Da coragem ou da falta dela

Há vários dias que somos bombardeados com a "coragem" de Angelina Jolie. Sem lhe retirar o mérito, convém ter os pés bem assentes na terra. Em Portugal esta cirurgia também é possível e é feita por quem tem possibilidades económicas para o fazer. No sistema público, nem os testes genéticos ou as consultas de risco se conseguem obter. O mero acompanhamento ou vigilância de situações já diagnosticadas de carácter benigno, que a qualquer momento podem evoluir para o que toda a gente teme, está a ser cancelado pelos hospitais públicos.

Quando a assistência à saúde está a ser cada vez mais estrangulada e vedada a quem não tem possibilidades económicas, dificilmente se pode pedir coragem a quem simplesmente não tem escolha.

Comentários

Enviar um comentário