrada, por isso vejam lá se fazem de conta que não perceberam o que estavam a aprovar e votam como eu quero, está bem?

Adenda
Comentador do Expresso no local: "Uma sala cheia de Ipads e Iphones e de tecnologia mas depois as pessoas com o cartãozinho no ar, ninguém se entende. Eu acho que ninguém sabe verdadeiramente o que está a votar."

No Chiado, numa tarde de primavera

Imagem

Hoje é o Dia mundial da Poesia

UM POEMANão tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...

Miguel Torga

Já são Padrinhos de Leitura 2012

Imagem
(Actualizado em 21 Março 2012)













Barão & Chibito, Lda.






Crédito Agrícola Guadiana Interior




Duke's Bar - Moura




Farmácia Duarte - Amareleja




Farmácia Portugal - Amareleja




HDD Pro40, Lda - Informática


Supermercados Intermarché - Moura





Junta de Freguesia de Amareleja

Especial

Imagem
Esta é uma fotografia que nunca seria premiada num concurso. O ângulo é mau, a luz não é a melhor, a nitidez deixa muito a desejar.

Esta é a fotografia de um dos écrans gigantes do Estádio de Alvalade. Na imagem estou eu e parte da minha família sportinguista, a fotografar-me a mim própria no grande écran, em Alvalade. Não se trata de narcisismo, nada tenho de fotogénico e sou uma pessoa absolutamente vulgar. Bem, absolutamente vulgar, não. Sou sportinguista. Hoje, exactamente com a mesma convicção e orgulho da passada quinta-feira.

É isso que está na fotografia. Uma família de sportinguistas orgulhosos, em Alvalade, a apreciar todos os instantes que antecedem a entrada em campo dos nossos heróis.

Estamos a perder pontos? É triste, mas não é vergonha nenhuma. Roubar é que é vergonha. Ter de subornar e alinhar em esquemas é que é vergonha. Ser levado ao colo numa competição desportiva é que é vergonha. Ser incompetente é que é vergonha. Ser desonesto é a maior de todas as vergonhas.

E…

Padrinhos de Leitura 2012

Imagem
À semelhança dos anos anteriores, a Câmara Municipal de Moura vai promover o projecto Padrinhos de Leitura, em que é dada a possibilidade a instituições e empresas de apadrinharem os alunos de uma sala de aula de jardim-de-infância ou primeiro ciclo do nosso concelho, oferecendo-lhes um livro aquando da sua visita à Feira do Livro de Moura.

Conscientes do momento de crise que o nosso país atravessa, sabemos que só a união de esforços e o envolvimento de toda a comunidade pode tornar possível a concretização de projectos felizes como é o caso deste apoio à criação de hábitos de leitura nas crianças do nosso concelho.

Participe neste iniciativa. Torne-se Padrinho de Leitura.



Para mais informações contactar a Biblioteca Municipal de Moura: biblioteca.moura@cm-moura.pt ou 285 250 446

Pormenores

Imagem
Descrever uma série como Downton Abbey com a expressão "A mansão das intrigas" só pode ser porque nunca se viu um único episódio. Reduzir um retrato extraordinário das profundas alterações sociais, humanas, políticas e tecnológicas do princípio do século XX a um enredo de telenovela é pura infelicidade de quem faz a promoção da programação da SIC. Ou então é mesmo burrice.

Podes ir treinando

Imagem
Porque os adeptos do Sporting vão deixar-te surdo. A próxima etapa chama-se Metalist Kharkiv. Jogamos a 29 de Março em Alvalade e vamos à Ucrânia a 5 de Abril. Em frente!

Gestos que ficam

Cada um de nós sabe que guarda na memória um instante, uma palavra, um gesto, que define cada um destes jogos épicos do Sporting. Há uns anos, da célebre batalha com o Newcastle, ficou-me a memória de andar aos saltos na biblioteca a gritar golo, porque apesar da hora ainda estávamos a trabalhar para terminar uma exposição.

Desta batalha, que vencemos ontem, também há um gesto que fica: a arrogância insuportável do treinador do City, quando foi obrigado a fazer uma substituição nos primeiros minutos do jogo de Alvalade. A sobranceria foi tanta que mandou o jogador aquecer calmamente, apesar de o colega lesionado já não estar em campo. "Para ganhar a estes tipos, dez homens em campo é mais do que suficiente", deve ter ele pensado.

Mas não era, percebe? Porque nós podemos ter 11 homens em campo, mas cada um deles leva ao peito o emblema do Sporting. E as vozes, meu Deus, aquelas vozes que encheram Alvalade, que voltaram a encher Manchester, apoiando sem parar. Sporting Sporti…

Quem ajuda quem?

Já não é a primeira vez que recebo, no meu local de trabalho, chamadas telefónicas de uma empresa chamada Memosource. Em troca da aquisição por 29,90 € de um kit composto por dois brindes, certamente produzidos pela dita empresa, há 2,50 € que revertem a favor da Ajuda de Berço. Que grande generosidade!

A troco desta colaboração, a dita empresa acha-se no direito de contactar serviços públicos e empresas, com conhecimento prévio das pessoas que aí trabalham (que não sei onde vai buscar) e incomodá-las uma e outra vez, de cinco em cinco minutos, se for necessário, e falar como se a compra já fosse um dado adquirido e houvesse apenas uns detalhes sobre o processo de pagamento para tratar.

Se o telefonema é atendido por uma das minhas colegas, as senhoras não têm qualquer pejo em afirmar peremptoriamente que eu sou uma colaboradora habitual e que já adquiri várias vezes os produtos, o que é uma redonda e absoluta mentira.

Em questão não está o apoio à Ajuda de Berço, que em minha opinião…

E a solução aqui tão perto!

“Noutros tempos já se teriam levantado súplicas ao céu a implorar a graça da chuva”, mas “parece que os crentes não se fazem ouvir e a maioria da população não acredita na providência divina, mas somente na previdência de Bruxelas”, refere António Vitalino Dantas, Bispo de Beja.
Senhor Bispo, por quem é, chame já o Passos Coelho. É que esses tipos de Bruxelas são mesmo uns burlões. Nem imagina a quantidade de flagelos que nos impuseram, não são nada misericordiosos. Andamos aqui a sofrer, a perder meios de subsistência todos os dias, a ver crescer as filas de desempregados na mesma proporção em que aumentam os preços só para lhes agradar e nada! Cortes, cortes e mais cortes, impostos e mais impostos e afinal bastava-nos rezar...

Então e como fazemos? Quantas vezes por dia? Em grupo ou individualmente? Há alguma oração específica ou podemos inventar?


Perdão?

Júlia Pinheiro está à espera de um "neto" (sigam o link e logo percebem as aspas) e por isso diz que já começou a fazer os preparativos: começou a comprar botas de salto raso.

Desculpe? Sou tão ignorante, não percebo nadinha. As botas são para quê, mesmo? Oh senhores!!!

Ao que parece, hoje é o dia dos Bibliotecários

Imagem

Contas

A Lusoponte recebe, por contrato assinado com o Estado Português, uma indemnização para compensação das verbas que deixa de receber pela passagem na Ponte 25 de Abril, durante o mês de Agosto, por isenção tradicionalmente concedida aos automobilistas.O governo português decidiu em 2011 extinguir essa isenção, obrigando os automobilistas a pagarem a portagem pela passagem na referida ponte.A Lusoponte, sabendo que recebia, por determinação contratual, a módica quantia de 4,4 milhões para indemnização pelo não pagamento das portagens, calou-se muito bem caladinha e recebeu todos os cêntimos que os automobilistas foram obrigados a pagar.Algures, em algum gabinete, alguém pegou numa caneta e assinou os documentos necessários: a autorização de transferência da verba contratualmente devida à Lusoponte e a autorização para receber e encaixar as receitas das portagens no mês de Agosto; O Estado nunca se apercebeu do erro. Só após ter recebido a notícia que lhe foi dada pelos partidos da oposi…

Na defesa da região

Ontem à noite houve reunião extraordinária da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, da qual faço parte.

Na ordem de trabalhos havia apenas 2 pontos: A apreciação e votação de uma declaração de apoio à candidatura do Cante Alentejano a Património Imaterial da Humanidade e a proposta de eleição da Mesa da Assembleia com base num sistema de rotatividade requerido por quem não sabe aceitar a existência de maiorias.

No que respeita ao segundo ponto, sobre o qual esperava polémica, tudo tranquilo. A Mesa da Assembleia em funções demitiu-se, fazendo a vontade a quem insistia em não calar a birra e procedeu-se à eleição de uma nova mesa. Levem lá a bicicleta, foi o que me apeteceu escrever no boletim de voto.

O espanto, e o motivo deste post, esteve na apreciação do primeiro ponto, aparentemente pacífico. Convenhamos, quem é o alentejano que não sente orgulho em ver o cante tradicional da sua região candidatar-se a Património Imaterial da Humanidade? Quem não fica content…

Amanhã à noite

Imagem
Aposto que gostavam de ir. Paciência... Se não têm já os papelinhos mágicos, vai ter de ficar para outra vez. A lotação está esgotada!


Agora já sabes!

Imagem

Convite

Imagem
Ó caríssimo leitor, puxe lá a página para cima outra vez. Aposto que não leu o que está no cartaz. ´Tá mal! Depois queixa-se "Ah e tal, não sabia que havia isto ou aquilo..." Porque não lê, não se informa! Passou-lhe os olhos por cima e mais nada. Leia lá se faz favor, vai ver que não se arrepende. E apareça. Isto foi tudo planeado a pensar em si.

Fico chateada, é claro que fico chateada

Depois de dois meses de espera, os trabalhadores da TAP ficaram ontem a saber que vão manter os salários intactos em 2012, contrariando as imposições do Governo para o Sector Empresarial do Estado desde o ano passado.

No final do ano a TAP tinha pedido ao Governo para que esta excepção lhe fosse concedida. Enquanto esperava pela decisão do Governo, aplicou um regime menos penalizador aos trabalhadores, fazendo reduções inferiores ao que estava obrigada. Em vez de um emagrecimento entre 3,5 e 10%, cortou apenas o montante correspondente a uma percentagem entre 1,75 e 5%. Na segunda-feira chegou a decisão: Nem um só corte e o dinheiro entretanto retirado aos funcionários nos dois primeiros meses do ano será agora devolvido.

E nós, comuns mortais com os pés irremediavelmente colados ao chão?


Qualquer semelhança com a realidade não é coincidência

Imagem
Uma vez tive um chefe que me mandou arrumar os livros assim. Dizia que por assunto era uma "estupidez". E não estava a brincar, infelizmente.

Para que queres tu as botas, se tens as pernas tortas?

Ou como se fazem incentivos à cultura hoje em dia.

A chave

Imagem
Hoje é a apresentação oficial do disco e para começar o dia, o Rogério esteve na RTP 1, a encantar Portugal. Foi com muito orgulho que te vi ali, primo. Parabéns pelo que estás a conseguir, fruto do teu mérito e do teu esforço. Estamos todos contigo, de coração, mas isso já tu sabes.

E os vossos filhos?

Top10 das coisas que os miúdos de 5 a 13 anos não conseguem fazer hoje em dia:

1 - Reconhecer três tipos de borboletas (91%)
2 - Reparar um furo (87%)
3 - Fazer um nó (83%)
4 - Ler um mapa (81%)
5 - Montar uma tenda (78.5%)
6 - Fazer um fogo (78%)
7 - Reconhecer um melro, um pardal ou um pisco-de-peito-ruivo (71%)
8 - Fazer papel-machê (72%)
9 - Fazer uma chávena de chá (65%)
10 - Fazer uma toca (63%)

Em contrapartida, dez coisas que as crianças de 5 a13 anos conseguem fazer sem problemas:

1 - Operar um leitor de DVDs (67%)
2 - Fazer login na Internet (5%)
3 - Jogar videojogos numa consola (Wii, Xbox ou semelhante) (50%)
4 - Fazer um telefonema (46%)
5 - Jogar numa consola portátil (Nintendo DSi, PSP ou semelhante) (45%)
6 - Usar um iPhone ou smartphone (42%)
7 - Trabalhar no Sky Plus (41%)
8 - Enviar uma SMS (38%) (Só????)
9 - Procurar vídeos no Youtube (37%)
10 - Usar um iPad ou tablet (31%)

E de quem será a culpa?

"não podemos aceitar que numa sociedade como Portugal, num país de rendimento médio como Portugal tem, haja casais desempregados e famílias monoparentais com filhos e permitir isto" Oh Álvaro,  não quer vir cá a casa conversar um bocadinho comigo? Traga a família, eu faço um bolo de chocolate para o lanche e o Álvaro fica a saber como é que (sobre)vivem as famílias monoparentais (com filhos, que é uma coisa extraordinária!) desde que o Álvaro é ministro.

Ps: Olhe, traga também o seu Primeiro, para conversarmos sobre as minhas férias...

Chamem-lhe o que quiserem. Eu acho que é extermínio.

E de repente, descobrimos que há gente a morrer. Muita gente a morrer. O Director-geral de Saúde diz que é um surto de gripe. Pasme-se, morre mais gente com uma gripe normal do que com a famigerada gripe A, cuja prevenção fez o país gastar milhões em folhetos e cartazes informativos, luvas descartáveis e litros de desinfectante. E a falta que esses milhões nos faziam hoje!

Com uma consulta de urgência a custar 20 euros, sem hospitais ou centros de saúde nas redondezas e sem possibilidade de pagar o  transporte até ao mega-hospital mais próximo, expliquem-me lá como é que pessoas com duzentos e poucos euros de reforma, ou sem emprego há vários meses fazem para tratar uma simples, ridícula e teoricamente inofensiva gripe? Ficam em casa à espera da morte, claro. Não era isso que queriam? Menos seis mil portugueses para sustentar.



Vem aí...

Imagem
21 de Abril a 1 de Maio de 2012
(cartaz da edição de 2011)

Prioridades

O dia de hoje ficará para a história como o dia em que a reforma da organização administrativa do país foi aprovada na generalidade na Assembleia da República. Esta reorganização implica a extinção de várias freguesias sem que a população ou sequer os autarcas tenham sido ouvidos. Podiam protestar, e depois era uma chatice...

Infelizmente, grande parte da população portuguesa nem vai aperceber-se de nada. Por um intrigante e conveniente acaso, tudo aconteceu no dia em que os jornais e televisões só dão destaque a um jogo de futebol que faz parte da 21ª jornada da liga nacional de futebol.

Pão e circo, ou como com festas e bolos se enganam os tolos.

Mãe, afinal eu não era a única...

Imagem
Só falta aqui aquela em que eu punha o livro no chão enquanto eu ficava no sofá. Eram muitas horas... tão boas! copiado do facebook, claro.

Que alívio!

"If everything's fine you're probably in the wrong library."
The Bookmark, September 1989, p.48-49 M.L. REVEYRAND, teacher-librarian, KLO Secondary School

...

Não tem jeito para falar sobre o que sente. Mesmo quando o que tem lá dentro é suficiente para encher páginas e páginas e textos e textos sobre medo e solidão, sobre cansaço e ressentimento, sobre esperança e desilusão, e sobre esta escuridão que não tem fim e que um dia vai acabar por esgotá-la.