quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Who wants to live forever

2 comentários:

  1. Eu não sei se quero live forever, mas lá que gosto da canção...

    ResponderEliminar
  2. Oh Blonde, acabei de vir do seu blogue e isto não pode ser só uma coincidência. Ao contrário do que nos possam dizer, o tempo não cura tudo. Mas com o tempo, as feridas transformam-se em marcas de sobrevivência, troféus de uma batalha que não quisemos travar, mas que acabámos por vencer. Um abraço para si.

    ResponderEliminar

Estrela da manhã

Numa qualquer manhã, um qualquer ser, vindo de qualquer pai, acorda e vai. Vai. Como se cumprisse um dever. Nas incógnitas mãos tran...