quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O que faz o medo


Em comunicado emitido na quarta-feira à noite, a comissão de trabalhadores (CT) da RTP acusa o primeiro-ministro de obrigar à deslocação de vários profissionais do canal público à residência oficial em São Bento para a realização da entrevista agendada para esta quinta-feira, apenas para não enfrentar nas instalações da RTP "cara-a-cara os trabalhadores de uma empresa que o Governo está em vias de destruir".
"Não entendemos que, só para se poupar a esse confronto, tenha imposto a realização da entrevista em S. Bento, com um custo adicional de milhares de euros para o erário público, injustificável em tempo de cortes na despesa", refere a Comissão de Trabalhadores.
Felizmente, nós não temos medo, talvez porque não fizemos nada de mal, nada de que tivéssemos de nos arrepender, nada que prejudicasse seriamente os outros. Sem medo, desceremos a Avenida da Liberdade e todas as avenidas, ruas e becos que forem necessários para lutar pelo direito ao trabalho que nos permita sustentar os nossos filhos, pela liberdade, pela dignidade.

Ou fazemos ouvir a nossa voz ou calamo-nos para sempre. A conversa de café e a frase tantas vezes repetida do "Eu não sei onde é que isto vai parar" não servem para nada. Todos sabemos onde isto vai parar. Todos estamos já a sentir os efeitos. Há outras vias e nós, os portugueses, não queremos esta. Vamos lutar. É agora ou nunca.

Sem comentários:

Enviar um comentário