Um agradecimento há muito devido

Voltei há dias, por outras razões, ao consultório da pediatra dos meus filhos. Enquanto esperava pela Dra. Cristina Miranda, lembrei-me de tantas horas ali passadas. Tanta ansiedade com os problemas de ouvidos e cirurgias da Inês, tanto medo no primeiro exame da Mariana, depois de um parto tão difícil, tanta angústia nos primeiros meses do Pedro, enfraquecido por um refluxo que não o deixava alimentar-se.

Dito assim, parece tudo muito dramático e quando me lembro, pergunto-me como foi possível que os dias passassem ligeiros. Três filhos, três vidas, três ritmos de alimentação, de sono, de fraldas, três histórias de febres, de otites, três sequências de vacinas, de consultas, de exames de rastreio...

Mas tudo foi tranquilo, porque do outro lado da mesa, do outro lado do telefone, havia uma pessoa chamada Maria Cristina Miranda. Sempre calma, mas de uma precisão e rigor inigualáveis. Com ela houve sempre uma confiança total e absoluta e, como vim a perceber na pior fase da minha vida, uma generosidade e disponibilidade muito raras nos dias de hoje.

Nada sei sobre a sua vida privada, nem sobre os seus gostos ou hobbies. Nada sei sobre os problemas que a preocupam ou que partidas a vida já lhe pregou. Ela sabe dos meus, porque ali encontrei um apoio inestimável, um porto de abrigo, alguém com quem partilhei a mais nobre missão que me foi confiada: criar os meus filhos. Cuidou deles comigo, deu-me ferramentas e estratégias, ânimo e coragem.

Obrigada por tudo.

Comentários