terça-feira, 18 de maio de 2010

Venho da festa...

Um belíssimo fim-de-semana na tasquinha da Associação de Trabalhadores, conforme se pode comprovar.


Deixem-me só agradecer (não se esqueçam que isto é um blogue pessoal) a todos os associados que não puderam comparecer para ajudar, porque assim deram a oportunidade a apenas 4 membros de passar lá os três dias, o que foi muito divertido. Agradecemos também aos associados que escolheram todas as outras tasquinhas menos a nossa para petiscar, ou até para beber apenas um café ou uma água, porque assim deixaram mesas vagas para o resto das pessoas que fizeram questão de ir à nossa.

E pronto, beijinhos.

6 comentários:

  1. Vitor Ramalho18/05/10, 10:42

    Quero apenas dizer que o n.º de colaboradores foi um pouco maior muito embora a maior parte do tempo tenha sido assegurada por apenas três ou quatro associados...
    Quero agradecer a todos que colaboraram, para que fosse possivel levarmos por diante mais este evento,só mais uma coisinha muito importante: o associativismo tem como objectivo principal a ajuda dos restantes ao que num determinado momento tem necessidade, por isso devemos participar de forma expressiva proque nunca se sabe quando chega a nossa vez... para ajudar só temos que querer e «querer é poder», muito obrigado e até sempre...

    ResponderEliminar
  2. ... mas quando chegar a altura de se montarem no autocarro para irem a Barcelona, até se empurram ...

    tss tsss

    Lixo Tóxico

    ResponderEliminar
  3. é o mesmo de sempre. andam uns a trabalhar para outros terem as regalias

    ResponderEliminar
  4. A todos aqueles que têm trabalhado em prol da Associação o meu reconhecimento e admiração, nesta Feira privaram horas da família, dos amigos, de lazer, para estarem horas a fio a trabalhar por uma causa nobre, angariarem dinheiro para poderem sustentar as comparticipações médicas, sociais e desenvolverem actividades várias. Pena é que sejam sempre os mesmos, dum alargado universo, e alguns apenas recebem, dar o seu contributo em trabalho, é que é pior. Onde estão muitos dos fundadores e outros que tais, infelizmente há pessoas que só entram em coisas de que poderão tirar proveitos, sejam eles monetários, cargos de poder, ou para pagarem algum favor que lhes tenha sido feito.
    Aqui nestas pessoas que trabalharam está o verdadeiro exemplo do altruísmo, da solidariedade, do trabalhar em prol da comunidade sem olhar a interesses.
    E já repararam que muitos destes estão em todas, e já repararam em alguns, que só estão, vão ou aparecem em coisas de que possam tirar algum proveito imediato ou de futuro, a esses eu dispensaria de bom grado da sociedade.
    A estes trabalhadores da Associação, e de todas Associações que estiveram na Feira a trabalhar em prol de causas justas, o meu reconhecimento, admiração e que continuem estão no bom caminho e são o garante ainda, de que valores como a solidariedade, amizade e justiça, não se percam nesta onda neoliberal, de cada um por si, e para si.
    Obrigado a todos

    ResponderEliminar
  5. Ana Farinho20/05/10, 01:31

    Pela minha parte quero, especialmente, agradecer:
    aos associados que não pertencendo aos órgãos sociais participam com regularidade nesta ou noutras iniciativas da Associação; aos associados e não associados que contribuíram com petiscos e doces; ao Vítor por ser o exemplo de Presidente que todas as Associações teriam orgulho em ter e que suportou “a parte de leão” do trabalho da Tasquinha; à Zélia que demonstrou ser “uma verdadeira leoa” na arte de bem cozinhar assim como na sua especialidade de sangria caseira com açúcar amarelo e que foi um verdadeiro caso de sucesso; a todos quantos deixaram para segundo plano a família, o lazer e as suas actividades pessoais para dedicar tempo do seu tempo aos outros. Também é verdade: nem sempre existe a consciência que “os outros” somos, afinal, todos nós. Infelizmente essa falta de consciência não é apenas um problema desta Associação. A falta de voluntarismo para o trabalho associativo e gratuito é apenas o espelho da sociedade que temos e continuaremos a ter enquanto do alto do nosso individualismo pensarmos que nos bastamos a nós próprios…! Um dia, e pelas mais variadas razões, podemos ser nós a ter que pedir ajuda ao que hoje julgamos poder dispensar. Acho que no final o saldo é sempre positivo para quem vem da festa – conhecem-se pessoas, reforçam-se os laços com aqueles que, diariamente, trabalham ao nosso lado, e até no meio de algum desapontamento, por sabermos que tudo poderia funcionar melhor se fossemos mais, ainda há tempo para rir com a possibilidade de novas e futuras actividades… mesmo quando nessas ideias novas nos imaginamos já muito velhos… :)
    Estamos nesta vida pouco tempo. Acho que é o mínimo que podemos fazer uns pelos outros.
    Obrigada a todos.

    ResponderEliminar
  6. Sei que este post causou alguma "agitação". Quem me conhece sabe que prefiro sempre uma dura verdade a qualquer mentira piedosa ou simpática, e que o meu pior defeito é também a minha melhor qualidade: a franqueza. Às vezes posso ser difícil, mas pelo menos comigo toda a gente sabe com o que pode contar. Como se costuma dizer, 'What you see is what you get'.

    Em jeito de balanço, devo dizer que apesar de ter sido bastante irónica no meu post, não estava a ironizar quando disse que tinha sido muito divertido passar lá o tempo. Na verdade, acho que quem nunca experimentou participar neste género de actividades não sabe o que perde. A camaradagem e o espírito de entreajuda são muito bons e fazem com que todo o trabalho e esforço façam sentido. Eu fui uma vez ajudar a minha irmã à tasquinha do Núcleo Sportinguista e nunca mais achei piada a ir à Feira apenas como visitante. Hoje participo activamente na tasquinha da Associação de Trabalhadores, mas se não estivesse ali, estaria certamente a ajudar no Sporting.

    O facto de os nossos associados não frequentarem a tasquinha, nem sequer para beber uma água, já me custa mais a aceitar. É óbvio que cada um vai onde lhe apetece, mas estamos a falar da tasquinha que existe com o objectivo de angariar fundos para apoiar todos os associados... E perderam a melhor sangria dos últimos 100 anos, ou não fosse ela feita com açúcar amarelo!

    Tal como a Ana, e com certeza em nome de todos, quero agradecer aos associados que aparecem sempre para ajudar e especialmente aos cozinheiros e cozinheiras que contribuiram com petiscos (não gosto de minhocas, mas ouvi dizer que os caracóis estavam um espectáculo!). É uma forma simples de ajudar mas tem muito, muito valor para nós. Obrigada.

    ResponderEliminar