domingo, 24 de junho de 2012

25 anos depois


Bem, quando clicarem no link do Açúcar Amarelo, passem a trazer lenços de papel, que isto anda aqui uma lamechice... As comemorações são mais longas que as do aniversário da Rainha de Inglaterra.

Primeiro foi a minha filha mais velha, finalista do secundário. A seguir, ela fez 18 anos. E hoje, feriado municipal, vou receber uma medalha pelos meus 25 anos de trabalho. É verdade, sou praticamente um fóssil na estrutura orgânica da autarquia. Se ainda houvesse reformas aos 30 anos de serviço, só trabalharia até aos 47, mas assim ainda vou a meio da carreira.

É inevitável não fazer balanços, mas apenas quero dizer que hoje compreendo situações que me pareceram inacreditáveis no momento. Compreendo-as porque hoje sei que todas as pessoas são seres humanos que têm as suas fraquezas.

Infelizmente, também eu tenho as minhas fraquezas e uma delas é a incapacidade de desistir. Parece uma força, e na medida certa até o é, mas às vezes chega o momento em que é preciso saber desistir e eu ainda não sou capaz. Mas estou a reajustar os meus objectivos, já é um princípio. Já chega de bater com a cabeça na parede.

Ao longo destes anos tive - e tenho - o privilégio de trabalhar com pessoas muito especiais e de estar presente em momentos importantes para a vida desta comunidade que escolhi como minha. Mas o mais importante deste 25 anos é tê-los passado quase todos a ser Bibliotecária. Não há nada melhor.
 

3 comentários:

  1. Parabéns :)

    Mas olha que não consigo ler as três últimas linhas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei o que se passa com o blogger... está sempre a fazer isto.

      Eliminar
  2. Um grande xi de uns parabéns bem merecidos!
    ahhh... e um beijinho também!

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...