quarta-feira, 1 de março de 2017

Mais uma vez, Santo Amador

Que orgulho tenho nestas gentes de Santo Amador, uma terra que descobri já na idade adulta e que aprendi a admirar. Nada, neste microcosmo, é em vão. A tudo a população adere com alegria, entusiasmo e empenho.

A preservação das tradições tem aqui contornos que nunca vi noutro lugar, entranhando-se no quotidiano dos habitantes, marcando a passagem do tempo e iniciando as novas gerações para que elas vivam com orgulho os costumes da terra. Não é um museu aberto porque aqui não se revive, vive-se!


Nota: Não sei se ainda se mantém, mas sendo a freguesia mais pequena do concelho de Moura, era, consistentemente, a que melhores resultados apresentava na utilização dos serviços da biblioteca e no número de empréstimos domiciliários. Gente que lê, é outra coisa!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...