quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Francisco José Viegas

Francisco José Viegas sai do Governo.

Prefiro falar apenas do que sei. A fusão entre a Direcção-geral dos Arquivos e a Direcção-geral do Livro e das Bibliotecas não é o ideal e parece-me até um retrocesso no longo caminho da distinção de papeis. Porém, antes a fusão do que a mais que anunciada extinção.

Francisco José Viegas defendeu como pôde as bibliotecas. Poderá ter feito muito pouco ou nada para o seu crescimento e desenvolvimento, mas não contribuiu de forma nenhuma para a sua destruição, coisa que parece ser uma proeza para um membro deste governo. Só por isso, muito obrigada. Deu ao acordo ortográfico a importância que ele merecia - nenhuma - chegando mesmo a ridicularizar os papões da sua aplicação.

Discretamente, sem afrontar ninguém, demarca-se e sai do governo. É certo que quase ninguém ouvia falar dele, mas é preciso ver o contexto. Todos os coleguinhas fazem questão de aparecer regularmente a debitar asneiras, pelo que a sua opção pelo silêncio adquire para mim outro valor.

Posto isto, desejo-lhe a melhor recuperação possível, a nível físico e mental, porque estar metido no meio daquele "grupo" deve ser de doidos. Espero vê-lo de volta rapidamente por aqui.

1 comentário:

  1. Olá Zelia
    Desejas-lhe a recuperação a nível físico ou a nível de Fisco???
    Mgantes

    ResponderEliminar