segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Em quem não vou votar no dia 27 de Setembro - Parte 2 (A economia)

Não votarei em quem criou o estatuto de "desempregado profissional", atribuindo a torto e a direito rendimentos mínimos, que na sua maioria privilegiam quem não quer trabalhar.

Não votarei em quem transformou a população activa do nosso país em "coleccionadores de cursos de formação profissional", cujos conhecimentos nunca vão ser utilizados em trabalhos efectivos.

Não votarei em quem investiu recursos necessários ao desenvolvimento do país num autêntico "Ministério da Formação Profissional", que não beneficia ninguém: os formandos limitam-se a saltar de curso em curso; os formadores têm a ilusão de um emprego sustentado a recibos verdes; as estatísticas de desemprego são iludidas pela ocupação temporária e inútil destas pessoas.

Não votarei em quem escolheu desproteger e desamparar as pequenas e médias empresas, que poderiam criar milhares de postos de trabalho (tornando desnecessária a atribuição de rendimentos sociais) e desenvolver a economia nacional.

Não votarei em quem sobrecarrega estas mesmas empresas com pesadíssimas taxas fiscais, sufocando-as e tornando impossível a sua sobrevivência.

Não votarei em quem persegue os pequenos contribuintes (incluindo estas pequenas empresas) com programas ferozes de cobrança fiscal, enquanto deixa escapar airosamente os "José Veiga" deste país, com dívidas de milhões de euros.

Não votarei em quem privilegia os bancos e fecha os olhos perante a ineficácia do Banco de Portugal.

Não votarei em que promove aumentos astronómicos aos gestores nas empresas estatais e deixa aos restantes 99% dos portugueses a honrosa tarefa de "aguentar a crise".

Não votarei em quem invoca em vão a palavra "solidariedade".

3 comentários:

  1. No tempo do "Cavaquismo" os ministros de Cavaco Silva eram apelidados de Cavaquistas, durante o "Guterrismo" os ministros de Guterres eram chamados de Guterristas. No Governo de Sócrates o unico nome que me ocorre para designar os seus seguidores é Sócretinos (só-cretinos.

    JF

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Freeport, BPN, BPP, Bragaparque, Moderna, Submarinos, Edifício CTT, Casa Pia, Aeroporto de Macau, Felgueiras, Oeiras, Gondomar, Amadora, etc, etc, etc... O que têm em comum estas situações? Têm todas figuras proeminentes do chamado Bloco Central (PSD, PS e CDS), alguém acredita que haverá alguma condenação? Não, não haverá!
    Dias Loureiro, Miguel Cadilhe, Oliveira e Costa, Ferreira do Amaral, Fernando Gomes, Armando Vara, Jorge Coelho, Pina de Moura, etc, etc, etc... O que têm em comum estes nomes? Tudo gente do chamado bloco central (PS e PSD), que transitaram da politica, para a direcção de grandes empresas/grupos, que legislaram e aprovaram leis, que iriam servir os interesses das empresas/grupos, que por "mérito inerente", passaram a representar. Alguém acredita na inocência destas escolhas? Não! E que dizer do pluralismo da nossa comunicação social, sustentada pelas empresas/grupos económicos que sustentam o protelado bloco central (PSD e PS), que tem ao seu serviço opinadores de serviço e ao serviço do chamado bloco... você já sabe - central - pois é. Vindos de áreas tão diversas como o PS e o PSD, ou o PSD e o PS, e que nos impingem até á exaustão que só se pode votar em 2 partidos, da chamada (segundo eles) esfera do poder, em nome da chamada estabilidade, ou eles ou o caos... Pensam eles que nos esquecemos do Sr. Cavaco e Silva com 2 governos de maioria, em que uma das protagonistas é a Sr.ª Manuela Ferreira Leite, como nós nos lembramos dela, foi Ministra da Educação (Propinas, lembram-se?), e das finanças (o apertar o cinto -para os mesmos de sempre - em nome do apregoado deficit), e os protestos da ponte, e a carga policial a mando do Sr. Cavaco, homem dado à conversação e ao diálogo, mas de bastão em riste, lembram-se, não se lembram? É que parece que foi ontem.
    E o Sr. Sócrates, que de filosofo só tem o nome, saído das histórias de Carlo Lorenzini, e que por acaso tem maioria absoluta. Pergunta: Estamos melhores? Respondam a esta e a outras perguntas pertinentes: Os Professores, agricultores, polícias, GNR, jovens licenciados e não licenciados estudantes, reformados, micro-pequenos e médios empresários, trabalhadores da Administração Pública, desempregados. Calma, nem todos estão de acordo com esta análise, então os homens não terão alguém satisfeito com a situação? Claro que têm: Os Banqueiros, os grandes empresários, os Boys, etc. etc. etc.
    Mas haverá no dia 27 de Setembro nos boletins de voto, só 2 partidos? Não parece que há mais, que a constituição, por mais que queiram os opinadores, deixa concorrer quem quer e preencha os requisitos. Parem de nos passar atestados de menoridade política, cívica e intelectual (jornais, revistas, televisões), nós pensamos pela nossa cabeça! Então estes senhores governam-nos há mais de 30 anos, defendem o sistema que levou tudo e todos a esta crise, agora apresentam-se como salvadores com as mesmas receitas.
    Não! Nestes senhores eu não voto, vou votar CDU, e não me venham com o anticomunismo primário, e com a história da URSS, da China, de Cuba, eu estou em Portugal, respondo por estes problemas e escolho de entre várias soluções, se é utopia, defender a ética, os princípios, os valores, os que menos têm, as injustiças e as desigualdades, eu sou utópico por natureza e voto na CDU - Os comunistas não comem criancinhas ao pequeno-almoço - por favor mudem a cassete! Sim mudem vocês a cassete. Por favor chega de Bloco Central, e já agora deixem de levar o outro Bloco (Esquerda), ao colo, já que não o querem fazer em relação ao PCP, pelo menos respeitem a história de um partido que fez 87 anos, e que está na política, de forma pelo menos tão nobre, quanto os outros, já que não o querem promover, nem passar as suas mensagens, pelo menos respeitem-no.

    ResponderEliminar