quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Mais um caso de "sucesso"



Não se iludam. Ridícula, populista, ineficaz, precipitada e o mais grave de tudo: indutora da diferença entre info-ricos e info-pobres. 

Antes de continuar, registe-se que eu sou totalmente a favor da integração das novas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem. Mas para tudo é preciso bom-senso.

1. Porque é que a Escola não criou uma plataforma de trabalho colaborativa? Nem precisava de gastar dinheiro em pen-drives... Ah, pois, dava trabalho.
2. Quem é que vai poupar, além da Escola? Se os alunos optarem por imprimir os manuais, vão ter de pagar as impressões, porque passam a ser facultativas, ou não?
3. E sobretudo, como é que a escola avança com uma medida destas quando "os alunos têm acesso a computadores em praticamente todas as salas da escola e também quase todos em casa"? E nas salas de aula em que não há computadores? E os alunos que não têm computador? Ficam dispensados de estudar?

Adenda:
Afinal, precipitada fui eu em tirar conclusões com base no que estava na notícia. Segundo informação, julgo que da própria escola, há de facto trabalho por trás, e pelos vistos muito. Assim, sim, vale a pena e provam-se as vantagens das nova tecnologias. À escola e a quem realizou e realiza este trabalho, as minhas desculpas e os meus parabéns. Para os mais preguiçosos em abrir a caixa de comentários, deixo aqui o esclarecimento prestado:

Nota: a escola não é de Leiria, só do distrito: é do Avelar, concelho de Ansião. É a Etp Sicó. Tem plataforma colaborativa, sim. E já há anos que usa as versões digitais dos manuais - produz todos, em vez de recomendar os das editoras, depois distribui-os em versões impressas e em versões digitais. Ah, pois, dá trabalho. Por isso sabe que estar a imprimi-los é, para quase todos, apenas desperdiçar papel: pelo que constata, não é uma medida avulsa. São distribuídos em pens porque embora quase todos tenham computador, muita gente cortou a Internet este ano por dificuldades financeiras. E se houver dois ou três que precisem deles impressos, imprime-se: é uma escola virada para o seu público, não um balcão a ditar regras administrativas. Mais informações aqui, é só contactar e perguntar o que se deseje: http://www.etpsico.pt/

2 comentários:

  1. Nota: a escola não é de Leiria, só do distrito: é do Avelar, concelho de Ansião. É a Etp Sicó. Tem plataforma colaborativa, sim. E já há anos que usa as versões digitais dos manuais - produz todos, em vez de recomendar os das editoras, depois distribui-os em versões impressas e em versões digitais. Ah, pois, dá trabalho. Por isso sabe que estar a imprimi-los é, para quase todos, apenas desperdiçar papel: pelo que constata, não é uma medida avulsa. São distribuídos em pens porque embora quase todos tenham computador, muita gente cortou a Internet este ano por dificuldades financeiras. E se houver dois ou três que precisem deles impressos, imprime-se: é uma escola virada para o seu público, não um balcão a ditar regras administrativas. Mais informações aqui, é só contactar e perguntar o que se deseje: http://www.etpsico.pt/

    ResponderEliminar

Nenhum homem é uma ilha.

No momento em que passam quatro anos sobre aqueles dias loucos e felizes da minha transferência para Évora, apercebo-me do impacto que a...