quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Bem-vindos à era do absurdo

Todos o consideraram demasiado louco para poder ser eleito.  Todos consideraram um absurdo impossível a hipótese de ele se tornar presidente. E perante a arrogância das certezas absolutas e a indiferença pela raiva surda das classes mais desfavorecidas e profundamente ignorantes (os EUA são demasiado egocêntricos para perderem tempo a estudar a história do mundo e das civilizações), ele foi vencendo etapa após etapa até chegar aqui.

Muitas vezes me perguntei como era possível que um louco como Hitler tivesse conseguido chegar ao poder.  Hoje, no dia em que passam 27 anos sobre a queda do muro de Berlim, acabei de testemunhar em directo como tudo aconteceu, apesar das certezas inabaláveis de comentadores, politólogos, jornalistas, políticos e toda uma imensa massa de gente que tem como função vender opinião em vez de dar informação.

Agora todos vão tentar analisar e compreender como foi possível que isto acontecesse. Infelizmente, para os EUA e para o mundo, já vão demasiado tarde.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...