domingo, 24 de outubro de 2010

Ana

Porque há coisas que não se explicam, apenas se vivem e se sentem, além das três irmãs que partilham o meu sangue, a vida encarregou-se de me dar uma quarta irmã.

Conheci a Ana em 1987. Já aqui falei dela e não vou falar muito mais, porque na realidade, não é importante explicar nada. Já passámos por muita coisa, perto ou longe uma da outra, porque a mesma vida que nos juntou um dia, achou piada pregar-nos as mesmas partidas e lançar-nos os mesmos desafios. Connosco, não é preciso aquelas frases feitas de "tão amigas que nós somos" e "podes contar sempre comigo" e etc., simplesmente porque nós sabemos isso. Sempre.

À minha irmã de coração, desejo um belíssimo dia de anos. Muitos parabéns, mana.

      

2 comentários:

  1. É verdade e eu fui testemunha desta amizade durante dois anos, estas miudas são mesmo irmãs de coração e faço votos que o seja para todo o sempre.
    Bjs para as duas.

    ResponderEliminar
  2. Como é possivel, ao fim destes anos, todos ainda cair na esparrela de chorar com as tuas palavras? Realmente... Há coisas que não se explicam mesmo. Obrigado por existires na minha vida!

    ResponderEliminar