domingo, 4 de agosto de 2013

Querida PT

Cá estou eu a escrever-te novamente. Não há forma de teres juízo. Hoje ligaste-me e puseste uma gravação com a voz de um jogador que costuma dar empurrões nos árbitros que até os deixa inconscientes, a mandar-me ver um determinado canal que aqui em casa até está bloqueado. Também andas sempre a mandar sms com a mesma conversa ao pessoal cá de casa.

Ora, querida PT, o tempo da outra senhora e do clube do regime e do bom chefe de família já passou. Acredita em mim, que eu sou de História e trabalho numa biblioteca. Talvez fosse bom repensar esta estratégia. Já te aturei muita coisa, mas desta vez foste longe de mais. Outra gracinha destas e já sabes. Zap! Corta-se para sempre a nossa relação, que eu não te devo fidelidade nenhuma.

Um abraço, toma atenção ao que te digo, porque só te quero bem.

Zélia

Ps: Tens algum dispositivo a gravar as reacções dos clientes? É que eu deixei-te lá um miminho.

Sem comentários:

Enviar um comentário