sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Alvalade XXI



Na década de noventa do século XX, com os grandes esforços de transformação realizados no Clube, a construção de um moderníssimo Estádio tornou-se uma realidade. E a obra, orgulho de todos os Sportinguistas pela sua funcionalidade e beleza, nasceu a 6 de Agosto de 2003.


No entanto, esta ‘aventura’ começou muito mais cedo com a colocação da primeira pedra a 15 de Janeiro de 2001: o Sporting Clube de Portugal e a Alves Ribeiro (principal empreiteiro da obra mediante concurso público) iniciavam assim a construcção do novo espaço desportivo dos leões.

À medida que a obra crescia, evoluíam também os diferentes estados de alma. Toda a gente (Sportinguista ou não) estava curiosa para ver como ficaria o novo Estádio do Sporting Clube de Portugal, o sétimo campo da história do Clube com o nome José Alvalade, porque os Estatutos do Sporting estabelecem, em homenagem ao Fundador, que o principal recinto desportivo do Clube tenha o seu nome.

A preparação para a cerimónia de inauguração agendada para 6 de Agosto de 2003 começou dias antes. No dia 22 de Julho, o Sporting já testava a luz, o som, os painéis electrónicos e as balizas estavam finalmente instaladas, bem como as marcações no tapete verde. Já só faltavam a bola, os jogadores... e a festa nas bancadas.

Para o dia de inauguração estava definida uma festa de gala. O Sporting tinha convidado o poderoso Manchester United, mas para além do jogo estavam a ser preparadas várias surpresas. Assim que as portas do novo Estádio abriram às 18h30, logo as bancadas se encheram de Sportinguistas. À hora marcada (20h45) iniciou-se o espectáculo. A presença de cortinas em volta do recinto, nas quais se projectou o ecletismo do Sporting, mantivera o mistério sobre a globalidade do cenário até ao último momento.

‘O Amor a Portugal" interpretado brilhantemente por Dulce Pontes foi um dos momentos mais marcantes da cerimónia. Foi também possível ver a recriação do actual emblema do Clube por centenas de figurantes na zona central do relvado e, finalmente, a entrada dos jogadores em campo, apresentados um a um, para grande regozijo de todos os Sportinguistas. Quem participou nesta festa sentiu-se pequenino: o dia 6 de Agosto de 2003 nunca será esquecido pela memória colectiva dos Sócios e Adeptos que compõem o Sporting Clube de Portugal.

No entanto, o momento mais alto era o jogo com os ingleses do Manchester United, em que os leões venceram por 3-1, com Luís Filipe a marcar o primeiro golo e João Pinto a bisar. Cristiano Ronaldo, com uma exibição fantástica, rumou passados poucos dias para os ‘red devils’, numa transferência que rendeu aos cofres leoninos 15 milhões de euros.

Com Fernando Santos no comando técnico da equipa, o Sporting apresentou-se com Ricardo, Miguel Garcia, Beto, Hugo, Rui Jorge, Custódio, Rochemback, Luís Filipe, João Pinto, Cristiano Ronaldo e Silva. Jogaram ainda: Lourenço, Paulo Bento, Polga, Toñito e Mário Sérgio. Neste dia ficaram de fora do embate, mas igualmente importantes, os jogadores Tiago, Nélson, Quiroga, Rui Bento, Pedro Barbosa, Niculae, Sá Pinto, Paíto e Clayton. Este seria o plantel na época de estreia do novo Estádio do Sporting Clube de Portugal, na época 2003-2004.

De seguida, algumas curiosidades sobre o novo Estádio José Alvalade:

Arquitecto - Tomás Taveira
Empresas construtoras - Alves Ribeiro, Novopca, Martifer, Tecnovia, Efacec, IBM e Siemens
Arranque da obra - 15 de Janeiro de 2001
Inauguração do Estádio - 6 de Agosto de 2003 (abertura de portas às 18h30)
Dimensões do relvado - 105 x 68 metros
Capacidade total - 50.076
Bancadas A - 24.242
Bancada B - 21.970
Tribunas, Camarotes e Lugares VIP - 3.610
Comunicação Social - 204
Deficientes Motores - 50

Instalado na zona urbana de Lisboa, entre a Avenida Padre Cruz, 2ª Circular e a Alameda das Linhas Torres, ao lado do seu ‘irmão mais velho’, entretanto demolido, é um estádio funcional e futurista que recebeu cinco jogos do Euro-04 (disputado em Portugal), uma final europeia, da Taça UEFA (a 18 de Maio de 2005) e vários concertos musicais, o primeiro dos quais a 3 de Junho de 2004 com o lendário Phil Collins.

A 31 de Agosto de 2004 foi inaugurado no 1º piso, com entrada pelo Hall VIP Poente, o Museu Mundo Sporting onde a riquíssima história e o património desportivo do Clube são contadas e mostradas num espaço com cerca de 1.000 m2.

Em Maio de 2005, a UEFA aproveitando a presença do presidente Lennart Johansson, em Lisboa, onde se deslocou aquando da Final da Taça UEFA, fez a entrega ao clube de Alvalade do certificado de '5 Estrelas'.

A placa foi colocada no Hall VIP Poente do Estádio José Alvalade para que todos possam ver tamanha distinção do maior órgão europeu de futebol. Actualmente, esta designação já não existe, tendo sido substituída por ‘Estádio Elite’: a classificação de topo.

Retirado daqui.

5 comentários:

  1. Lindo, soberbo. O texto e o estádio

    ResponderEliminar
  2. Deve ser p'raí o post mais extenso de todos...

    Porque será?

    ResponderEliminar
  3. Não, os resumos da Assembleia costumam ser maiores. Mas este não fui eu que escrevi. Foi copiado integralmente do site oficial do Sporting Clube de Portugal. É só clicar no link, vão lá ter.
    Que terríveis... Não sabem já que sou inconfundivelmente, convictamente, totalmente e absolutamente sportinguista?

    ResponderEliminar
  4. Lindo e falta dizer que não foi com dinheiro da Câmara de Lisboa.
    Neste estádio não foi ninguem da Câmara a Tribunal. Perceberam ?
    F. Manta

    ResponderEliminar
  5. Eu estive lá. Foi por acaso. Não contava ir mas de repente o Manta disse-me que havia bilhetes para os sócios do Núcleo de Moura que ainda não tinham sido adquiridos.
    Não pensei duas vezes: reservei bilhetes, liguei ao meu pai, ao meu irmão e lá fomos nós rumo a Alvalade!
    Foi uma tarde-noite inesquecível e arrepiante!
    Especialmente quando a Dulce Pontes cantou "O Amor em Portugal", ao mesmo tempo que, nos "screensavers" do estádio passavam imagens em câmara lenta, de Yazalde, Damas, Manuel Fernandes e os célebres quatro golos ao B*****a na goleada de 7-1, os cinco violinos, Joaquim Agostinho, Carlos Lopes e tantos outros atletas de eleição que já representaram o emblema leonino.
    A Dulce a cantar maravilhosamente.
    As ímagens no "screensaver" a passar.
    O público a aplaudir de pé demoradamente.
    E um nó na garganta tremendo...
    Ser sportinguista é fantástico!...

    ResponderEliminar