Noventa minutos.


Noventa minutos de pausa, de férias da vida de todos os dias. Sem prazos, sem obrigações, sem compromissos e tarefas. Só aquela bola a rolar no relvado, dez jogadores, o Rui Patrício, o treinador e a vontade indomável do Marcelo Boeck a empurrar a equipa para a frente.

Noventa minutos, tic-tac, tic-tac, tic-tac... O entusiasmo inflacionado dos relatadores, a tragédia de dimensão universal quando há um erro de arbitragem contra nós, o riso franco e aberto quando um dos nossos faz uma gracinha. Os aplausos aos arranques mágicos de Capel, à irreverência e juventude dos miúdos da Academia. A voz do Botas: "Sportinguistas...".

As camisolas, os cachecóis, as bandeiras. O verde e o branco. Os gritos. Os braços no ar. Os cânticos. As frases mágicas: "É goooooolo! É do Sporting!"

A alma lavada. A descompressão. O reset para uma nova semana.

Amanhã começa a nossa época.

Comentários