sexta-feira, 2 de março de 2012

Mãe, afinal eu não era a única...


Só falta aqui aquela em que eu punha o livro no chão enquanto eu ficava no sofá. Eram muitas horas... tão boas!
                    
copiado do facebook, claro.
                  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...