quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Cada vez mais perto do abismo


O Ministério das Finanças está a estudar a possibilidade de aplicar cortes nas deduções fiscais de quem apresenta IRS com filhos a cargo, ascendentes ou deficientes. Porém, para o fiscalista Tiago Caiado Guerreiro, isso não será suficiente, pelo que terá de haver despedimentos na função pública.

Posto isto, pergunto, porque é que não nos encostam já aí a um muro qualquer e não dão início ao abate? Deixem ficar apenas os gestores de topo e as Veras Pereiras, eliminem tudo o resto: As famílias, os funcionários públicos, os pequenos empresários, enfim... os contribuintes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...