Quem fala assim não é Gago


O Ministro da Ciência e do Ensino Superior revelou durante este fim-de-semana a existência de pressões corporativas para condicionar  o acesso a determinadas profissões através da criação de Ordens às quais o acesso é dificultado  porque «os que estão instalados criam uma fronteira para ninguém mais entrar. Ou melhor, talvez entre o filho de um deles, pronto».

Segundo o Ministro, os representantes das ordens profissionais «chegam lá ao gabinete e dizem-me: “Senhor ministro, desculpe lá, quer proletarizar esta profissão? Arranje uma maneira de fechar estas entradas, seja como for”».

Ainda que nem tudo sejam rosas no reino do Ensino Superior, esta atitude demonstra a existência de carácter e a capacidade de resistência a pressões. Se estivesse no seu lugar, o grande chefe teria certamente cedido ao primeiro toque, sabe-se lá a que preço.

              

Comentários

Enviar um comentário