segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Diz que é uma espécie de democracia

Parece que equipar as mesas de voto com o leitor para o chip incorporado no cartão de cidadão custava para cima de um milhão e meio de euros.

Um despropósito, como toda a gente compreenderá, sobretudo se considerarmos os 12 milhões já gastos com boletins de voto inúteis, que ninguém preenche, propaganda eleitoral que não esclarece ninguém porque só serve para atacar de forma baixa e vil cada um dos adversários e etc.

Vá lá, já se conseguiu evitar a realização de uma segunda volta, que custaria mais 9 milhões...

Está certo, os leitores do chip que vem incorporado no cartão de cidadão poderiam servir para outras eleições, e com boa vontade, até se poderiam utilizar leitores já existentes nos serviços onde as mesas eleitorais estavam instaladas, mas mesmo assim, era incomportável!

Por isso, suspenda-se a democracia. É só por um dia, também que mal faz? Não podem votar, paciência, tivessem adivinhado que isto ia acontecer. Se calhar até iam votar noutro qualquer, e depois tinha de se realizar uma segunda volta, e era uma trabalheira...

Assim está bom. Não é bem uma democracia, mas também não havia cá observadores das Nações Unidas, pois não?

2 comentários:

  1. Eu defendo a votação electrónica.

    ResponderEliminar
  2. É tudo a fingir, é a tudo a reinar, até o desleixo dos que não foram votar...

    ResponderEliminar