segunda-feira, 8 de maio de 2017

A vitória de Marine Le Pen

Já ontem tive esta sensação. Ela fez tudo o que podia para chegar à segunda volta, e depois fez tudo o que podia para não ganhar.

Não lhe interessa governar, porque ela não é pessoa de fazer, de concretizar, de tomar decisões e arcar com responsabilidades. É pessoa de dificultar, de criar obstáculos, de influenciar e manipular,  como ela própria disse tão bem ontem à noite: o movimento que lidera é agora "the leading opposition force against the new president's plans". Por isso celebra, porque atingiu plenamente os seus objectivos.

Vai criar um novo partido por duas razões: 1) porque na FN estão fartos de morrer na praia e já não a aturam; 2) porque corre o risco de vir a ser eleita se não quebrar o ciclo de crescimento do partido. Leva os ignorantes que se deixam governar pelo medo com ela e vai continuar a ser a pedra no sapato da França e da Europa, acicatando ódios e intolerâncias.

Não vai passar disto, mas isto já é mais do que preocupante, dada a facilidade que teve em mobilizar e manipular 1/3 dos franceses. Isto é preocupante porque este 1/3 é maioritariamente jovem, não tem memória, de história sabe pouco e ameaça ser maioria na França da próxima geração.






Sem comentários:

Enviar um comentário