segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Acho que merece honras de post

Obrigada amiga Zélia.

Depois de uma busca incansável, e contra as previsões mais pessimistas, encontrei o meu Karkov.
Nada nesta vida se consegue sem uma boa dose de optimismo, sorte e muita persistência. Posso dizer que, as minhas gargalhadas voltaram...:)
Ver aqui.
Ana
Confesso-te que eu não tinha muitas esperanças. Ainda bem que tu és diferente. Fico muito, muito contente.

2 comentários:

  1. Deixa lá,muitos não acreditaram. Até tive direito a "atestados". Apesar de alguns(poucos)olhares misericordiosos que,lá no fundo, diziam:"Tanta coisa por um gato...",aprendi muito nestes últimos dias: que os amigos e as pessoas que se importam estão lá quando temos a coragem e a humildade de pedir ajuda; que a ajuda aparece de onde menos esperas - das pessoas mais simples,mais genuínas, das pessoas do povo, a que me orgulho de pertencer,e que ainda não perderam aqueles valores essenciais que nos deveriam caracterizar quando nos auto-intitulamos de Humanidade...!

    Por fim, embora evite ao máximo o conflito com pessoas de cujas ideias discordo, também não permito que tentem condicionar-me nas minhas escolhas, opções e formas de viver a vida. Aceito conselhos mas é praticamente impossível fugir à minha natureza. Aparentando consensos só posso fazer as coisas "à minha maneira". E, às vezes, quando nas entrelinhas me incentivavam a desistir só me vinha à cabeça aquele famoso poema (excerto) do José Régio:
    ..........................
    ...........................
    "Ide! tendes estradas,
    Tendes jardins, tendes canteiros,
    Tendes pátrias, tendes tectos,
    E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios.
    Eu tenho a minha Loucura!
    .............................................................
    Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
    Ninguém me peça definições!
    Ninguém me diga: "vem por aqui"!
    A minha vida é um vendaval que se soltou.
    É uma onda que se alevantou.
    É um átomo a mais que se animou...
    Não sei por onde vou,
    Não sei para onde vou,
    Sei que não vou por aí."

    Ainda bem que tenho uma saudável Loucura que não me deixa desistir daquilo que considero essencial :)

    Obrigada Zélia, por te teres importado (comigo,com o gato...tanto faz!. Na minha "Arca da Humanidade" tinhas um lugar garantido.

    Nota de Rodapé - Não escrevi isto às gargalhadas (pelo contrário), porque ainda estou na ressaca... :)

    Um bom feriado.
    Vemo-nos por aí, noutras tantas coisas, que continuam a fazer todo o sentido.
    Bjs.

    AF

    ResponderEliminar
  2. Sim, vamos encontrar-nos muitas vezes, agora já não te perco de vista. Beijinhos

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...