sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Tarte de Limão

1,5 pacote de bolacha maria (+ ou - 300 gr.)
150 gr de margarina
1 lata de leite condensado
1 limão
2 ovos
2 colh. sopa de açúcar

Esmagam-se as bolachas, junta-se a margarina derretida e mistura-se bem. Forra-se uma forma de tarte com esta mistura, pressionando bem. Vai ao congelador durante alguns minutos, o suficiente para a margarina solidificar.

Mistura-se o leite condensado com o sumo e a raspa de limão e, quando estiver bem misturado, juntam-se as gemas, batendo bem. Deita-se esta mistura por cima da base da tarte. Vai a forno médio durante 10 minutos.

Batem-se as claras em castelo, juntamente com o açúcar (eu deito um pouco mais de açucar, mas não quero que vocês abusem). Retira-se a tarte do lume, deita-se por cima o preparado das claras, deixando de preferência algumas formas irregulares, para ficar mais bonita. Vai alourar em forno médio, durante cerca de 5 minutos.

Como diziam os meus filhos quando eram pequeninos, é "beliciosa".
Bom fim-de-semana!

3 comentários:

  1. Parece ser "beliciosa".
    Vou experimentar amanhã.
    Adoro limão.

    ResponderEliminar
  2. Agarrando num post do blog da Anamarafada, sugiro à Parreira que a próxima receita possa ser de Robalo, que é um peixe agora muito badalado !! Pode ser ???

    Porque não havemos de ter também esses prazeres que os nossos ilustres têm??

    Contudo, se possível, uma receita que não hevendo carteira para o robalo, dê à mesma com dourada do supermercado.

    Lixo Tóxico

    ResponderEliminar
  3. Vou fazer uma compilação destas receitas.
    Quem sabe no próximo Verão volto a descobrir o prazer de comer! Não é por nada(até parece...), mas ando com um fastio à comida!
    Se na ceia de Natal me servirem pedras da calçada, aposto que não diferencio de uma receita de perú (isto no caso do perú ser velho e rijo, claro).

    Devias publicar o livro de receitas antes que estes gulosos te furtem os direitos de autor. :)

    AF

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...