terça-feira, 6 de abril de 2010

Feira do Livro de Moura: 30 anos | 1999

De 16 a 24 de Outubro de 1999, a Feira experimenta pela primeira vez aquele que tem vindo a ser o seu formato nos últimos anos: uma tenda de grandes dimensões ocupa a Praça Sacadura Cabral. Os livros estão ao alcance do público, expostos em bancas, sem intermediários. Todos podem folhear, virar e revirar, ler e comparar antes de comprar.
Os resultados das vendas são bons, quase se duplicam as vendas dos últimos anos, atingindo os novecentos mil escudos.

O programa é preenchido: lançamentos de livros, colóquios e debates. A Ludoteca elabora um programa de recepção às escolas, com uma hora do conto especial. Citando o jornal A Planície, a Feira do Livro “parece ter ganho o caminho certo”.


A 1 de Janeiro inicia-se a União Monetária Europeia. O Euro entra em vigor em 11 dos quinze estados membros.

A 30 de Agosto, o Povo de Timor-Leste vota massivamente a favor da independência da Indonésia, em referendo organizado pela ONU, o que provoca uma reacção de repressão por parte da Indonésia.

Portugal manifesta a sua solidariedade. Todo o país se veste de branco, dando um sinal claro de apoio à luta do povo timorense e pressionando a ONU a tomar uma posição activa na defesa dos interesses daquele território. A 20 de Setembro, finalmente, os Capacetes Azuis chegam a Timor.



A 6 de Outubro, Portugal lamenta a morte de Amália Rodrigues, a voz de Portugal e a voz do Fado.

Günter Grass, escritor alemão, é galardoado com o Prémio Nobel da Literatura, "pelo retrato obscuro que faz da história''.

No Cinema, os Oscars premeiam A vida é bela (3 prémios) e O Resgate do Soldado Ryan (5 categorias), mas o grande vencedor da noite é A paixão de Shakespeare, premiado em sete categorias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...