Haverá alguém para quem esta imagem seja conveniente?


A mim não me convém nada. Aliás, estou muitíssimo irritada. Andava eu toda ofendida com a observação infeliz do locutor da Rádio Comercial que diz que já ninguém vai a bibliotecas, porque são sítios fora de moda, afinal a entidade que tutela as bibliotecas públicas pensa da mesma forma...

A notícia é má e mal elaborada. Pega em informações soltas e desconexas, mistura tudo e põe um título para chamar a atenção. Mau jornalismo, feito de forma preguiçosa e que de uma só penada destrói todo o trabalho de advocacy que andamos a tentar fazer em defesa das bibliotecas públicas.

Se isto já é mau, o que está na génese da notícia é pior. Números jogados ao acaso, a tentar provar que a culpa disto tudo é das câmaras municipais que não investem nas suas bibliotecas. Este jogo do empurra já cheira mal e só prejudica as bibliotecas públicas. 

Faz-se crer que só uma grande injecção de dinheiro pode salvar o sector. Organização, trabalho de campo, ouvir e acompanhar os bibliotecários: zero! Agora vamos encomendar mais um estudo (baratíssimo, com certeza) para conhecer os não-leitores (!). Aos leitores não se liga nenhuma, esquecendo que a melhor publicidade é o passa-palavra. Um leitor satisfeito trará sempre mais cinco novos leitores, mas isso deve ser só na minha biblioteca, que apesar de ser pública, não faz parte da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, por isso os meus leitores não contam para nada.

Acho que vou escrever a estes senhores do Brasil, para lhes esclarecer esse ponto. Não me revejo nesta notícia e faço questão de o deixar bem claro.

Aos colegas deixo um desafio: A menos que isto seja verdadeiro para as vossas Bibliotecas, manifestem-se, que isto é inadmissível.


Comentários