domingo, 24 de outubro de 2010

Ana

Porque há coisas que não se explicam, apenas se vivem e se sentem, além das três irmãs que partilham o meu sangue, a vida encarregou-se de me dar uma quarta irmã.

Conheci a Ana em 1987. Já aqui falei dela e não vou falar muito mais, porque na realidade, não é importante explicar nada. Já passámos por muita coisa, perto ou longe uma da outra, porque a mesma vida que nos juntou um dia, achou piada pregar-nos as mesmas partidas e lançar-nos os mesmos desafios. Connosco, não é preciso aquelas frases feitas de "tão amigas que nós somos" e "podes contar sempre comigo" e etc., simplesmente porque nós sabemos isso. Sempre.

À minha irmã de coração, desejo um belíssimo dia de anos. Muitos parabéns, mana.

      

2 comentários:

  1. É verdade e eu fui testemunha desta amizade durante dois anos, estas miudas são mesmo irmãs de coração e faço votos que o seja para todo o sempre.
    Bjs para as duas.

    ResponderEliminar
  2. Como é possivel, ao fim destes anos, todos ainda cair na esparrela de chorar com as tuas palavras? Realmente... Há coisas que não se explicam mesmo. Obrigado por existires na minha vida!

    ResponderEliminar

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...