domingo, 27 de outubro de 2013

Nem sei por onde hei-de começar...

... por isso vou logo directa à conclusão.

Estes advogados, que por agora não cobram honorários (tão simpáticos!), mas que certamente tencionam receber uma fatia da hipotética indemnização, nunca se lembraram de pedir apoio para ajudar a senhora a resolver os problemas que a afligem, nomeadamente o vício do jogo? Talvez a própria Santa Casa da Misericórdia tenha meios disponíveis.

Aconselho os proprietários do café e do quiosque referidos na reportagem a seguirem com atenção o processo. Se a senhora chega a receber o dinheiro, imaginem a quantidade de raspadinhas que vão vender...
       

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...