segunda-feira, 15 de março de 2010

Feira do Livro de Moura: 30 anos | 1987

1987

A VII Feira do Livro foi inaugurada a 1 de Julho de 1987, mais uma vez no Jardim Dr. Santiago.


O país lamenta a morte do poeta e cantor de Abril, Zeca Afonso, e regista pela primeira vez na história da nossa jovem democracia, uma maioria absoluta em eleições legislativas.

Viena de Áustria foi o palco do orgulho nacional, ao ver o Futebol Clube do Porto vencer o Bayern de Munique por 2-1 e ganhar a Taça dos Campeões Europeus.

Joseph Brodsky é galardoado com o prémio Nobel da Literatura ''pelo seu trabalho de autor literário em áreas distintas do pensamento, das quais se destacam a clareza do pensamento e a sua intensidade poética''.

No cinema os sucessos do ano foram "Platoon", grande vencedor dos Oscares, "Good morning Vietnam" e "Dirty Dancing". Na música, no auge dos loucos anos 80, o grande êxito do ano foi este "Walk like an Egyptian" das Bangles.



Em Agosto de 1987, entrei para a Secção de Contabilidade da Câmara Municipal de Moura, com um contrato de trabalho a termo certo.

7 comentários:

  1. 1987, foi o ano em que o MAC, jogou para a Taça de Portugal com o FC do Porto, tendo perdido por 2-0, foi, apesar de tudo, um dia de festa para Moura, foi uma semana cheia de notícias de Moura nos Jornais Desportivos.Nesse caso você já contabiliza uns anos nessa Casa, mas olhe que não parece. O outro é o pai do Rock, você é a mãe da Feira do Livro ressuscitada.
    Estou curioso pela excelente programação deste ano, claro que vai ser excelente como sempre.

    ResponderEliminar
  2. É verdade! E eu estive nesse jogo, com uma camisola amarela vestida, como não podia deixar de ser...
    Vou tentar encontrar imagens para colocar aqui.

    ResponderEliminar
  3. quando podemos conhecer a programaçao da feira do livro? Tomara já ver a tenda montada e a cheirar a feira

    ResponderEliminar
  4. Falta pouco, está praticamente fechado, só falta acertar alguns pormenores. De qualquer forma, só poderá ser tornada pública se e quando for aprovada em reunião de Câmara.
    Posso adiantar que a tenda chegará à Praça no dia 19 de Abril. Achei graça a essa expressão de "cheirar a feira", é algo que costumamos dizer com muita frequência na Biblioteca.

    ResponderEliminar
  5. Em 1987 lembro-me do título do jornal A Bola que saíu no dia do MAC-FCP e, se não estou em erro, dizia qualquer coisa deste género - Alguém vê por aí algum tomba-gigantes?? O cérebro é mesmo uma máquina estranha ...:)

    ResponderEliminar
  6. 1987 - Dedicado a Zéca Afonso e a José Dias Coelho.

    A morte saiu à rua num dia assim
    Naquele lugar sem nome para qualquer fim

    Uma gota rubra sobre a calçada cai
    E um rio de sangue de um peito aberto sai

    O vento que dá nas canas do canavial
    E a foice duma ceifeira de Portugal

    E o som da bigorna como um clarim do céu
    Vão dizendo em toda a parte o Pintor morreu

    Teu sangue, Pintor, reclama outra morte igual
    Só olho por olho e dente por dente vale

    À lei assassina, à morte que te matou
    Teu corpo pertence à terra que te abraçou

    Aqui te afirmamos dente por dente assim
    Que um dia rirá melhor quem rirá por fim

    Na curva da estrada hà covas feitas no chão
    E em todas florirão rosas de uma nação.

    "(música e letra de José Afonso dedicada ao artista plástico José Dias Coelho, assassinado a tiro, em 19 de Dezembro de 1961. Nesse dia, pelas oito horas da noite, cinco agentes da PIDE saltaram de um automóvel, na então Rua dos Lusíadas e que hoje tem o seu nome, em Alcântara, perseguiram-no, cercaram-no e dispararam dois tiros. Um tiro à queima-roupa, em pleno peito, deitou-o por terra; o outro foi disparado com ele já no chão. Os assassinos meteram-no num carro e partiram a toda a velocidade. Só duas horas depois, quando estava a expirar, o entregaram no Hospital da CUF. Refira-se que José Dias Coelho foi assassinado por ser comunista e não, como é obvio, por ser artista plástico)."


    http://br.youtube.com/watch?v=2yZkC3YCU20

    ResponderEliminar
  7. É bom que se avive a memoria de alguns e se relate a outros o que aconteceu no passado.
    um bem aja a quem aqui recorda o que esses tempos faziam para manter o povo obediente.
    Vamos respeitar ademocracia...

    ResponderEliminar