sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Especialistas

O responsável pela unidade de transplantação de medula óssea do Instituto Português de Oncologia, Manuel Abecassis, considera que não vale a pena gastar mais de mil euros na criopreservação de células estaminais do sangue do cordão umbilical.
O senhor alega que só houve 3 casos de sucesso. 3 vidas que se salvaram, que insignificância.

Consultei este especialista por volta de 1998 ou 99. A minha anemia crónica estava mais do que diagnosticada e eu tomava um medicamento chamado Lederfoline desde 1989. 20 dias de toma, 10 dias de pausa, 4200$00 (21 euros) a embalagem, que dava para um mês.

O especialista disse-me que era parvoíce gastar tanto dinheiro. Para que eu entendesse (coitada de mim, ignorante) explicou-me que o medicamento que eu tomava era uma espécie de Ferrari, mas que um Fiat 127 me levava ao mesmo local, só um pouco mais devagar, e receitou-me outro medicamento.

Assim fiz. Passados alguns meses, a hemoglobina estava nuns miseráveis 6,8 (o normal é entre 12 e 14) e os médicos queriam que eu fosse internada para recuperar. Atirei os medicamentos Fiat 127 para o lixo e voltei ao Ferrari, complementado com doses industriais de ferro. Melhorei o suficiente para voltar a trabalhar regularmente e fazer a minha vida normal até que tive de ser submetida a uma intervenção cirúrgica em 2002 que me resolveu o problema que agravava a anemia.

Nunca mais voltei a este especialista. Passei a ser acompanhada pelo Dr. António Parreira, que fez jus ao nome idêntico ao do meu pai e foi um espectáculo.

O que ele diz hoje até pode ter algum fundamento. Eu é que já não acredito.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...