domingo, 27 de março de 2011

Ainda se lembram da falência da Islândia?

Nunca mais ouvimos falar deste país, pois não? Em princípio, seria de pensar que não houve alteração e que os islandeses continaum mergulhados na crise. Enganam-se. Apesar da indiferença dos meios de comunicação internacionais, os Islandeses resolveram tomar nas suas mãos os destino do país e da sua economia e o resultado está à vista.

              

5 comentários:

  1. Mas existe uma diferença clara, os islandeses não salvaram os Bancos (e bem), mas não vão pedir empréstimos. Por cá, uma vez que não somos auto-suficientes e temos uma dívida pública, a tal que serviu para pagar os investimentos públicos, a ser paga, como poderíamos seguir o mesmo caminho, explicas-me? Aqui se não pedirmos dinheiro emprestado, os funcionários públicos e demais dependentes do Estado, não recebem já o mês de Abril... Convém perceber a história toda Zélia, e não apenas o capítulo que gostámos...

    ResponderEliminar
  2. O capítulo que eu menos gostei e que me chamou a atenção foi o facto de a informação não passar, o que é grave.

    Gostei foi de ver que salvar os bancos que abriram falência não é a primeira prioridade, mas o que mais gostei mesmo foi de ver pessoas que resolveram tomar o destino nas mãos, em vez de ficarem a reclamar nas mesas dos cafés.

    ResponderEliminar
  3. Uma verdadeira lição!
    Quanto à mensagem não "passar"... está à vista, né?!

    ResponderEliminar
  4. Islândia um País rico, desenvolvido, com tecnologia de ponta e com IDH elevado . É pobre de recursos naturais. No século passado sobrevivia da pesca. O que o levou a estar entre os países mais desenvolvidos do Mundo?
    Sócrates, o mentiroso, chegou a visitar em missão oficial. Quis ver de perto o milagre do seu desenvolvimento. Espantado, verificou que um bom ensino escolar, com mestres bem qualificados, reconhecidos e bem pagos, faz a diferença. O resultado dessa visita todo português conhece. O nosso iluminado mentiroso PM, com minoria no Parlamento, bolou ao contrário, o que deu certo na Islândia. Contra a vontade do Parlamento e professores, teimou enfiar goela abaixo seu ruinoso plano, ao mesmo tempo em que cortava verbas na Educação e,...fechava Escolas! Só mesmo Merkel para entender Sócrates.
    Carlos - RJ

    ResponderEliminar
  5. A informação não passa por que este tipo de exemplos não pode ser divulgado, sob pena de outros lhe seguirem os passos e depois, como ficava o grande capital e os interesses da meia dúzia de "poderosos" que mandam no mundo?

    Portugal pode também sair rapidamente da alegada crise - fiquei na dúvida quando vi a fila de 4 horas para comprar o IPAD2 que custa entre os 500 e os 700 euros - se o povo fizer o mesmo que os islandeses sempre que estiverem para ser aprovadas leis prejudiciais e, se for preciso, exigir na mesma volta a demissão do governo, mesmo que tenha acabado de ganhar eleições.

    É esse o verdadeiro exercício da cidadania que os portugueses ainda se recusam a exercer na grande maioria, apesar de poderem. Acho uma tremenda falta de respeito e de consideração para com os povos que gostariam de poder exigir livremente e estão amordaçados.


    Luís Amor

    ResponderEliminar