quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Bibliotecária de plantão II

Depois de registarmos os livros que vai requisitar, fica a falar comigo. Tem 6 anos e uma conversa que nunca mais acaba. Agradece o marcador de livros que lhe ofereço, diz que é uma grande ajuda porque "às vezes o pai chama para jantar" e ela ainda não acabou de ler.

Nem sei bem como, a conversa foi parar à Casa-forte de BPE. Explico-lhe o que é e digo-lhe que só eu tenho a chave e o código secreto. Não resisto e levo-a lá. Nem um metro de gente, ajuda-me a empurrar a porta pesada e mal entra, deixa escapar: "Este é o sítio mais fixe do mundo!".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...