domingo, 22 de agosto de 2010

Barcelona, Parte I, dia 2

Uma vez que demos por nós vestidas de igual, não podia faltar a tentativa de fotografia da praxe. Braço esticado, olha o passarinho, já está. Aqui é a porta do nosso hotel, ao lado do Hospital da Santa Creu i de Sant Pau.

Prontas para mais um dia, a começar pelo inevitável Metro. É sábado de manhã, está tudo deserto. Barcelona ainda não recuperou da noite.



O dia começou pela enorme Plaça des Glòries Catalanes. Eu devia ter desconfiado  logo, que para ser tão gloriosa, não devia ser lá grande coisa, mas no mapa parecia tão imponente... Uma enorme desilusão. Obras e mais obras, tapumes, pó e um sol abrasador. Só deu para tirar uma fotografia do "pepinão", um prédio enorme, cujo nome oficial é Torre Agbar.


Aqui não há nada para ver, vamos voltar ao Metro em direcção ao Arc de Triomf. Saímos do Metro e... mais obras. Outra vez os tapumes, as gruas e a frase que se espalha por toda a cidade: Barcelona põe-te bonita (em catalão, acho que se escreve Barcelona posa't guapa).

Arco do Triunfo, é que nem vê-lo. Demos a volta ao quarteirão (errado) e nada. Mais uma consulta ao mapa e lá descobrimos o caminho. Finalmente, aí está o parque Passeig Lluís Companys e ao cimo, o tão procurado Arco do Triunfo. 





A meio do Parque, apercebemo-nos de um prédio que deve ter a ver com a justiça. Pelos vistos, em Barcelona é tão ágil que até tem asas. Podemos levar uma destas para Portugal?

Entramos no Parque da Ciutadella, onde se encontra o Museu de Ciências Naturais e o edifício do Governo Geral da Catalunha. No final do Parque, antes de chegar ao Zoo, fazemos uma pausa para comer o farnel que trouxemos do pequeno-almoço do hotel. Feitas espertas, à boa maneira portuguesa, todas contentes com a poupança, compramos um suminho para acompanhar. Um suminho de 3,50 € cada um! Olha se não temos trazido a bucha?




A saída para o Metro devia ser ali ao lado, mas não a encontrámos, por isso, mais uma caminhada à volta de todo o Jardim Zoológico. Passamos perto das "Torres gémeas" e finalmente, o Metro. Vamos à procura do hotel onde ficaremos em Outubro para confirmar se está tudo bem. Saímos na estação de Llacuna. E realmente, havia uma lacuna: devíamos ter saído na estação anterior. Mas não há problema, fazemos mais uma caminhada.



E agora, para retemperar forças, uma dose de consumismo, até porque aqui faz tanto calor como na Amareleja, e como não há azinheiras, tivemos que procurar a sombra do centro comercial Diagonal Mar, junto ao edifício do Fórum e do Centre Internacional de Convencions de Barcelona.


Mais uma pausa para comer qualquer coisita. Era mesmo uma coisita: Uns montaditos gelados e feitos com pouca vontade. Para nos trazerem uma simples "servilleta" tivemos de nos armar em fiscais da ASAE. Fartámo-nos de tirar fotografias aos cartazes do estabelecimento e exigimos a factura no final.



Eu não disse que fazia tanto calor como na Amareleja? Até têm um painel gigante perto do mar Mediterrâneo, chamado La Fotovoltaica.


Mais uma molhadela de pés. Finalmente a Ana rendeu-se às vantagens deste ritual e experimentou o SPA móvel. Não há nada melhor do que caminhar com os pés frescos.


Depois de termos abdicado heroicamente da sesta, voltamos para a  parte antiga da cidade. Na Praça Jaume I há a melhor loja de Barcelona. Fiquei rendida. Posso ir morar lá para dentro.




 

Depois de um belo Suspiro de Limão, chegamos à Plaça del Rei. Mais um recanto encantador. Em cada esquina, em cada pequena praceta, há uma esplanada onde se come bem e bebe melhor. No centro histórico ainda há a vantagem de se ouvirem constantemente os músicos de rua que proporcionam um ambiente mágico.

Há mais de 3 horas que não comemos. Estamos exauridas. "Buenas migas"? É já aqui que vamos jantar.



Mais um músico de rua. Brilhante.

Um pouco à frente ouve-se mais música, mas não é instrumental. São vozes de um grupo de mulheres que canta sem parar. Ao princípio pensámos que era uma despedida de solteira, só havia mulheres, metade estava vestida de branco e a outra metade todas de preto. É então que esta limusine faz a sua entrada e ouvimos o grito: "Viva las novias!!!". Esclarecidas. É um casamento.


Antes da Igreja de Santa Maria del Mar, um desvio à Plaça de George Orwell. Bela homenagem.



A Igreja de Santa Maria del Mar, uma praceta muito agradável e mais umas esplanadas devidamente animadas pelos artistas de rua. Esta menina fartou-se de brincar com o fogo, mas no final recebeu muito pouco. Os turistas também estão em crise.




Já no final da noite, uma última passagem pela Sé Catedral. Mais uma grua e um estaleiro de obras. Uma última viagem de metro e chegamos ao hotel. Como passamos pela entrada do Hospital ainda pensamos em atirar-nos para cima de uma maca nas Urgências. Estamos em estado pré-comatoso. Atenção! Não é da bebida. É só desidratação e dores na sola dos pés.

4 comentários:

  1. Finalmente concordam comigo. Barcelona é um mundo impressionante. Bem vindas à maravilha da catalunha. Eu avisei-te que ias adorar. é, sem dúvida, a minha cidade há mais de de quinze anos. Já aí fui este ano e , se Deus quiser em Novembro lá voltarei para renovar energias.
    Divirtam-se sua catalãns.
    Francisco manta

    ResponderEliminar
  2. Duas lindas mulheres perdidas na beleza da cidade condal!

    ResponderEliminar
  3. Uma cidade fantástica!Eu avisei que iam ficar apaixonadas por essa terra. bjs

    ResponderEliminar