segunda-feira, 21 de março de 2011

Dia Mundial da Poesia

Não sei se é o meu poema preferido, mas a minha tripla condição de mãe faz dele um dos poemas da minha vida.

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...
Sebastião da Gama

4 comentários:

  1. Os poemas são pássaros que chegam
    não se sabe de onde e pousam
    no livro que lês.
    Quando fechas o livro, eles alçam vôo
    como de um alçapão.
    Eles não têm pouso
    nem porto;
    alimentam-se um instante em cada
    par de mãos e partem.
    E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
    no maravilhado espanto de saberes
    que o alimento deles já estava em ti...
    Mário Quintana

    Carlos - RJ

    ResponderEliminar
  2. Mãe galinha tinha que escolher um poema que lhe soubesse a capoeira...

    ResponderEliminar
  3. E esteve uma lindo dia para assinalar o Dia da Poesia!
    ... e tu fizeste uma igualmente linda escolha!

    ResponderEliminar