terça-feira, 20 de novembro de 2012

Até onde é preciso chegar?

Copiado do Facebook

Para quem pensa que só acontece longe de nós, deixem que vos conte uma coisa. No domingo à tarde, andava um homem na Praça, aqui em Moura, a perguntar se alguém precisava de gente para apanhar azeitona. Ninguém quer empregar os portugueses, só empregam grupos de romenos a quem pagam 0,05 € por quilo de azeitona. Cinco cêntimos! Precisam de apanhar 20 kg para ganharem 1 euro...

Não teve sorte, não havia ninguém. "Estou desesperado. Tenho 3 filhos em casa e hoje ainda não comeram nada."

Pensem nisto, antes de falarem mais em bifes.
                 

1 comentário:

  1. De facto a questão dos bifes trouxe tudo isto para a praça pública. Não creio que as palavras de Isabel Jonet tenham sido as melhores no melhor momento. Visitei em tempos o Banco alimentar em Lisboa e encontrei pessoas da maior nobreza e honradez a darem de si aos outros. E enquanto fui puto sempre ouvi dizer em casa: "Não podemos comer bifes todos os dias!" Por isso compreendo as tais declarações. Mas quando alguém chega ao ponto que a Zélia refere algo está mal, muito mal no País dos Audis.

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...