Oh my God!

Fiquei acordada até tarde. Não conseguia dormir. Acordei de madrugada e vi-o em directo. O discurso de vitória de Barack Obama em Chicago. Achei que era um momento histórico. A América tivera a coragem que eu não esperava ver, principalmente depois da desilusão de 2000. Oito anos depois, o mundo a mergulhar de cabeça numa crise que perdura e ameaça levar-nos a todos, consequência da política de desregulamentação económica do Bush júnior, a América escolhera um democrata. Mais: a América escolhera um homem que não cumpria nenhum dos cânones da cartilha política e que ainda por cima era negro.

Talvez seja prudente confessar que não tenho os americanos em grande conta. Ok, é um preconceito, mas considero-os na generalidade um bocadinho burros. Burros mesmo a dar para o estúpido, não para o ignorante. Ainda por cima, sem tradição nem História, acham-se donos da cultura do mundo, apesar de não conseguirem articular duas frase seguidas sem dizerem f*** ou Oh my God!. Talvez chegue para um diploma de RVCC, mas pouco mais. Por isso, achei pouco provável que resistissem a eleger McCain, mais aquela terrorista da moral chamada Sarah Palin. E no entanto, conseguiram superar-se e surpreenderam-me.

Muitos dos meus amigos discordavam da esperança que eu tinha em Obama. "Vais desiludir-te, ele é igual aos outros". Talvez, mas de certeza, menos igual que McCain e de certeza, menos igual que Romney.

Como é que é possível que agora as sondagens estejam empatadas? Como é possível que os Estados Unidos possam voltar a ter um presidente republicano, apostado em prosseguir políticas económicas desastrosas, em ceder aos lobbies do petróleo deitando por terra todo o esforço desenvolvido nas energias renováveis, para explorar até ao esgotamento as reservas naturais do planeta? Como é que é possível elegerem um homem que acha que as janelas dos aviões deviam abrir? Como é possível votar num político que já anunciou - e faz bandeira disso - que a maioria republicana do senado vai boicotar toda a acção dos democratas, caso estes consigam vencer? Que género de atitude é esta? Se não o deixarem ganhar também não os deixa brincar, é isso?

O mandato de Obama não foi o oásis, mas agora a sério e a menos de 24 horas da possibilidade de eleger Romney para presidente do país mais poderoso do mundo, tenho de perguntar are you f***ing kidding me?


Comentários