quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Viragem

Deixo em 2015 o fim da minha vida familiar tal como a conhecia.  Deixo para trás a ilusão de amizades que pensava verdadeiras. Fecharam-se os caminhos de volta à vida que tinha antes. Mesmo que fisicamente volte ao mesmo lugar, nada será como dantes.

Ficam de 2015 os amigos que me acompanharam, apesar de tudo.
Fica o orgulho enorme nos meus filhos. Ficas tu, apesar da distância.

Fica a felicidade que retiro do trabalho. Ficam as pessoas que conheci, as situações que experimentei, a aprendizagem constante. Fica a (cada vez mais) minha Biblioteca. Fica o congresso BAD que encheu Évora de Bibliotecários e Arquivistas.

2016 está aí. Há promessas que gostava de fazer, mas sei que não vou cumprir.  Ficam as que posso e vou cumprir: trabalhar muito pela minha biblioteca e acabar a tese de doutoramento. Depois disso é que vou pensar em comer menos chocolate.

Bom ano para todos. Todos mesmo!

1 comentário:

  1. Bom ano Zélia!
    Adoro este blog despretensioso e sincero, que maravilha.
    vou continuar a ser presença assídua por aqui. Obrigada por publicar!

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...