sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Isto é muito interessante

Sobretudo se pensarmos no papel preponderante que o Mediterrâneo assumiu durante séculos. Uma alteração geológica e...zás! Um deserto dá origem ao nascimento, crescimento, desenvolvimento e evolução de Civilizações absolutamente determinantes para a História da Humanidade. É, literalmente, a criação do mundo que conhecemos. Por enquanto é apenas um estudo, mas é uma teoria para acompanhar com muita atenção.

A maior inundação da história deu origem ao Mar Mediterrâneo moderno
O período de seca do Mediterrâneo terminou bruscamente há 5,3 milhões de anos quando as águas vindas do Atlântico jorraram para o Mediterrâneo com um caudal que chegou a ser 1000 vezes superior ao Rio Amazonas, e que permitiu o enchimento da bacia mediterrânica em apenas dois anos.
Nos anos noventa os engenheiros responsável pela escavação do túnel que faria a ligação entre a Europa e a África depararam-se com um sulco de várias centenas de metros de profundidade preenchido por sedimentos não consolidados. Na altura, o achado foi atribuído a algum rio de grande caudal do tempo em que o Mediterrâneo secou.
No entanto, segundo um estudo agora publicado na Nature e levado a cabo por investigadores espanhóis e franceses o sulco foi formado pelo jorro de água proveniente do oceano atlântico que originou o enchimento de bacia mediterrânica.
Segundo explicou Daniel García-Castellanos, primeiro autor do artigo agora publicado, “O nosso trabalho demonstra que, quando as águas do Atlântico voltaram a encontrar passagem através do estreito, provavelmente como consequência de um afundamento tectónico, o desnível entre os mares, de cerca de 1500m, desencadeou a maior e mais abrupta inundação que se conhece na Terra, deixando uma erosão no fundo marinho [entre o golfo de Cádiz e o mar de Alborão] de cerca de 200km de comprimento e 8km de largura.
De acordo com García-Castellanos, o caudal da coluna de água chegou a ser 1000 vezes superior ao do actual rio Amazonas, originando uma subida do nível do mar da ordem nos 10m por dia e enchendo a bacia mediterrânica em apenas dois anos. Em vez de uma cascata, o que ocorreu foi uma descida gradual do Atlântico até ao Mar de Alborão (a parte mais ocidental Mar Mediterrâneo) numa espécie de megarrápido em que a água circulava a mais de 100Km/h.
O investigador é da opinião que a rapidez do processo de enchimento da bacia mediterrânica pode ter tido impactos relevantes no clima, o que não ainda foi investigado com detalhe. “Uma alteração tão grande e abrupta na paisagem terrestre como a que deduzimos poderia proporcionar um laboratório natural para o estudo da resposta climática do nosso planeta”.
Por outro lado, os cientistas esperam que as descobertas da equipa ajudem na planificação das obras do túnel, condicionadas pela presença do canal erosivo resultante da inundação.
Retirado daqui.



Sem comentários:

Enviar um comentário