O direito à indignação

Os noticiários de hoje deram o destaque que se esperava ao jogo amigável entre a Selecção Nacional e o Luxemburgo, que decorreu ontem e que Portugal ganhou por uns confortáveis 5-0.

Nada confortável foi a espera que milhares de adeptos, especialmente turistas e emigrantes, tiveram de aguentar para poderem comprar o papelinho mágico que lhes daria acesso às bancadas do Estádio do Algarve. A indignação dos entrevistados era evidente. Um senhor, que se identificou como sendo emigrante, não cabia em si e expressou a sua incredulidade de forma veemente: "Nunca vi uma coisa destas... um país em crise... e filas de 300 metros para assistir a um jogo de futebol..." E ele ali, excluído do jogo, e pelos vistos, da crise...

Sobre a suspensão dos reembolsos relativos aos pagamentos com serviços de saúde, ontem anunciada pelo Minstério da Saúde é que não se ouviu nem uma palavra, muito menos de indignação. Até porque o Ronaldo marcou, e isso é que interessa.
                  

Comentários