Escolas e escolas


O Sapo diz que mais de 50 escolas devem fechar hoje. Não são escolas públicas, são privadas.
Ora, procurei a palavra "privado" no dicionário, e o resultado foi este:
1. Adjectivo, masculino, singular
2. Que é de acesso condicionado, reservado. = particular ≠ público
3. Que diz respeito à intimidade de um indivíduo. = íntimo, particular, pessoal ≠ público
4. Que não pertence ao Estado. ≠ público
5. Que está desprovido de algo ou de alguém. = destituído, falto
6. Indivíduo que goza dos favores de alguém e que é seu confidente. = favorito, valido
7. Sector de uma actividadeque não está subordinada ao Estado.
Não tenho prestado muita atenção a este assunto, confesso. Quanto prevejo que me vou irritar a sério, prefiro fingir que não percebo e passo à frente, mas a insistência tem sido tão grande, que não tenho outro remédio senão encarar o assunto.

Parece que as escolas privadas (logo, por definição, que não pertencem ao Estado, que não são públicas, e que são de acesso condicionado, reservado) estão a protestar porque vão perder apoios do Estado. Tem havido manifestações e tudo.

Ora, não me interpretem mal, eu não tenho nada contra as escolas privadas, até fiz o que agora se chama 1º ciclo numa escola privada, por circunstâncias pessoais e familiares que ficam para outro dia. Mas para que eu estudasse no Externato, o meu pai fez muitos sacrifícios e a minha mãe fartou-se de dar agulhadas sem ter sequer o curso de costura.

Quando acabei a segunda classe, as circunstâncias que tinham levado os meus pais a inscrever-me naquela escola já se tinham atenuado e o meu pai quis transferir-me para a Escola Pública. Só a vontade inabalável da minha professora é que impediu que isso acontecesse, chegando a hver uma proposta de redução da minha mensalidade, que o orgulho do meu pai nunca pôde aceitar.

Mas agora, parece que as coisas são diferentes. Os meninos são inscritos nas escolas privadas (logo, por definição, que não pertencem ao Estado, que não são públicas, e que são de acesso condicionado, reservado), e o Estado assume o pagamento da mensalidade.

Para garantir essa possibilidade aos meninos cujos pais fazem questão de os inscrever numa escola privada (logo, por definição, que não pertence ao Estado, que não é pública, e que é de acesso condicionado, reservado), o Estado vê-se obrigado a cortar nas despesas com as Escolas Públicas.

Por isso, fecham-se escolas e obrigam-se alunos a percorrer caminhos de vários quilómetros, arrancam-se crianças de seis anos do seu ambiente familiar, da comunidade onde pertencem para os integrar em grandes centros educativos, porque é preciso poupar recursos. Aumenta-se o número de alunos por turma, para permitir a redução do número de professores e reduzem-se os apoios sociais aos alunos sem recursos, porque é preciso poupar recursos.

E para onde vão esses recursos? Para subsidiar os alunos cujos pais fazem questão de os inscrever numa escola privada (logo, por definição, que não pertence ao Estado, que não é pública, e que é de acesso condicionado, reservado), apesar de haver Escola Públicas ali ao lado.

É claro que também houve manifestações quando muitas escolas públicas foram encerradas, mas isso agora  não interessa nada, porque esses pais, sem poder económico, não conseguiram mobilizar a comunicação social nem marcar a agenda política.

Posto isto, não percebo porque é que as escolas vão fechar. São escolas privadas (logo, por definição, que não pertencem ao Estado, que não são públicas, e que são de acesso condicionado, reservado), e se vão fechar, é porque os pais não querem pagar as mensalidades que asseguram o seu funcionamento. Deixem o Estado em paz, porque há muitas Escolas Públicas com muitas necessidades básicas de funcionamento que precisam de ser asseguradas com urgência.

Irra, que é demais!

Comentários

  1. ...ZP, há uma parte do seu discurso com o qual não concordo ... concordo consigo nas localidades onde existem escolas públicas, porém existem localidades onde o estado não tem uma ´escola e aí o sector privado e cooperativo faz essa função ... vou dar-lhe um exemplo concreto ... sabia que o externato de Penafirme (Torres Vedras) é privado e o ensino e gratuito e que serve 3 freguesias onde não há escolas? ... como este há uns quantos ... pode visitar a página do externato referido ...

    LT

    ResponderEliminar
  2. Concordo consigo LT, por isso referi a escolha dos pais em inscrever os meninos numa escola privada "apesar de haver escolas públicas ali ao lado".
    Nos casos de escolas únicas, o Estado tem o dever de comparticipar integralmente as mensalidades, até porque se trata de ineficácia da sua parte, e como tal, é responsável.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário