Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2015

"Peaners"

Segundo contas que vi por aqui, "no cenário mais extremo" cada português terá de pagar 550 euros se os gregos decidirem não pagar a dívida grega. É muito? Não, é uma esmola, comparada com todos os muitos 550 euros que mensalmente me roubam do ordenado há mais de 3 anos, já para não falar nos chamados subsídios (que na realidade fazem parte do ordenado, apenas eram "amealhados" pelo Estado com uma estratégia de divisão do ordenado anual em 14 prestações em vez das 12).

Enquanto os 550 euros que supostamente darei aos gregos servirão para restituir a electricidade à casa de 300 mil famílias que vivem à luz das velas por incapacidade de pagar a conta da luz, os (ora, assim por alto... 550x12x3 é igual a...) 19 800 euros que já paguei desapareceram em buracos para os quais também não contribui: BPN, BES, TGV e outras tretas. E para quê?

Até pode ser uma desilusão ver este novo governo grego implementar o seu programa, mas a lufada de ar fresco que se fez sentir por ess…

De novo, a Grécia

E quando o mundo parece concertado no caminho das inevitabilidades,  eis que a Grécia é de novo o berço da democracia.

Ao propalado medo do incógnito sobrepôs - se o cansaço de um sistema demasiado conhecido e sofrido na pele.

Agora que somos todos devedores da coragem dos gregos, estou curiosa para ver o que faremos com os votos que teremos nas mãos.

Ainda somos humanos, ou somos apenas máquinas de calcular?

Imagem
Depois da moda (horrível) de cada um pagar o seu consumo nas festas de aniversário, e ninguém dar prendas a nínguém, eis que surge um novo paradigma de convites para festas: os pagamentos por falta de comparência, com ameaças de processo jurídico e tudo.

No Reino Unido, os pais de um menino de 5 anos receberam uma factura no valor de 15,95 libras, envida pela mãe de um amiguinho da escola, por ter faltado à sua festa de anos. Que amorosa!


Charlie Hebdo

Imagem
Tantos mortos desnecessários. Tantas famílias destroçadas.
Se há aqui alguma religião, chama-se irracionalismo.
Que dias tão tristes para a humanidade!